26 de abr de 2016


LADOS

Gladston Galliza lança seu nono disco,
com show em noite única em BH


Será no dia 13 de maio, sexta-feira às 20h30, no Teatro de Câmara do Cine Brasil (Av. Amazonas, 315 – Centro – BH – MG), o show de lançamento do CD “Lados”, de Gladston Galliza.  O artista, que que viveu por 14 anos na Espanhae já editou discos nesse país e também no Japão, nos propôe um trabalho baseado nas fusões entre ritmos brasileiros e influências da música hispânica.

Trata-se de um artista cuja arte atravessou fronteiras, somando aprendizados e valores culturais à sua preservada origem. O timbre de Galliza, a dinâmica sensível presente em sua voz e a interpretação apurada fazem dele um músico universal.

LADOS
Gravado em Belo Horizonte, no Estúdio Verde, o CD “Lados” tem produção e direção artística de Gladston Galliza, direção artística de Christiano Caldas.  Ao lado do talento valioso de Gladston, o disco conta com a participação dos igualmente notáveis Thiago Delegado, Christiano Caldas, Serginho Silva e Aloisio Horta entre outros.

No show, Gladston estará acompanhado de Serginho Silva(percuteria), Gustavo Figueiredo (teclados) e Aloisio Horta(baixo). O show ainda terá as participações especiais do músico e compositor Renato Motha e do guitarrista Cesar Costa.

Os ingressos já à venda na bilheteria do Teatro ou via  www.compreingressos.com

GLADSTON GALLIZA

Cantor, compositor, produtor e instrumentista brasileiro nasceu em Ouro Preto, estado de Minas Gerais em 4 de Novembro de 1967.  Começou a se interessar pela música, aos nove anos, já em Belo Horizonte.  Estudou teoria musical e violao no Conservatório de música da Universidade  Federal de Minas Gerais. No entanto sua atenção foi despertada pelos sons de sua terra.  Na adolescência ouviu músicos como Toninho Horta, Milton Nascimento e Antônio Carlos Jobim que viriam a lhe influenciar decisivamente, tanto em sua maneira de tocar como de  compor. Em 1989, se mudou para o Rio de Janeiro, visando ampliar sua carreira.
Nessa cidade, trabalhou como músico de estúdio e também acompanhou artistas como  Simone Guimarães, Cris Delanno entre outros. Também participou e venceu vários festivais de música como compositor, tais como:  Bauru e Avaré (SP), onde obteve premiações juntamente com Lenine. Em 1994, gravou seu primeiro disco,  o CD “Viver Você”, em parceria com o compositor  César Nascimento.  Em 1998, mudou-se para Madrid. Em 2004, Galliza gravou seu segundo disco solo, “Fascínio”, com fusão de ritmos brasileiros e influências latino-americanas, e se reafirma como compositor compondo também em Espanhol. Destacam-se nesse trabalho as parcerias, sobretudo, com o letrista madrileño Daniel Lesmes. Visível, então, a perfeita associação de Gladston e músicos residentes na capital espanhola ou vindos de diversos países.  Em 2005, gravou seu terceiro disco, “The Album”, feito unicamente para o mercado japonês, a convite do produtor e DJ japonês Lava. Em 2007,  Gladston lançou mais dois discos: “Idas e Idas”, gravado entre Espanha e Brasil e,  com a participação do cantor e compositor espanhol Ismael Serrano e também do músico e compositor italiano Joe Barbieri além de outros destacados músicos espanhóis e brasileiros. Gravou também o CD entitulado “Madrid”, uma segunda produção para o Japão. Em 2008, realizou sua primeira turnê por esse país ao lado do genial pianista uruguaio Hugo Fattoruso e do percussionista japonês Tomohiro Yahiro. Em 2009, produziu o disco do compositor das ilhas Canárias Nestor Raluy, além de fazer outra turnè de 25 shows pelo Japão. Em 2010, lançou  “Íntimo”, seu sexto disco de carreira, também com participação de músicos espanhóis e brasileiros. Em 2011, lançou “Alvorada”, primeira colaboração fonográfica com a pianista japonesa Miyuki Onitake, este trabalho tem como peculiaridade mostrar somente seu lado letrista. O disco também foi lançado no Japão com uma turnê de 30 shows. Em 2015, é a vez de “Lados”, seu nono disco, trabalho inteiramente gravado em Belo Horizonte, celebrando sua volta ao Brasil.
Atualmente tem destacada atuação no panorama musical hispano-brasileiro, tanto como músico de estúdio ou como artista solo quando se apresenta com seu quarteto. Além disto, também produz discos para outros artistas.

SAIBA MAIS:

2 de abr de 2016

"BRONCA DE QUÊ?"

  
Espetáculo de Rogério Blat, com direção de Ernesto Piccolo, aborda um novo olhar sobre os jovens com Síndrome de Down. Comédia  traz os atores Karina Ramil, Lorena Comparato, Pedro Baião, Darlan Cunha e Theo Nogueira. Dias 8 e 9 de Abril, no Teatro Bradesco
 Ernesto Piccolo e Pedro Baião

Albert Einstein disse certa vez: “Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito”. Este pensamento do grande cientista, inspirou a comédia juvenil #broncadequê?, um projeto artístico de desintegração de preconceitos que vem para mostrar um outro olhar sobre os jovens com Síndrome de Down. Com direção de Ernesto Piccolo, cinco atores estão em cena para apresentar uma comédia que propõe um diálogo a respeito dos preconceitos e das diferenças. O que pode acontecer com um grupo de quatro amigos que se aventuram numa noite em companhia de um jovem com Síndrome de Down em busca de sua liberdade? O espetáculo narra esse divertido e tocante encontro e coloca em questão os preconceitos, dificuldades e sonhos daqueles que são considerados especiais. Montagem chega ao Teatro Bradesco, em Belo Horizonte, dias 8 e 9 de abril, sexta  às 21h, e sábado às 19h. 

SINOPSE
Clara (Karina Ramil) que é estudante de psicologia e de uma família abastada da zona sul carioca é muita amiga de Nick (Lorena Comparato), apelido de Nicole. Filha de pais hippies, Nick é uma jovem super-responsável que toma conta de si própria e dos pais. Ambas são amigas de Lupi (Darlan Cunha), um cara meio desligado que é um gênio incompreendido da informática e de Jorge (Theo Nogueira) que largou a faculdade de Belas Artes para se formar em publicidade. Os quatro amigos inseparáveis conhecem Guilherme (Pedro Baião) em uma passeata pela “Liberdade Down”, convocada através da internet por um anônimo com o apelido “Célula 47”. A passeata é um “mico”, no dia e hora marcados não aparece ninguém, ou melhor, aparecem apenas Clara, Nick, Lupi, Jorge e Guilherme que descobrimos ser o próprio “célula 47”. Desse encontro nasce uma relação de amizade e companheirismo entre os cinco jovens. Da manifestação “Liberdade Down” liderada por Guilherme, que protesta de forma artística, os cinco jovens partem para uma aventura na noite carioca, com direito a balada, romance, serenata e muita diversão.

Como lidar com as diferenças? Como transformar o pensamento ignorante que determina que o sujeito que nasce diferente da maioria é inferior ou aberrante? Quais os meios para interromper a exclusão em que vivem alguns indivíduos rotulados como diferentes? A montagem aborda algumas dessas questões de forma delicada, sensível e muito bem humorada. Fugindo das soluções mágicas ou lições moralistas, a ideia é de que o espectador saia do teatro e possa levar para o seu cotidiano um olhar renovado sobre o assunto.

FICHA TÉCNICA
Texto Rogério Blat / Direção Ernesto Piccolo / Com: Karina Ramil ׀ Lorena Comparato ׀ Pedro Baião ׀ Darlan Cunha ׀ Theo Nogueira / Direção de Movimento Marcia Rubin /  Cenário Clívia Cohen / Figurinos Maria Estephania /Trilha musical Rodrigo Penna / Iluminação Luis Paulo Nenen /Preparação vocal Rose Gonçalves /  Designer gráfico Ana Luiza Mello e Rodrigo Barja / Fotos Nana Moraes e Camilla Maia / Assistente de Direção João Maia/ Direção de Produção Dadá Maia / Captação de patrocínioON TIME Leila Garcia e Jorge Abreu / Realização Expressão Piccolo Produções / Patrocínio Grupo Bradesco Seguros & Ministério da Cultura – Lei Rouanet ׀ apoio TV Globo / Produção local em Belo Horizonte: Rubim Produções

Imagens em vídeo: 


#broncadequê
Gênero: Comédia juvenil
Classificação indicativa: 12 anos
 08 de abril, sexta, às 21Horas / e 09 de abril, sábado, às19Horas
Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2244 – Lourdes)
Ingressos: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia)
Clientes Bradesco têm 30% de desconto na compra de até dois ingressos
Vendas online pelo site ingresso.com
Informações (31) 35161360
Bilheteria: de 2ª a 6ª das 12horas às 20Horas ׀ Sábados e Domingos das 12Horas às 19Horas
Lotação do teatro: 602 lugares



Direção: Ernesto Piccolo
Ator e diretor, alguns trabalhos realizados como diretor : Em 2015/2016 “Andança, Beth Carvalho o musical” de Rômulo Rodrigues, musical em homenagem a grande sambista Beth Carvalho, grande elenco, “A Galinha Pintadinha em Ovo de Novo” de Keli Freitas, Juliano Prado e Marcos Luporini – musical infantil, “Sonhos de um sedutor” de Woody Allen, com Luana Piovani e George Sauma, “Divã” baseado no livro de Martha Medeiros, com Lilia Cabral, Alexandra Richter e Marcelo Vale, “Na sobremesa da vida” texto de Maria Letícia, com Emiliano Queirós, “Doidas e Santas” baseado no livro de Martha Medeiros, com Cissa Guimarães, Giuseppe Oristanio e Josie Antello;“Seis aulas de dança em seis semanas” texto de Richard Alfieri, com Suely Franco e Tuca Andrada. Foi um 
dos coordenadores do projeto “Oficinas de Criação de Espetáculo”, onde assinou a direção dos espetáculos teatrais: “Funk-se”“Com o Rio na Barriga”“DNA Brasil”“O Dinheiro é o Terror”“Praça Onze, o Musical”, entre outros,  todos com texto de Rogério Blat. Desde 2010 dirige o festival de diversidade cultural Tangolomango, que reúne grupos culturais de várias partes do Brasil e da América Latina, para troca de experiências artísticas.

Texto: Rogério Blat 
É autor teatral e diretor de espetáculos. Seu primeiro espetáculo teatral como autor foi em 1993 “Os Gérmens da Discórdia”, dirigido por Gilberto Gawronski, com músicas inéditas de Lulu Santos. Autor da trilogia “Andersen, O Contador de Histórias” (O Soldadinho de ChumboA Nova Roupa do Imperador e oPatinho Feio), foi ganhador do Prêmio Coca Cola de 95 com “O Soldadinho de Chumbo”, do Prêmio Mambembe de 97 e Prêmio Coca Cola 98 – RJ e 2000 – SP, com “O Patinho Feio”, que também representou o Brasil no Festival de Teatro Jovem de Lyon - França (1997)Fundador da ONG Palco Social - Oficinas de Criação de Espetáculos – projeto de inclusão social através das artes cênicas - desenvolveu 17 espetáculos musicais, entre eles “Funk-se” (prêmio Cantão de Teatro 1995), e a trilogia “Com o Rio na Barriga”, “O Passado a Limpo” e “O Futuro Era Hoje!” (Premio Coca Cola 97), entre outras. Escreveu e dirigiu “No Meio do Nada” e “Pamonha e Panaca” ambas apresentando no elenco o irmão Ricardo Blat.

Karina Ramil
Formada em Artes Cênicas pela Universidade Cândido Mendes do Rio de Janeiro, estudou na escola O Tablado de 2001 a 2013, além de cursos de interpretação no Col.legi de Teatre de Barcelona com Boris Rotenstein e Jango Edwards. Continuou seus estudos no Rio de Janeiro na Casa de Cultura Laura Alvim com Daniel Herz por três anos, no Sesc com o curso de desconstrução corporal com Lucia Russo e tv com Edson Erdmann.  Atuou em diversas peças teatrais como: “Infância, Tiros e Plumas”, direção de Inez Viana; “Peer Gynt", direção de Guida Vianna; “O bravo Soldado Schweik”, direção de Bernardo Jablonski; e “Norma", direção de Raphael Janeiro, além de diversas outras montagens durante os estudos. Participou de festivais de esquetes como FESTU Rio, onde ganhou os prêmios de melhor atriz e melhor esquete na Mostra adulta e na Mostra Infantil, gerando as peças “Ricardo e Patrícia Piolho”. Com a segunda ganhou o Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil de melhor atriz e indicação a melhor texto. Na TV participou das novelas "A favorita" e "Fina estampa" na TV Globo, das séries “Quero ser solteira” e “Vendemos cadeiras” do Multishow e “Destino Rio de Janeiro” da HBO. No cinema protagonizou o curta “Morro da Urca” e participou de “Aceito”. Atuou também no clipe “Calçada da Batalha” da Banda Tereza e em um filme publicitário da editora Intrínseca. Fundou e integra a Companhia de Quatro Mulheres desde 2011.

Lorena Comparato
Atriz e apresentadora, Lorena Comparato, atualmente no elenco do seriado PÉ NA COVA, na TV Globo, de Miguel Falabella, atua como Abigail, mulher do personagem de Falabella, desde 2013. Nascida em Portugal, filha do roteirista Doc Comparato e irmã da atriz Bianca Comparato, é formada na Escola Britânica, PUC-Rio, Casa de Cultura Laura Alvim e fez intercâmbio de interpretação na UCLA (Los Angeles). Participou do premiado curta HANDEBOL, de Anita Rocha da Silveira e peças teatrais como BLACKBIRD de David Harrower com direção de Bruce Gomlevsky, O DECOTE com a Cia Atores de Laura e NADISTAS E TUDISTAS, ambas dirigidas por Daniel Herz, que lhe rendeu a indicação de Melhor Atriz no Prêmio Zilka Salaberry 2014. Em meio a muitos workshops com profissionais da área artística como Sergio Penna, Paloma Riani, Estela Albani e outros, também participou de programas de TV no Multishow e na TV Globo como DO AMOR e MALHAÇÃO. Recentemente esteve em uma participação no filme MATE-ME POR FAVOR.

Pedro Baião
É ator, fez cursos de teatro no Tablado com Isabella Sechin, Luis Octavio Moraes, Ernesto Piccolo, Marco André, Pedro Kosovski e de dança, também no Tablado com Ariane Rocha. Participou das montagens de “O Burguês Fidalgo”, de Moliére ,com direção de Isabella Sechin e Luiz Octavio Moraes, no Teatro Leblon; “Bailei na Curva”, com direção de Isabella Sechin e Luiz Octavio Moraes, no Tablado; “A Vista da Velha Senhora”, de Friedrich Durrenmat, com direção de Isabella Sechin e Luiz Octavio Moraes, no Teatro dos 4; “Não sobrevivo de teatro, mas faço teatro para sobreviver”, criação coletiva com direção de Ernesto Piccolo e Janser Barreto, no Tabaldo; “Tchekov em contos de tchekov”, com direção de Isabella Sechin e Luiz Octavio Moraes, no Teatro Leblon.

Theo Nogueira
Formado pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras), iniciou o curso profissionalizante em São Paulo na Oficina de Atores Nilton Travesso. Seus últimos trabalhos no cinema são os curtas metragens “Eu e Crocodilos” e “Flor da Estação”, também fez outros curtas dirigidos e produzidos pela New York Film Academy (“Blind Date e “Nothing Like Reality”) e participou do longa metragem “AnaMaria a mulher de Branco”. No teatro já realizou peças como: “Toda Nudez Será Castigada”, “Cata-Tempo”, “Sexo, Chocolate e Zambelê”, “Gota D’Água”, “Um e Outros”, “Reticências”, “Testemunha da Acusação”, “Esta Noite se Improvisa”, “O Homem que Ainda Sonhava”, fez parte CIA de teatro Epigenia com direção de Gustavo Paso durante 2 anos; na televisão fez a segunda temporada da série “Desenrola Aí”, do Multishow, e, recentemente, participou da “Malhação”. Também participou de diversos projetos na internet, como a websérie “DROPS”, primeiro produto do gênero que a FAAP lançou.