17 de abr de 2019

Feira de Malhas de Tricô do Sul de Minas



Durante dez dias - no período de 02 a 11 de maio – diariamente, das 9 às 20 horas, a Feira de Malhas de Tricô do Sul de Minas acontecerá no estacionamento superior do Mercado Central (Av. Augusto de Lima, 744 - (31) 3274-9497 – Centro – BH). Como na edição realizada ano passado em agosto, o estacionamento superior do Mercado Central foi adaptado e decorado para receber a Feira. Os ingressos custam R$5,00 e no sitewww.dynamicaeventos.com.br, o passaporte de entrada na feira pode ser impresso gratuitamente.

Esta é a 57a edição da Feira, que é realizada há vinte e três anos pela empresa jacutinguense Dynâmica Eventos, e reúne produtores das cidades mineiras de Jacutinga Monte Sião. Além de oferecer qualidade de seus produtos, toda produção dos agasalhos da região é orientada por consultores e estilistas atentos às tendências do que vai estar na moda durante a estação.

Nos estandes estarão expostos e à venda as tendências da moda para o outono inverno 2019, predominando agasalhos de malha de tricô, calças, vestidos, coletes,cachecóis, casacos e sobrepostos.

Além de produtos das cidades mineiras, estarão à venda produtos do interior de São Paulo, e em menor escala da capital mineira. Nos estandes predominam peças em malhas de tricô em linha e lã, para os mais diversos estilos e gostos. Também estão à venda peças em malhas de algodão, modal, casacos de couro, moda íntima, cama/mesa, doces e acessórios.

As razões da Feira de Malhas de Tricô do Sul de Minas fazer tanto sucesso em BH são percebidas em vários aspectos: bons preços, grande variedade de modelos, qualidade das peças, compra direta do produtor e facilidade do crédito informal. Uma curiosidade da feira é que a grande maioria do público – cerca de 80% é composto por mulheres.


A produção do vestuário de malhas de tricô é a principal atividade de cidades do sul de Minas Gerais como Jacutinga e Monte Sião. Grande parte dos fabricantes é composta por microempresários que trabalham em família e revendem a maioria da produção para lojistas, turistas e ‘sacoleiras’ de várias regiões do país.

Nenhum comentário: