29 de ago de 2018

Tenor Thiago Arancam se apresenta no Palácio das Artes



Um dos tenores mais respeitado no mundo, Thiago se apresenta no dia 01 de agosto,
no Palácio das Artes, em Belo Horizonte

Atualmente viajando com a turnê Bela Primeira, o show marcará a estreia das canções deseu mais novo lançamento, o disco “This is Thiago Arancam”, lançado no dia 03 de agosto

Dono de uma voz poderosa e considerado um dos maiores tenores do mundo na atualidade, o brasileiro Thiago Arancam não para. Depois de estrear no mundo das superproduções musicais como protagonista de “O Fantasma da Ópera”, o mais consagrado cantor lírico do país faz em paralelo sua turnê,“Bela Primavera”. Em Belo Horizonte ele e orquestra estarão no Palácio das Artes (Av. Afonso Pena, 1537 – Centro – Fone: 32367400) no dia 1º de setembro (sábado) às 21 horas. O show ainda será marcado pela apresentação inedita das novas canções de seu último disco, This is Thiago Arancam, lançado no dia 03 de agosto.

O álbum Bela Primavera, gravado na República Tcheca, Itália e também no Brasil, marca o início da carreira popular do artista no país onde nasceu. O disco possui nove canções, seis inéditas e três regravações: “Hallelujah”, de Leonard Cohen e “Strani Amore”, de Angelo Valsiglio Roberto Buti, Cheope, Marco Marati e Francesco Tanini e “Céu de Santo Amaro”, de Flávio Venturini, com participação de Paula Fernandes e da Orquestra Filarmônica de Praga. Dos estúdios para o palco, Bela Primavera traz a mistura do erudito, tendo a participação de uma orquestra com 10 músicos, com o popular bateria, teclado, baixo, guitarra e piano.

Maior nome da ópera do Brasil, Thiago Arancam vai rodar o país com o novo espetáculo. Além das canções do Bela Primavera, que traz as influências do mundo lírico, serão apresentadas as músicas do novo CD “This is Thiago Arancam”, que tem como destaque os clássicos do musical “O Fantasma da Ópera” - “All I Ask of You”, “A Música da Escuridão” (“The Music of the Night”) e “O Fantasma da Ópera” (“The Phantom of the Opera”) - , além do clássico da ópera “Nessun Dorma. O repertório ainda traz canções em Italiano, Espanhol e Inglês e grandes sucessos como “Il Mondo”, de Jimmy Fontana, “Bella Ciao” sucesso da série La Casa de Papel, Can’t Help Falling in Love”, de Elvis Presley, “Viva La Vida”, do Coldplay; “Pride”, do U2, “Crazy”, de Seal e “Who Wants to Live Forever”, do Queen.

Na lista das inéditas estão: “Mágico Amore” de Eddiey Oliva e “Delirio” do próprio Arancam, em parceira com Maycon Ananias e Jorge Zarath. Irma Vidal e VJ Gabiru dividem a criação cenográfica e a direção artística do espetáculo, que possui estéticas barroca, clássica e neoclássica, a partir da arte e arquitetura, aplicadas a um contexto de arte e tecnologia, onde luz e imagem em cenários efêmeros e em movimento dialogam com a música.

Sobre Thiago Arancam - um coral infantil, na cidade de São Paulo, foi o primeiro passo para o garoto de seis anos descobrir o tamanho da sua voz. Bacharel em canto erudito pela “Faculdade de Música Carlos Gomes” de São Paulo, começou os estudos no Brasil, na “Escola Municipal de Música” de São Paulo.

A música arrebatava o pequeno Thiago Arancam de forma quase simbiótica. O caminho para os palcos da Europa foi aberto em 2004, após vencer o Concurso Internacional de Canto Erudito Bidu Sayão, que lhe garantiu acesso na conceituada Academia de Canto Lírico do Teatro Alla Scala, de Milão, onde se formou em canto lírico, em 2007.

Thiago Arancam se apresentou nos principais teatros do mundo, em mais de 40 países.
Destaque para o Alla Scala (Milão), Ópera de Roma (Itália), Ópera Nacional de Washington (EUA), Ópera Estadual de Viena (Áustria), Deutsche Ópera de Berlim (Alemanha), Bolshoi (Moscou), além de inúmeras produções no Japão, Emirados Árabes, Malásia, Canadá, Espanha, França, Polônia, Letônia, Mônaco e Reino Unido. Foram mais de 500 apresentações ao redor do mundo.

No Brasil, em 2011, subiu ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a montagem da ópera “Tosca”, de Puccini, no papel do pintor Mario Cavaradossi, amante de Floria Tosca. Em 2014, no Theatro Municipal de São Paulo, encenou a Ópera Carmen de Bizet. Na Europa, conheceu Plácido Domingo, com quem gravou “Cyrano de Bergerac”, na São Francisco Opera (USA); “Madame Butterfly”, em Washington e “Carmen”, na Los Angeles Opera. Trabalhou comgrandes regentes de orquestra, entre eles: Daniel Harding em vários concertos com a SwedishRadio Symphony Orchestra; Christian Thielemann em “Dresden” na Manon Lescaut, PierGiorgio Morandi na ópera “Tosca” em Las Palmas e Estocolmo; o brasileiro Silvio Barbato coma Orquestra Camerata Brasil em Brasília, João Carlos Martins, Plácido Domingo, Julius Rudel,Lorin Maazel, Nicola Luisotti, Patrik Fournellier, Renato Palumbo, Corrado Rovaris, entreoutros.

De volta ao Brasil, Thiago Arancam quer reencontrar suas raízes e mostrar a força e a emoçãoda sua voz ao público do país onde nasceu. Seus mais recentes álbuns são: "Bela Primavera"(2017), que deu origem ao espetáculo homônimo, que viaja pelo país a partir de setembro de2018; e "This is Thiago Arancam"(2018). Ambos trazem as influências do mundo lírico eaproximam o tenor da Música Popular Brasileira.

Em paralelo ao trabalho de “Bela Primavera” e o lançamento de "This is Thiago Arancam", ocantor segue com sua rotina de apresentações em diferentes países, entre eles Rússia,Lituânia, Estados Unidos e Austrália, com as óperas Madame Butterfly, Manon Lescaut,Turandot, Tosca e Carmen. E também lançou o clip da música Delírio, gravado em Pittsburgh,na Pensilvânia.

Atualmente, Thiago Arancam é também protagonista da versão brasileira de "O Fantasma daÓpera", o musical já visto por mais de 140 milhões de pessoas em todo o mundo e que faztemporada no Teatro Renault, em São Paulo, até 16 de dezembro de 2018.
Para mais informações de Thiago Arancam, visite:https://thiagoarancam.com

CASA COR MINAS - CASA VIVA EM CARTAZ





A 24a edição da CASACOR Minas, aberta no último dia 07 de agosto segue até 16 de setembro apresentando 49 ambientes, assinados por 86 profissionais das áreas de arquitetura, design de interiores e paisagismo do estado. Além da ocupação do casarão histórico, a mostra conta com um ambiente instalado no Pátio Savassi.  

Depois de promover uma das edições mais comentadas da história no estado, a CASACOR Minas volta ao casarão que a abrigou no ano passado, durante uma das edições mais badaladas de todos os tempos. Mas em 2018 apenas o endereço se repete, uma vez que até mesmo a belíssima edificação está repleta de novidades. “Apesar de ocuparmos o mesmo prédio do ano passado, esta mostra está completamente diferente da última. A distribuição dos ambientes segue outra formatação, evidenciando o tanto que um projeto de arquitetura e design de interiores é capaz de dar uma cara completamente nova a um ambiente”, destaca o Diretor de Conteúdo e Relacionamento Eduardo Faleiro.

CASA VIVA, tema escolhido para esta edição, tem como proposta fazer com que o visitante esteja mais próximo da natureza. O objetivo é mostrar como o lar pode ser traduzido em refúgio, lugar especial para celebrar a vida com amigos, familiares e animais de estimação. Essa temática é, em síntese, um prolongamento da abordagem proposta para 2017, denominada Foco no essencial. Outro aspecto fundamental da Casa Viva é a sua estreita relação com a natureza, o que certamente terá forte presença em todos os 49 ambientes desta edição, assinados por 86 profissionais das áreas de arquitetura, design de interiores e paisagismo. De pequenos arranjos de plantas aos grandes jardins, morar próximo ao verde deixou de ser luxo e passou a ser uma necessidade. Logo, é natural que essa relação se estenda às mostras do setor. Além de explorar essa proximidade com as plantas e animais, nesta edição vários ambientes foram pensados de forma a priorizar o bem-estar dos moradores.  O tema desse ano destaca exatamente o que os clientes têm procurado no meu escritório: espaços multifuncionais que possam ser utilizados ao máximo possível, permanecendo-se sempre vivos”, destaca o arquiteto Felipe Soares, um dos arquitetos com ambiente nesta edição da CASACOR Minas.

Um dos espaços que mais me chamou a atenção nesta edição da CASACOR Minas Gerais foi certamente o espaço CASA Viva, assinado por Marcelo Play e Juliana Figueiró. Ele é uma síntese da temática que estamos propondo para esta edição. Além disso, a CASACOR Minas está muito viva, incluindo uma presença muito grande de profissionais jovens, que trazem muito conteúdo de arte e desig. E casa viva é muito mais do que simplesmente trazer um pouco da natureza para dentro. Ela é aquela que traduz o estilo de vida do seu morador. E isso eu consegui identificar nos projetos apresentados nesta 24a CASACOR Minas”, destaca Lívia Pedreira, superintendente geral da CASACOR.

Mas além do tema proposto para 2018, a 24a CASACOR Minas continua investindo na preservação do patrimônio histórico, não apenas pela reabertura do prédio e da ocupação do mesmo, mas também em função da continuidade no processo de recuperação e restauro de uma construção icônica, integrante do conjunto Arquitetônico da Praça da Estação. O casarão, parte do acervo da extinta Rede Ferroviária Federal, a RFFSA, permaneceu fechado por mais de 10 anos e só foi reaberto para a edição passada da mostra, graças à parceria entre CASACOR Minas e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN/MG.
A diretora comercial da CASACOR Minas, Juliana Grillo, destaca que a mostra é uma grande plataforma de lançamentos para produtos, serviços e adiantando tendências, tratando-se de uma excelente oportunidade para não apenas para os profissionais, mas também para empresas e para o público, que pode ser acesso a diversas inovações do mercado. Ela também ressalta a importância do evento para a geração de empregos e de novos negócios. “Trata-se de um palco de oportunidades para as empresas envolvidas, pois ali elas apresentam os seus produtos, inclusive os que ainda serão lançados dentro de dois ou três anos, ou seja, a CASACOR é referência em inovação. Justamente em função disso, a contribuição da mostra para o mercado é indiscutível”, destaca Juliana Grillo. 

Profissionais

Para este ano, a CASACOR Minas recebe um time formado por grandes escritórios de arquitetura e uma apurada seleção de novos talentos. Ao reconhecimento, entre outros, de nomes consagrados como Ângela Roldão, Bernadete Corrêa, Beth Nejm, Patrícia Hermanny, Isabela Vecci, Fabíola Constantino, Juliana Vasconcelos, Gislene Lopes e do escritório Arquitetos Associados, formado por Alexandre Brasil, André Luiz Prado, Bruno Santa Cecília, Carlos Alberto Maciel e Paula Zasnicoof Cardos, além de expoentes como Alex Rousset, Ana Vaz, Estela Netto, Luis Fábio Rezende, Rodrigo Aguiar, Leonardo Veloso, Rosângela Brandão Mesquita, João Lucas Pontes, Luís Gustavo Vieira, entre outros. Soma-se ao time uma nova geração de profissionais comprometidos e muito promissores. Entre eles, Manu Lolato, Sarah James, Felipe Cardoso, Felipe Soares, Júnia Bernanos, Eduardo Brandão Mesquita, Pedro Félix, Thiago Bandeira de Mello, Filipe Pederneiras e Júnior Piacesi. Entre os estreantes desta edição, nomes como Paula Freitas, André França e Rute Zocratto, do Studio Simplí. O trio foi vencedor da 2a ARCHATHON – Maratona de Arquitetura e foi premiado com um ambiente na CASACOR Minas, além de uma viagem para a MIAMI ART BASEL. Complementam o time de estreantes na mostra nomes como Alexandre Rousset, Ana Vaz, Geraldo Ferreira, Leonardo Veloso, Rodrigo Castro, Rodrigo Maakaroun, Júlia Dumont e Tina Barbosa, Janaina Naves, Gilza Carvalho, Marcelo Alvarenga e Juliana Figueiró, além das equipes dos escritórios Arquitetos Associados e Estúdio Base.


Destaques
Inspirada nas principais tendências mundiais, a CASACOR Minas vai além de repetidas fórmulas, criando um elo afetivo com a cidade e com as tradições mineiras, um caminho, inclusive, que se evidencia como primordial na atualidade.

Prova disso é o bar Bodeguita Secreto assinado por Isabela Vecci que, inspirado na noite cubana, soma ao colorido vibrante de estampas africanas o trabalho de nomes como Isaura Pena, Mário Valle, Amílcar de Castro, Benjamim, José Bento e muitos outros, presente luxuoso que está nos azulejos das mesas. Eles, inclusive, formam importante acervo que conta um pouco a história de 34 anos da TerraTile, especializada no segmento de revestimentos, louças e metais.

A Bilheteria, da dupla Alexandre Rousset e Ana Vaz, dá boas vindas ao público destacando um belo registro da história do casarão que, durante anos, abrigou a sede da Rede Ferroviária Federal e exibe seu rico acervo. Logo na entrada, o público é convidado a admirar uma coleção de bilhetes, que contam sobre os inúmeros trechos percorridos pelo trem, além de apreciar uma galeria de relógios, que se apresenta como protagonista do espaço.

O Lounge Fiat + Piscina, com assinatura da equipe da Situar Projetos apresenta um conceito de garagem aliado a um espaço de relaxamento, no melhor estilo after party.

O Estar, de Bernadete Corrêa e Manu Lolato propõe um mix de épocas e estilos com um ambiente clean e o toque nostálgico fica por conta da presença de uma camélia, árvore disposta em um dos cantos do espaço. O Gabinete 71, de Felipe Soares e Sarah James, também aposta na afetividade do trabalho feito à mão como inspiração, em ambiente humanizado pelos tapetes em sisal e pela composição de obras de arte contemporâneas, contrastando com o verde que reveste todo o ambiente. Esse olhar humanizado também é expoente no projeto de Cynthia Silva para o Quarto do Bebê, batizado de Origens. Nele, o mobiliário, em Angelim e palhinha, é todo autoral e enfatiza as linhas orgânicas. Em rápida análise, percebe-se que sai de cena o apelo ao monumental estratosférico de outras épocas. O foco agora é dar cara de casa da gente aos projetos. É o caso do Home Cinema de Estela Netto, que não restringe o ambiente a uma única função, dando a ele um clima aconchegante e elegante e, também bem natural. E é o que marca o Living Biblioteca de Patrícia Hermany, onde a excelência do design não está por acaso, dando contornos ainda mais distintos à densidade que ela propõe para um espaço, de fato, destinado à boa leitura e boas vivências.

Ana Bahia também propõe um loft, mas numa versão bem feminina, no melhor estilo “empoderada”, com sofá em veludo, cama em tecido e fluida transparência nos armários. E já que os lofts imperam, Gislene Lopes vem com ótimas soluções no Studio Sumisura para integrar quarto, sala, banho e cozinha com painéis pivotantes de vidro e mobiliário de alto padrão, construído sob medida com tecnologia de ponta. O Espaço Bem-Estar, projetado por Laura Santos prioriza hábitos saudáveis, os momentos em família, a convivência com os animais de estimação e a prática de exercícios físicos.

Alexandre Brasil, André Luiz Prado, Bruno Santa Cecília, Carlos Alberto Maciel e Paula Zasnicoff do escritório Arquitetos Associados, estão apresentando, em parceria com a ArcelorMittal, um espaço para promover discussões sobre as possibilidades da economia circular. Carlos Alberto explica: “Construímos um pavilhão que possa ser desmontado após o fim do evento e remontado em outro lugar, evitando assim a geração de resíduos ou a necessidade de reciclagem de materiais”.

Além do Pavilhão Arcelor projeto assinado por todos do Arquitetos Associados, Carlos Alberto ainda é autor do projeto da Livraria da Rua, que ganha uma versão dentro da mostra. O objetivo é reproduzir no evento o mesmo ambiente acolhedor da livraria, que funciona na Savassi.

O pit stop durante a visita certamente será no Café, que tem projeto assinado por Juliana Vasconcelos, e inclui uma das vistas mais bonitas para a cidade, dividindo espaço com o CASA VIVA, de Marcelo Alvarenga e Juliana Figueiró, um ambiente que sofre transformações à medida em que o evento vai acontecendo.

Os locais de trabalho também estão bem mais maleáveis e criativos. Prova disso é o projeto Estufa Criativa, de José Ricardo Fois e Renata Rocha, que se molda ao uso de um jeito simples e objetivo, onde nada é definitivo e não há formalidades. Em destaque, a mesa orgânica, desenhada pelos arquitetos. Se a pedida for potencializar o espaço oferecendo qualidade de vida e, com isso, a possibilidade de mais produtividade, Júnior Piacesi buscou, para seu ambiente, o Corporativo, elementos da neuroarquitetura e da biofilia e trouxe elemento aconchegantes como um jardim suspenso sobre a mesa de recepção e uma espertíssima cortina em veludo fosco, disposta em curva, que pode integrar ou dividir o espaço. Por fim, se for para quebrar todas as convenções, o modelo palco e plateia do Campo de Palestras Sesc assinado pela equipe do GUAJA e Dobra Arquitetura extrapola geral, com a presença de elementos domésticos como cama, mesa de jantar, cadeira de balanço e até de uma gangorra. Outra fórmula que se reinventa e pode ser considerada a mais completa tradução dos espaços de trabalho e, principalmente, do futuro é a proposta Laboratório de Ideias da Alice, ambiente de Roziane Faleiro, pensado para uma mulher empreendedora e contemporânea.

Gastronomia – Restaurante, Armazém, Café e Projetos Especiais

Cozinhar é traduzir afeto. E nada melhor que trabalhar com as emoções para levar até à CASACOR Minas ingredientes selecionados por especialistas. Agnes Farkasvolgyi será a responsável por oferecer um cardápio criado dentro do conceito Quilômetro Zero. Desta forma, as criações da chef para o restaurante serão elaboradas com queijos de pequenos produtores, azeites mineiros, hortaliças cultivadas na cidade, e claro, carnes especiais. Com projeto elaborado pela arquiteta Beth Nejm, o restaurante Na Mesa da Agnes terá dois cardápios: um de terça a sábado e outro especialmente para os domingos.

Para a chef mineira, domingo é dia de comer com a família. Por isso, os pratos serão servidos no meio da mesa, com todo o conforto para aquele encontro especial. A inspiração está na comida de vó, naquela receita de casa. O visitante vai se surpreender com os vasilhames - inusitados e belíssimos - que serão utilizados para servir os pratos, dando um toque especial aos pedidos.

No Armazém, que tem projeto assinado pela jovem equipe da Ø Arquitetos, formada por Thiago Bandeira de Mello, Filipe Pederneiras e Katarina Grillo, Agnes assina uma curadoria de produtos, oferecendo o melhor da gastronomia do estado. O ambiente é o espaço onde os visitantes podem adquirir alguns produtos para levar para casa como queijos, azeites, cafés especiais, embutidos, vinhos mineiros premiados, doces especiais, hortaliças e utilitários exclusivos. Além dos produtos selecionados, o espaço ainda recebe workshops e palestras sobre alimentação, comportamento, colocando em debate os desafios de reinventar a comida mineira.

Além do Bar, Café, Restaurante e Armazém, a gastronomia ainda terá destaque na programação de aulas-show, que serão promovidas na Cozinha Funcional do Chef, com projeto assinado por Fabíola Constantino. Um dos destaques deste espaço certamente será a automação, possibilitando que os participantes das aulas possam acompanhar todos os detalhes por meio de TVs conectadas a câmeras instaladas na bancada, facilitando o aprendizado. A curadoria das aulas será realizada pelo premiado chef Felipe Rameh.

Homenagens

Nesta edição, a CASACOR Minas conta com importantes homenagens a três personagens da cidade. O primeiro é o próprio casarão, onde funcionou a sede da Rede Ferroviária, que tem sua história recontada por meio dos inúmeros ambientes, além de todo o processo de recuperação e restauro que vem sendo realizado no prédio desde a ultima edição da CASACOR Minas, permitindo que ele fosse reaberto para a cidade.

A CASACOR Minas ainda conta com um ambiente inteiramente construído em homenagem a um dos mais expressivos arquitetos mineiros, com reconhecimento nacional e internacional, Carlos Alexandre Dumont, mais conhecido como Carico. Com um portfólio de mais de 2.000 projetos comerciais e empresariais, Carico é referência de peso na arquitetura e um dos precursores de desenvolvimento de projetos para lojas e grandes marcas no Brasil. Por seu valor inestimável, recebe todas as referências com o ambiente Retrospectiva Arquiteto Carico – que faz um apanhado de sua obra e trajetória.

Outro homenageado nesta edição é o Grupo Galpão. A principal referência utilizada foi a comédia musical “Um Trem Chamado Desejo”, que teve sua estreia oficial em 2000. Para isso, o vagão, peça icônica do casarão, localizado logo na fachada do edifício, e que foi inteiramente restaurado durante a 23a edição da CASACOR Minas, recebeu uma série de elementos e cenografia especial, incluindo peças e objetos que acompanham o grupo durante a sua trajetória nos palcos. São adornos, luminárias, peças de antiguidade, carpete e o figurino original, que aparece exposto em autênticos manequins dos anos 1930. Alinhava a nostálgica cena teatral, o glamour das cortinas em veludo bordô, arrematada por franjas douradas.

A CASACOR pela cidade

A bem-sucedida missão da CASACOR Minas de apresentar uma precisa seleção de profissionais da arquitetura, design de interiores e do paisagismo, vem possibilitando ao longo do ano, o desenvolvimento de uma série de ações pela cidade, ampliando seu escopo e período de atuação. A parceria com a Casa Fiat de Cultura permitiu a criação de um ambiente voltado para a realização de uma residência artística, projeto de Paulo Augusto e Sarah Floresta, intensamente utilizado ao longo de 3 semanas, além da montagem da Mostra 100% Minas - uma exposição voltada para destacar o design produzido no estado. Seguindo o desafio, a CASACOR Minas investe agora na apresentação de um ambiente dentro do Pátio Savassi, o Home office Sumisura, que poderá ser visitado simultaneamente ao período da mostra. A intenção é permitir ao visitante a experiência de perceber o quanto pode ser prazeroso e confortável trabalhar dentro da própria casa. O espaço, que também foi criado para divulgar a programação da 24a CASACOR Minas, é assinado pela arquiteta Ângela Roldão e se destaca pela elegância, leveza e precisão na escolha dos materiais empregados no projeto. Composto basicamente por móveis em vidro e alumínio, ele tem uma pequena área de estar com mix de móveis italianos e brasileiros, como a clássica poltrona de Flávio Carvalho em couro. Cores como o laranja, o roxo e o amarelo bem como a iluminação bem programada dão calor ao ambiente, que tem paredes em bloco de concreto e teto preto.

Visitas gratuitas para alunos da rede pública de ensino

Uma das novidades da 24a edição da CASACOR Minas será a abertura da mostra, de forma inteiramente gratuita, para alunos da rede pública de ensino. Dessa forma, as escolas interessadas em levar seus alunos devem agendar diretamente com a organização do evento. As visitas deverão ocorrer sempre às terças-feiras.

A visita é uma oportunidade para que alunos das redes municipal e estadual, nos ensinos básico e secundário, possam conhecer um pouco sobre a história do casarão e a sua relação com a cidade, uma vez que ele está intrinsecamente ligado ao surgimento de Belo Horizonte. Foi na região da Sapucaí e da Praça da Estação que apareceram os primeiros registros de comércios. Além disso, os alunos poderão conferir os trabalhos desenvolvidos por profissionais da arquitetura, design de interiores e paisagismo, as instalações da mostra bem como o processo de restauro que vem sendo desenvolvido no casarão, instalado numa região marcada pela efervescência urbana, cultural, política e gastronômica. Por meio da parceria com a CASACOR Minas, o prédio vem passando por um processo de restauração, desenvolvido sob a supervisão do IPHAN e a proposta é que ele abrigue no futuro as instalações do Museu Ferroviário, entre outras atividades.

As visitas para alunos das escolas públicas das redes municipal e estadual são inteiramente gratuitas e deverão ser agendadas pelo e-mail: contato@casacorminas.com.br ou pelo telefone (31)3286-4587.

Parceria VLI
Transformar o presente, construir o futuro e manter o respeito ao passado e à história vivos. Além de patrocinar mais uma vez a edição deste ano, a VLI, empresa de logística integrada, é parceira da Multicult, empresa realizadora da CASACOR Minas na restauração do imóvel que sedia CASACOR 2018, investindo R$ 1,8 milhão.  O projeto de Restauração Arquitetônica da Extinta RFFSA é uma realização do Ministério da Cultura, do Governo Federal e da Multcult Promoções Ltda, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da VLI - Valor da Logística Integrada.

Sobre a Multicult
Multicult é uma empresa promotora de eventos diversos, entre eles a CASACOR Minas, que em 2018 completa 24 edições ininterruptas. A proposta da empresa é promover e empreender projetos e iniciativas nas áreas de Cultura, Arquitetura, Design, Gastronomia e Urbanismo. O portifólio de ações desenvolvidas com a assinatura da Multicult reúne eventos diversos que se destacam por promover não apenas entretenimento, mas também uma plataforma de inspiração, informação e networking. Outro foco de atuação da empresa é a promoção de iniciativas que contribuam para a preservação da memória e da identidade urbana

CASACOR Minas
A CASACOR é reconhecida como a maior e melhor mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas e reúne, anualmente, renomados profissionais. Em 2018 chega à sua 24a edição em Minas Gerais e com mais de 20 eventos nacionais (Alagoas, Bahia, Brasília, Campinas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Interior de SP, Litoral de SP, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina) e seis internacionais (Miami, Peru, Chile, Equador, Bolívia e Paraguai).
Redes
INSTAGRAM: @casacorminas


CASACOR Minas Gerais
Quando: de 07 de agosto a 16 de setembro de 2018
Endereço: Rua Sapucaí, 383– Floresta- Belo Horizonte
Horário de funcionamento: de terça à sexta de 15h às 22h/ Sábados, de 13h às 22h e aos domingos e feriados de 13h às 19h.
Ingressos: R$50 inteira e R$25 meia / R$150 – passaporte(válido para todos os dias)
Vendas: nas bilheterias ou pelo site www.ingressorapido.com.br
Informações: www.casacor.abril.com.br