27 de out de 2015

FOGO & AR Cacá Lucena lança seu sexto disco autoral


O cantor e compositor Cacá Lucena  realiza no dia 9 de novembro, segunda-feira, às 20h, Oratório Bar (Av Brasil, 161, Santa Efigênia – BH), a noite de autógrafos e lançamento do seu sexto disco autoral “Fogo & Ar”.  O CD conta com a participação especial de: Paulinho Pedra Azul e Fernanda Lucena (filha de Carlos Lucena), que apresenta uma voz poderosa e afinada nas cinco faixas das quais participa, protagonizando ótimos momentos aos ouvintes.


CARLOS LUCENA (Cacá Lucena)

Cantor, compositor e instrumentista mineiro, natural de Joaíma-MG (Vale do Jequitinhonha). É um artista compromissado com suas raízes e dotado de uma imensa sintonia com as ansiedades do país. Manifestou interesse pela música ainda garoto, quando cantava nas matinais do Cine Eldorado em sua terra natal, interpretando músicas que ecoavam da “Jovem guarda”, “Tropicalismo”, Beatles, Bob Dylan, Taiguara, Gonzagão e do contexto regional. Mudou-se para Teófilo Otoni-MG aos sete anos de idade, quando começou a tocar violão e em seguida compôs as primeiras canções.  Venceu festivais em Minas e São Paulo, e gravou os dois primeiros discos na capital paulista quando lá morava no início dos anos 1980. Passou a viver em Belo Horizonte em 1983, buscando consolidação e outras perspectivas artísticas para sua carreira. Em 1989 foi morar novamente em Teófilo Otoni-MG e só retornou para BH em 2010, onde reside atualmente.

Conheci Cacá Lucena faz um bom tempo, ele era um garoto com um sonho na cabeça e um violão na mão. Desde a nossa primeira conversa, notei que mais que um violão,  ele trazia poesia e melodias que arejavam, que mostravam um jeito muito autêntico de expor sentimentos e nos fazer sonhar. Ouço agora com grande alegria seu novo trabalho, "Fogo e Ar", onde tenho a imensa felicidade de participar.  Ouçam com atenção, pois a poesia ainda habita lugares que certamente queremos estar e este CD é um deles”(Sérgio Moreira, cantor e compositor)

 O DISCO

Este é o sexto disco autoral de Carlos Lucena. Apresentando uma poética quase sempre voltada para questões sociais e temas místicos ligados à natureza, ele trata com delicadeza conflitos da existência humana. Na trajetória, registra a participação de valores como Lô Borges, Tadeu Franco, Paulinho Pedra Azul, Sérgio Moreira, Pereira da Viola, Fernanda Lucena, Dércio Marques, Mozart Mello e outros. Lançou seis discos – “Raízes do franco”, de 1982, “A dança das folhas”, de 1985, “Pomar dos deuses”, de 1992, “Brisa aos homens”, de 1999, “Jogo do jogo”, de 2007, e agora, “Fogo e ar”, de 2015.         
Lucena acredita que o maior diferencial da nossa música está no “jeito de fazer” do artista brasileiro, que ele chama de “unidade da mistura”, concebendo sem xenofobia a diversidade cultural do mundo, em um país que se consolida culturalmente pela capacidade do seu artista em absorver e processar informações. No novo CD,“FOGO E AR”, isso é evidente.

“As composições do CD “Fogo e Ar” foram elaboradas ao longo dos últimos sete anos, a partir da percepção, cada vez mais proeminente, dos rumos que a humanidade vem dando às suas relações sociais e afetivas e ao meio ambiente. Referem-se ao modo como estamos encaminhando e viabilizando as condições de vida em nosso planeta, e a qual herança estamos deixando paras as futuras gerações.
Com exceção das canções “Franco”(Carlos Lucena),composta e gravada na década de 1980 e constante do disco “A dança das folhas”, “Cafuzo”,de autoria de Sérgio Moreira, e do clássico “O trenzinho do caipira”, de Heitor Villa Lobos, a qual foi utilizada em um pot-pourri com amúsica“ Nos trilhos da baiminas” (Carlos Lucena) e conta a história da extinta estrada de ferro que ligava os vales do Jequitinhonha e do Mucuri ao mar, todas as demais composições são inéditas, incluindo uma em parceria com Paulinho Pedra Azul, a música “Vejo assim”.
As gravações foram realizadas sem nenhuma preocupação com compromissos que não fossem a valorização artística da composição, como as cores e os contornos que cada som poderia agregar às músicas. E, apesar do direcionamento que eu dava aos arranjos, todos os músicos tiveram liberdade na execução dos instrumentos e contribuíram de maneira brilhante para formatação dos mesmos.
O CD “Fogo e ar” representa para mim bem mais do que uma realização profissional. Representa, sobretudo,a confirmação de que a felicidade está na leveza despretensiosa dessa busca, sem ambicioná-la a qualquer custo. E “Terras pra que te quero”!...Commuita “Estrela-guia”  e a noite presa no luar !.. (Carlos Lucena)

Fogo & Ar traz  Carlos Lucena  (vozes,violões de  6 e 12 cordas, teclado, gaita e arranjo), Fernanda  Lucena(vozes e sax soprano), Jairo de Lara eBebeto(flauta), Sérgio Moreira(kalimba), Esdra Neném Ferreira, Leonardo Tomich eAllysson  Lopes (bateria), Carlos Aleixo (viola orquestral),Mozart Mello, Alex Lisboa, Leonardo Batista e Gabriel Maioline (violão e guitarra), Paulinho Pedra Azul(voz), Dinga, Telmo Rodrigues e Daniel Lucena (baixo), Zeca Magrão e Betho (percussão), Rodrigo Vasconcelos e  Clecinho Lucena(acordeão e escaleta), Sergio Vasconcellos e Rafhael Tomich(piano e teclado) e Passarinhada (Maria preta, Canário, Curió, Coleira e Sabiá). O disco tem ilustrações de Daniel Lucena e Wellington Lima e  arte final de Daniel Lucena. No repertório:Terras pra que te quero, Estrela-guia, Amor sem fim, O fogo da paixão, Na luta do seu dia, Cafuzo (Sergio Moreira),Vejo Assim (parceria com Paulinho Pedra Azul), Nas trilhas da baiminas/ O Trenzinho do Caipira (Villa-Lobos), Franco, Fogo & Ar e Pra que tanta pressa.
  
“É difícil encontrar um artista que faz da sua arte uma interligação com a própria vida. Grande parte dos artistas possuem duas ou mais imagens, e a que transparece no palco é bem diferente daquela apresentada no cotidiano. Com Lucena isso não acontece.  A sua arte é ele próprio. A sua proposta musical reflete o seu ideal de vida contida na sonoridade de sua música e de sua poesia. Romântico e essencialmente místico, Cacá Lucena acredita no aprimoramento do homem como ser sensitivo. Lucena goza de um respeito e prestígio que poucos artistas, mesmo vivendo em grandes centros não conseguem ter. É um artista extremamente talentoso, dono de uma voz bela e calibrada, e mantém a mesma simplicidade, transformando o ato de cantar numa atitude tranquila”. (Carlos Felipe, jornalista e folclorista)

 NOITE DE AUTÓGRAFOS E LANÇAMENTO DO CD “FOGO & AR”
de Cacá Lucena
9 de novembro, segunda-feira, às 20h
Oratório Bar
Av Brasil, 161, Santa Efigênia – BH
ENTRADA FRANCA

Nenhum comentário: