24 de nov de 2015

FESTIVAL DE ARTE NEGRA COMEÇA AMANHÃ


Duas das maiores referências da música negra feita no Brasil, Tony Tornado e a banda Black Rio abrem amanhã, às 21 horas, com show no Sesc Palladium, o Festival de Arte Negra 2015. Realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura, o FAN BH ocupa diversos espaços na capital mineira até o próximo domingo, com atrações variadas, como uma exposição do artista plástico Jorge dos Anjos e show de Gaby Amarantos. Além do Palladium, o Parque  Municipal, os teatros Francisco Nunes e Marília, o Circuito Liberdade, o Viaduto Santa Tereza e a Academia Mineira de Letras recebem atividades do festival.

Em comemoração aos seus 20 anos de existência, o FAN BH este ano foi pensado a partir do tema “Encontros”, reforçando o caráter intercultural e a riqueza dos povos. Outras atrações que movimentam o festival são Ilê Aiyê, Rico Dalasam e pratas da casa como Zaika dos Santos, Douglas Din, Carla Gomes, U Gueto, Samba da Meia Noite. OFAN BH também promove ações como o Ubuntu – Encontro da Diversidade Religiosa, Cortejo e Encontro de Blocos, além de palestras, exibição de filmes da Cinemateca Francesa no Centro de Referência da Moda. Toda a programação oficial é gratuita e serão cobrados ingressos somente em alguns eventos associados. O Festival de Arte Negra é correalizado pela Associação dos Amigos do Centro de Cultura de Belo Horizonte – AMICULT. As ações educativas são realizadas em parceria com a SMED – Secretaria Municipal de Educação.

Criado em 1995, no tricentenário de Zumbi dos Palmares, com o objetivo de dar visibilidade à vigorosa produção cultural dos povos africanos e seus descendentes, o FAN BH completa 20 anos de existência e sua celebração acontece em um momento icônico. A 8ª edição do festival ocorre justamente no primeiro ano da Década Internacional dos Afrodescendentes, cujo período é de janeiro de 2015 a dezembro de 2024. Trata-se de uma resolução da ONU, firmada em Assembleia Geral no ano de 2013, cujo objetivo consiste em promover o respeito, a proteção e a realização de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais de afrodescendentes, como reconhecidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

De acordo com Rosália Diogo, jornalista e pós-doutora em antropologia social, uma das responsáveis pela curadoria do FAN BH, todas essas “coincidências” motivaram o tema do festival este ano.  “É muito forte pensarmos que o berço da humanidade é a África. E encontramos manifestações de matriz africana em todas as partes do mundo. O Brasil é o segundo país no mundo em termos de população negra. O primeiro é a Nigéria, no continente africano e o segundo é o Brasil. A população de Belo Horizonte se constitui de mais de 51% de população negra. Esse tema Encontros avalia como está essa produção africana em Belo Horizonte, no Brasil e também fora”, explica.

Além da programação composta por shows e debates abertos ao público, Rosália destaca ainda a exposição do artista plástico Jorge dos Anjos, nascido em Ouro Preto e residente em Belo Horizonte há alguns anos. “Quando pensamos na exposição do Jorge dos Anjos, avaliamos que ele nunca teve um destaque dentro do festival, e ele é o que consideramos como o mais nobre artista plástico negro do estado de Minas Gerais, com várias obras espalhadas na cidade e que, muitas vezes, têm passado desapercebidas pela maior parte das pessoas e queríamos trazer uma luz sobre este trabalho tão importante”, enfatiza.

O ator e produtor cultural e também curador do FAN BH, Denilson Tourinho pondera que o FAN, nesses 20 anos, fomentou a produção e valorização das artes negras na capital mineira.

“Sou fruto desse processo. O festival contribui para as artes negras e nós contribuímos para que o festival se torne cada vez mais amplo no calendário oficial da cidade”, conta.

A Multiplicidade dos encontros
Segundo Leônidas Oliveira, Presidente da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, "um dos objetivos do festival é promover a convivência entre as várias manifestações culturais, não se restringindo apenas às provenientes de matriz africana, estimulando, dessa forma, a reflexão sobre a tolerância, respeito e diversidade". Um dos momentos que mais simbolizam o que representa o FAN BH é o “Ubuntu - Encontro da Diversidade Religiosa”, que será realizado no dia 28/11, às 14h30, no Parque Municipal, reunindo grupos diferentes ligados às religiões de matriz africana, católica, evangélica, muçulmana e judaica. A palavra Ubuntu é de origem africana e representa a filosofia de diversas tribos. O significado pode ser resumido como “eu sou o que sou por causa de quem todos nós somos”. O encontro prevê justamente o fortalecimento dessa diversidade religiosa, firmando a noção de união diante das diferenças, simboliza essa harmonia entre povos e crenças. O evento contará ainda com A hora do Chá, ação coordenada pela artista plástica, Thereza Portes.

Cortejo e Encontro de Blocos
Nos últimos anos Belo Horizonte presenciou a revitalização vigorosa e espontânea do seu carnaval e, ao mesmo tempo, o surgimento de novos e importantes blocos.
Fazendo jus ao tema “Encontros”, o local de encerramento do tema do 8o FAN BH não poderia ser outro que não a rua, espaço de apropriação, reconhecimento, construções e desconstruções. No domingo, dia 29/11, os blocos Afoxé Bandarerê, Baianas Ozadas, Bloco Oficina Tambolelê, Bloco Afro Fala Tambor e as Sambadeiras e Bloco Afro Magia Negra, realizarão cortejos oriundos de pontos diversos da região central da cidade e se juntarão aos integrantes do  Ilê Aiyê para que, todos juntos, sob a direção musical de Rafael Leite, celebrarem o grande encontro musical, à partir das 16h, na Praça da Estação. O Ilê Aiyê realizará sua apresentação às 17h, no mesmo local.

Ojá
Além das atrações que incluem artes cênicas, literárias e outras, o FAN BH tem como destaque o Ojá - Mercado de Trocas e Saberes, que conta com empreendedores de moda, arte, artesanato e beleza, com trabalhos voltados, principalmente para a temática afro-brasileira. O Ojá estará aberto ao público durante toda a programação do festival, de quinta a domingo, entre os dias 25 e 29 de novembro, no Parque Municipal. Quinta e sexta 18h às 24h, sábado 11h às 24h e domingo de 10h às 19h.

Fanzinho
Entre os destaques dessa edição está o “Fanzinho” cuja programação é voltada especialmente para o público infantil, com atividades como oficinas, filmes e contação de histórias. As atividades estão distribuídas por espaços como Biblioteca Pública Infantil e Juvenil e Parque Municipal.

Encontros Literários
Os Encontros Literários têm o objetivo de promover o debate em torno da literatura feita por escritoras e escritores negros. Nessa edição, o tema principal é a escrita feminina e negra, sobretudo seu caráter de resistência. Para discutir o assunto, as mesas contarão com romancistas, poetas e pesquisadores de destaque nos âmbitos nacional e internacional.

 Cinema no FAN
A programação de cinema do FAN BH traz mais de doze produções africanas originárias do Senegal, RD do Congo, Angola, Moçambique e Burquina Fasso. São vários os temas abordados bem como as linguagens utilizadas conferindo à programação uma diversidade que vale a pena conferir. Alguns filmes foram realizados em parcerias com a França, e o festival os exibe por meio da Cinemateca Francesa. A mostra acontece no Centro de Referência da Moda e no Memorial da Vale, de quinta-feira à sábado, 26 a 28/11
FAN BH - Festival de Arte Negra
Evento: 8o FAN BH – Festival de Arte Negra de Belo Horizonte
Data: 25 a 29 de novembro de 2015.
Informações pelo site:  www.fanbh.com.br
Shows e atividades gratuitas
Inscrições das oficinas pelo site

Nenhum comentário: