28 de out de 2015

DEZ ANOS SEM MARIA HELENA BUZELIN


lançamento de selo alusivo à artista terá solenidade no Museu Histórico Abílio Barreto
    
Em solenidade aberta ao público, no dia l4 de novembro, sábado, a partir das l7h, no Museu Histórico Abílio Barreto (Av. Prudente de Morais, 202 – Cidade Jardim – BH – MG), será lançado umselo alusivo à grande artista Maria Helena Buzelin, falecida há dez anos.

Cantora lírica renomada, com projeção internacional, Maria Helena Buzelin deixou precioso acervo lançado in memoriam, em 2013, no Grande Teatro do  Palácio das Artes. “Memória Maria Helena Buzelin” traz seis discos, contendo trechos de óperas e música camerística, contemplando sua presença nos maiores teatros brasileiros, nos Estados Unidos, em Genebra e uma entrevista sobre sua carreira e vida.

O objetivo da solenidade do dia 14 é relembrar seus melhores momentos, nas vestes dos inúmeros personagens líricos empreendidos, sobretudo no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, no “Francisco Nunes”, em Belo Horizonte e  demais teatros do país e do exterior. A programação contará comexposição de acervo e vídeos, faixas dos aludidos discos.  

Comentários por José Carlos Buzelin, crítico de música e irmão da soprano, preencherão a programação. Na oportunidade, o público poderá  participar da palestra mediante intervenções, debates e esclarecimentos.

A atração é Wanda Werneck, festejada voz de Minas Gerais, celebrando tanta saudade, nainterpretação da ária “Mon coeur s’ouvre a tá voix”, da ópera “Sansão e Dalila”, de Saint Saëns.

Serão sorteados alguns exemplares do álbum da aludida “Memória” e haverá distribuição do seloem questão.

27 de out de 2015

FOGO & AR Cacá Lucena lança seu sexto disco autoral


O cantor e compositor Cacá Lucena  realiza no dia 9 de novembro, segunda-feira, às 20h, Oratório Bar (Av Brasil, 161, Santa Efigênia – BH), a noite de autógrafos e lançamento do seu sexto disco autoral “Fogo & Ar”.  O CD conta com a participação especial de: Paulinho Pedra Azul e Fernanda Lucena (filha de Carlos Lucena), que apresenta uma voz poderosa e afinada nas cinco faixas das quais participa, protagonizando ótimos momentos aos ouvintes.


CARLOS LUCENA (Cacá Lucena)

Cantor, compositor e instrumentista mineiro, natural de Joaíma-MG (Vale do Jequitinhonha). É um artista compromissado com suas raízes e dotado de uma imensa sintonia com as ansiedades do país. Manifestou interesse pela música ainda garoto, quando cantava nas matinais do Cine Eldorado em sua terra natal, interpretando músicas que ecoavam da “Jovem guarda”, “Tropicalismo”, Beatles, Bob Dylan, Taiguara, Gonzagão e do contexto regional. Mudou-se para Teófilo Otoni-MG aos sete anos de idade, quando começou a tocar violão e em seguida compôs as primeiras canções.  Venceu festivais em Minas e São Paulo, e gravou os dois primeiros discos na capital paulista quando lá morava no início dos anos 1980. Passou a viver em Belo Horizonte em 1983, buscando consolidação e outras perspectivas artísticas para sua carreira. Em 1989 foi morar novamente em Teófilo Otoni-MG e só retornou para BH em 2010, onde reside atualmente.

Conheci Cacá Lucena faz um bom tempo, ele era um garoto com um sonho na cabeça e um violão na mão. Desde a nossa primeira conversa, notei que mais que um violão,  ele trazia poesia e melodias que arejavam, que mostravam um jeito muito autêntico de expor sentimentos e nos fazer sonhar. Ouço agora com grande alegria seu novo trabalho, "Fogo e Ar", onde tenho a imensa felicidade de participar.  Ouçam com atenção, pois a poesia ainda habita lugares que certamente queremos estar e este CD é um deles”(Sérgio Moreira, cantor e compositor)

 O DISCO

Este é o sexto disco autoral de Carlos Lucena. Apresentando uma poética quase sempre voltada para questões sociais e temas místicos ligados à natureza, ele trata com delicadeza conflitos da existência humana. Na trajetória, registra a participação de valores como Lô Borges, Tadeu Franco, Paulinho Pedra Azul, Sérgio Moreira, Pereira da Viola, Fernanda Lucena, Dércio Marques, Mozart Mello e outros. Lançou seis discos – “Raízes do franco”, de 1982, “A dança das folhas”, de 1985, “Pomar dos deuses”, de 1992, “Brisa aos homens”, de 1999, “Jogo do jogo”, de 2007, e agora, “Fogo e ar”, de 2015.         
Lucena acredita que o maior diferencial da nossa música está no “jeito de fazer” do artista brasileiro, que ele chama de “unidade da mistura”, concebendo sem xenofobia a diversidade cultural do mundo, em um país que se consolida culturalmente pela capacidade do seu artista em absorver e processar informações. No novo CD,“FOGO E AR”, isso é evidente.

“As composições do CD “Fogo e Ar” foram elaboradas ao longo dos últimos sete anos, a partir da percepção, cada vez mais proeminente, dos rumos que a humanidade vem dando às suas relações sociais e afetivas e ao meio ambiente. Referem-se ao modo como estamos encaminhando e viabilizando as condições de vida em nosso planeta, e a qual herança estamos deixando paras as futuras gerações.
Com exceção das canções “Franco”(Carlos Lucena),composta e gravada na década de 1980 e constante do disco “A dança das folhas”, “Cafuzo”,de autoria de Sérgio Moreira, e do clássico “O trenzinho do caipira”, de Heitor Villa Lobos, a qual foi utilizada em um pot-pourri com amúsica“ Nos trilhos da baiminas” (Carlos Lucena) e conta a história da extinta estrada de ferro que ligava os vales do Jequitinhonha e do Mucuri ao mar, todas as demais composições são inéditas, incluindo uma em parceria com Paulinho Pedra Azul, a música “Vejo assim”.
As gravações foram realizadas sem nenhuma preocupação com compromissos que não fossem a valorização artística da composição, como as cores e os contornos que cada som poderia agregar às músicas. E, apesar do direcionamento que eu dava aos arranjos, todos os músicos tiveram liberdade na execução dos instrumentos e contribuíram de maneira brilhante para formatação dos mesmos.
O CD “Fogo e ar” representa para mim bem mais do que uma realização profissional. Representa, sobretudo,a confirmação de que a felicidade está na leveza despretensiosa dessa busca, sem ambicioná-la a qualquer custo. E “Terras pra que te quero”!...Commuita “Estrela-guia”  e a noite presa no luar !.. (Carlos Lucena)

Fogo & Ar traz  Carlos Lucena  (vozes,violões de  6 e 12 cordas, teclado, gaita e arranjo), Fernanda  Lucena(vozes e sax soprano), Jairo de Lara eBebeto(flauta), Sérgio Moreira(kalimba), Esdra Neném Ferreira, Leonardo Tomich eAllysson  Lopes (bateria), Carlos Aleixo (viola orquestral),Mozart Mello, Alex Lisboa, Leonardo Batista e Gabriel Maioline (violão e guitarra), Paulinho Pedra Azul(voz), Dinga, Telmo Rodrigues e Daniel Lucena (baixo), Zeca Magrão e Betho (percussão), Rodrigo Vasconcelos e  Clecinho Lucena(acordeão e escaleta), Sergio Vasconcellos e Rafhael Tomich(piano e teclado) e Passarinhada (Maria preta, Canário, Curió, Coleira e Sabiá). O disco tem ilustrações de Daniel Lucena e Wellington Lima e  arte final de Daniel Lucena. No repertório:Terras pra que te quero, Estrela-guia, Amor sem fim, O fogo da paixão, Na luta do seu dia, Cafuzo (Sergio Moreira),Vejo Assim (parceria com Paulinho Pedra Azul), Nas trilhas da baiminas/ O Trenzinho do Caipira (Villa-Lobos), Franco, Fogo & Ar e Pra que tanta pressa.
  
“É difícil encontrar um artista que faz da sua arte uma interligação com a própria vida. Grande parte dos artistas possuem duas ou mais imagens, e a que transparece no palco é bem diferente daquela apresentada no cotidiano. Com Lucena isso não acontece.  A sua arte é ele próprio. A sua proposta musical reflete o seu ideal de vida contida na sonoridade de sua música e de sua poesia. Romântico e essencialmente místico, Cacá Lucena acredita no aprimoramento do homem como ser sensitivo. Lucena goza de um respeito e prestígio que poucos artistas, mesmo vivendo em grandes centros não conseguem ter. É um artista extremamente talentoso, dono de uma voz bela e calibrada, e mantém a mesma simplicidade, transformando o ato de cantar numa atitude tranquila”. (Carlos Felipe, jornalista e folclorista)

 NOITE DE AUTÓGRAFOS E LANÇAMENTO DO CD “FOGO & AR”
de Cacá Lucena
9 de novembro, segunda-feira, às 20h
Oratório Bar
Av Brasil, 161, Santa Efigênia – BH
ENTRADA FRANCA

IDEA Espaço Cultural realiza curso sobre a obra de Caio Fernando Abreu


VANESSA SOUZA - FOTO CICA ALMEIDA

Com palestra inaugural e aula aberta ao público, terá início no dia 12 de novembro, quinta-feira, às 19h, no Auditório Nélida Piñon, do IDEA Espaço Cultural (Rua Bernardo Guimarães, 1200 – Funcionários – BH – MG),  o curso “Caio Fernando Abreu: amor e (des)amor, a incansável busca”. Os estudos serão conduzidos pela mestra em psicanálise com linha de pesquisa em literatura, jornalista, psicanalista clínica e escritora catarinense, Vanessa Souza.
Com o objetivo de apresentar e discutir a obra de Caio Fernando Abreu, o autor e seu processo de criação, bem como a sua relação com a psicanálise e a universalidade de sua obra, o curso sera ministrado em quatroo módulos, com carga horária total de seis horas.  A oficina abrange o fazer literário do escritor gaúcho Caio F. (maneira como o autor assinava suas missivas). Na obra de Caio Fernando Abreu (1948-1996), esse olhar (do escritor, das personagens) de retinas fatigadas buscava apenas uma coisa: amor.
Os livros de Caio F. são dedicados à insaciabilidade dos homens. O desencanto. O desencontro. A desilusão. Sua escrita nos atira violentamente ao vazio das grandes metrópoles – cigarros e drogas em excesso, ideias encharcadas em álcool e a embriaguez da solidão. Algumas formulações de Freud e Lacan acerca da literatura e dos escritores, leitura feita a partir da obra do escritor gaúcho contemporâneo, também serão abordadas. Os encontros pretendem, portanto,  apresentar e discutir a obra de Caio Fernando Abreu, o autor e seu processo de criação, bem como sua relação com a psicanálise e a universalidade de seu legado. Os alunos vão produzir um texto ao longo das aulas. 
As inscrições para o curso já estão abertas. Estudantes receberão certificado de participação com discriminação de carga horária. Informações adicionais e inscrições: (31) 33091518 e info@ideacultura.com.br
PROGRAMAÇÃO
12 de novembro, 19h às 21h, palestra inaugural/aula magna aberta ao público: Fragmentos de Caio Fernando Abreu: vida e obra em pequenas epifanias. 
26 de novembro, 19h às 21h - Módulo 1: Quem foi Caio Fernando Abreu e suas múltiplas narrativas (conto, crônica, romance, carta e poesia).
03 de dezembro, 19h às 21h -  Módulo 2: O processo criativo de Caio Fernando Abreu. Parte desse processo está ligado ao inconsciente e há uma breve leitura sob a ótica de Freud e Lacan.
10 de dezembro, 19h às 21h -  Módulo 3: Os principais temas abordados por Caio Fernando Abreu, a universalidade de sua obra e o papel do escritor como pensador de seu tempo.
Vanessa Souza é catarinense, mestra em psicanálise com linha de pesquisa em literatura. Possui graduação em jornalismo e nos últimos anos trabalha com jornalismo literário, com ênfase nas mídias sociais. É especializada em moda e comunicação e é psicanalista clínica. Cursou um ano de doutorado em literatura brasileira na UFRJ, até mudar-se para Belo Horizonte em 2015. É autora do romance-vir-a-ser “Luísa”, com lançamento previsto para 2016. Também produz o blog literário:www.vemcaluisa.blogspot.com.br

CAIO FERNANDO DE ABREU (por Vanessa Souza)
Caio Fernando Abreu é o escritor brasileiro contemporâneo que mais aprecio. Desde que me deparei com seu clássico “Morangos mofados”, na biblioteca da Universidade Regional de Blumenau (FURB/SC), há cerca de duas décadas, sabia que sua escrita iria me marcar indelevelmente como leitora. Na época, sugeri que meus amigos lessem seus livros – nenhum deles, até então, tinha a menor ideia de quem era o autor gaúcho.
Como grande admiradora da obra de Clarice Lispector (que descobri bem antes de ler os livros de Caio F.), eu me identifiquei profundamente com os escritos caioferdianos, sem saber exatamente os motivos de tal arrebatamento. Na época desconhecia a influência de Clarice na obra do escritor gaúcho.
Antes de ingressar no mestrado, participei de um congresso de psicanálise em Ribeirão Preto/SP, que tinha como tema a paixão. Foi aí que escolhi o assunto de minha dissertação. Durante uma das palestras lembrei subitamente do conto de Caio Fernando Abreu chamado “Extremos da paixão”. Nesse momento decidi que escreveria sobre a paixão e o amor na obra de Caio F."
Tenho todos os livros do Caio F. Todas as antologias das quais ele participou. Edições raras. Já tive acesso à cartas que a família não autorizou a publicação, pequeno delito cometido por uma amiga que trabalhava na Casa de Rui Barbosa. Sou uma caiomaníaca, com muito orgulho.
Sou blogueira também (www.vemcaluisa.blogspot.com.br) e na tag Caio F. há cerca de 250 trechos do autor. Exagero? Como ficar indiferente a uma pessoa que escreveu coisas como: “Ficou um silêncio cheio de becos.” Ou: “(...) como é triste lembrar do bonito que algo ou alguém foram quando esse bonito começa a se deteriorar irremediavelmente.” E ainda: "O que eu não sabia nem poderia saber - em parte porque aos 20 anos a gente pouco sabe além da própria fome, em parte porque não podia, nem posso ou podemos, prever o futuro - é que embora parecesse tarde, era ainda cedo." Não é de dilacerar a alma? Sim, sim, todos os sins para a produção literária do Caio: contos, romance, novelas, crônicas, roteiros de teatro, cartas, bilhetes...
Por fim, saber que o escritor gaúcho precisava viver – e viveu muito, sorveu até a última lufada de ar que conseguiu – para escrever, me estimula ainda mais a ler e estudar sua obra. "Não escrevo senão sobre o que conheço profundamente. Meus livros me perseguem durante muito tempo. Nunca tive nada a não ser a bagagem de minhas experiências."

VISITE:

IDEA Espaço Cultural apresenta
Curso  Caio Fernando Abreu: amor e (des)amor, a incansável busca”,
com Vanessa Souza
12  de novembro a 10 de dezembro, sempre às quintas-feiras, de 19h às 21h
Auditório Nélida Piñon - IDEA Espaço Cultural
Rua Bernardo Guimarães, 1200 – Funcionários – BH – MG
Aula inaugural (12/11) gratuita.
Informações adicionais e inscrições: (31) 33091518 -info@ideacultura.com.br

15 de out de 2015

MAHASIDHA NAYADA, XAMÃ SIBERIANA, PELA PRIMEIRA VEZ EM BH!





“Minha maior satisfação é ver as pessoas felizes e eu dedico toda a minha vida para ensinar os métodos mais eficazes que ajudam a fortalecer suas asas e voar livremente” (Nayada)

Pela primeira vez em Belo Horizonte, a xamã siberiana Mahasidha Nayada, etnoterapeuta, cosmoenergeticista, especialista em psicologia transcendental e métodos profundos de abordagem em neurociências, realiza uma série de eventos na capital mineira. As inscrições para os eventos que acontecem de 20 a 29 de outubro, no Juçara Costa Espaço Arte e Vida (Rua Pouso Alto, 199 – Serra – BH – MG), já estão abertas.
Nayada, nascida numa pequena vila das montanhas de Altai, na Sibéria, é sacerdotisa e guardiã de Conhecimentos Ancestrais,  reconhecida como uma poderosa xamã de cura e está no Brasil para abrir Simpósio de Saúde Quantum em Brasília, com meditação e cura xamânica. O evento em BH é realizado pela Ko’nektar em parceria com Florais Filhos do Sol e tem o apoio de Marcus Viana.
Neste temporada, Mahasidha vai ensinar técnicas espirituais de cura, sucesso nos negócios, na vida pessoal e desbloqueio da energia sexual. Oportunidade especial de contato com o que há de mais avançado em terapia holística.
Informações adicionais e inscrições: (31) 988205281/  995338934
PROGRAMAÇÃO
20 de outubro, terça-feira, 19h: Meditação do Círculo de Oração de Cura – CHP
No momento da meditação, abre-se um canal muito poderoso para receber a energia curativa dos mestres que ajudam no desenvolvimento da Terra e de todos os seres que nela vivem. Cada pessoa recebe aquilo que está pronta a receber. Venha aprender sobre as técnicas de expansão da consciência e defesa psíquicas à luz do xamanismo siberiano.
21 de outubro, quarta-feira, 19h às 22h: - Workshop – Como usar a energia Kundalini para ter sucesso em sua vida profissional – Prosperidade com Espiritualidade
Através de aulas teórica e prática, aprenderemos com a poderosa energia Kundalini – energia da vida neste planeta – para subir aos chakras, energizando-os e explorando o potencial de cada um deles.
22 de outubro, quinta-feira, 19h às 22h:  Ritual para desbloquear a energia sexual -  (No Tibet é chamado de Coroa do Celibato) – isto impede que as pessoas encontrem o parceiro ideal e a harmonia nos relacionamentos amorosos.
Neste ritual vamos aprender a transformar em puro amor incondicional as energias que adquirimos ao longo de nossa vida afetiva.
24 de outubro, sábado, 9h às 19h: Seminário de Cura e Integração das Energias Femininas e Masculinas.
Este seminário ensina como curar e integrar relacionamentos e vida íntima, libertar-se da dependência emocional e elevar a energia kundalini para conexão com nosso Eu Divino, além de técnicas que vão permitir o auto-conhecimento íntimo.
26 de outubro, segunda-feira, 19h às 22h –  Ritual - Contato com o seu ONOMÊ- a sua segunda metade cósmica.
Você vai aprender a conhecer o seu Onomê: um espírito auxiliar que ajuda a pessoa  no mundo dos sonhos e que é o seu protetor nesta vida. É uma prática xamânica muito forte, na qual muitas pessoas vêem e sentem o seu protetor.
27 de outubro, terça-feira, LUA CHEIA DE TOURO, 19 às 22h: Cerimônia sagrada para atrair a saúde e a prosperidade
Na cerimônia vamos usar as energias da Lua Cheia de Touro para atrair as qualidades positivas deste signo.
28 de outubro, quarta-feira, 19 às 22h:  Workshop – Como criar o seu destino para 2016
Vamos aprender a importância de cocriar a vida, através de práticas de como criar o que mais desejamos.
MAHASIDHA NAYADA
Nayada é etnoterapeuta, cosmoenergeticista, especialista em psicologia transcendental e métodos profundos de abordagem em neurociências.
Em seus ensinamentos, ela combina o conhecimento arcaico, a metodologia científica  moderna e as pesquisas no campo da psicologia, em um sistema único de tratamento.
Em 2007, ela já havia se familiarizado com mais de 10 sistemas de desenvolvimento  feminino. Então, usando a sabedoria e o conhecimento da antiga Índia , bem como as  pesquisas modernas do mundo ocidental, ela criou uma metodologia de treinamentos para o  desenvolvimento integral das mulheres, para a cura e prevenção das doenças do sistema  urogenital e para a reabilitação da mulher após divórcios e situações de stress.
Em um trabalho individual ou coletivo, ela ajuda cada estudante a desenvolver a  autoabertura e a autoafirmação, ensinando-lhes a encontrar o seu próprio lugar na vida, através do sentimento interno de naturalidade, de autoadaptação e de desenvolvimento na sociedade.
 Usou um extenso estudo do papel da mulher em tradições populares ao redor do mundo, como base para uma série de artigos:  “O ciclo reencarnatório das mulheres;  “O Sistema de Clãs nas Bases e Tradições Familiares”; “Sinergia nos relacionamentos”.
Programas de sua autoria: A ciência dos Desejos; Business Light – a tecnologia do sucesso total no mundo dos negócios; Gestão do Stress – como mantê-lo no ponto ideal;  A Arte de Cleópatra na vida de uma mulher moderna; O Lótus dourado da saúde.
Profunda especialista em trabalhos de desenvolvimento e cura da energia feminina, desde 2004 ela multiplica os seus conhecimentos com pessoas da Europa e Américas.
Nascida no berço da civilização xamânica siberiana, Nayada cresceu convivendo com a avó - uma grande xamã que curava pessoas numa pequena vila das montanhas do Altai.  Dessa
Realizou inúmeras expedições aos lugares de poder do nosso planeta, como: Índia, Egito, Samarcanda (Usbequistão), Egito, Brasil, México, Altai, Arkaim que lhe deram uma valiosa experiência e deixaram uma impressão inesquecível na alma da futura etnoterapeuta.
Sua profunda educação espiritual  teve lugar nas montanhas do Altai. Lá ela se familiarizou com as práticas arcaicas de xamãs e curandeiros siberianos. Por sete anos consecutivos, ela abandonou o mundo social e ficou em retiro numa pequena vila Altaica, onde foi educada por um  Alto Mestre do Conhec imento Espiritual. Tornou-se sacerdotisa e guardiã de Conhecimentos Ancestrais. É reconhecida como uma poderosa xamã de cura.


13 de out de 2015

Na ESTRÉIA do PROJETO MEMÓRIAS REFLETIDAS, Nélio Rodrigues convida a jornalista Cláudia Giudice, autora do livro: "A vida sem Crachá"



.

Será no dia 20 de outubro, terça-feira, 9h40, no Museu Inimá de Paula (Rua da Bahia, 1201 - Centro, Belo Horizonte - BH –MG), a estréia do Projeto Memórias Reflétidas, do jornalista e fotógrafo Nélio Rodrigues. A convidada que se apresenta em talk show – palestra interativa  - é a paulista Cláudia Giudice (leia-se através de sua trajetória profissional, como Veja, Jornal do Brasil, CARAS,  Contigo!, Bravo!, Claudia, Superinteressante e Quatro Rodas). Cláudia traz na bagagem o sucesso do seu livro “Vida sem crachá”, que será lançado no evento.
Na programação do dia 20, os convidados também verão aexposição de fotografias projetada e vídeo documentário do projeto "MEMÓRIAS REFLETIDAS", de Nélio Rodrigues.
O evento, tem entrada franca e será para 150 mulheres convidadas por Nélio Rodrigues, amplia o universo belo-horizontino de acesso à cultura e informação de qualidade.

NÉLIO RODRIGUES
A carreira do jornaista Nélio Rodrigues na fotografia sempre é marcada pelo caráter de observação atenta, documentando e apresentando os temas retratados com aspectos inusitados que dão personalidade às imagens e às notícias ou revelam com fidelidade, que tange aspectos sutis, as pessoas alvo de seus portraits.

Nélio Rodrigues é um profissional comprometido com a técnica unida  à sensibilidade do fazer. E a inquietude do seu pensar, consciência de realidade, pés nas tecnologias disponíveis, o faz dinâmico e incansável na qualidade clara de unir o prazer com que atua, aos avanços das plataformas e suportes que podem ser instrumento sempre atual do seu trabalho.

O avanço da tecnologia das câmeras fotográficas digitais, ampliou suas pesquisas com a finalidade de gerar novos caminhos.  Encontrou seu  formato unindo a expertise jornalística ao seu dom de comunicar em entrevistas com foto, texto e vídeo.
"A decisão era minha, continuar como fotógrafo, ou me completar e me realizar com outra pegada na profissão". (seu mote interior para ir além)
Hoje,  Rodrigues, observa,  fotografa, entrevista, filma, edita e ainda escreve nos seus projetos pessoais. Assim, nasceram o projeto " O chute da Revolta e, agora, "Memórias Refletidas".
Nélio Rodrigues é profissional sem ponto final...

O PROJETO MEMÓRIAS REFLETIDAS
A coluna "Memórias Refletida” do fotógrafo e jornalista Nélio Rodrigues, é publicadas aos sábados em um jornal da capital. A publicação semanal, é voltado para as mulheres de Belo Horizonte, que agora tem um novo espaço para contar as suas historia que viveram na capital.  "Eu estudei o formato da coluna durante alguns anos, e que acabou virando uma realidade na mídia impressa e nas redes sociaisÉ o primeiro jornal impresso que usa o aplicativo QR code para o leitor assistir o vídeo da matéria pelo celular ou tabet", fala com alegria do pionerismo. O fotógrafo executa as multi-funções de fotógrafo, repórter, cinegrafista, diretor, editor e escritor. 
“O espelho que reflete os principais lugares de Belo Horizonte é o mesmo que revela as lembranças e emoções das mulheres que vivem e ajudam a construir uma cidade", (Nélio Rodrigues)
Saindo das paginas do jornal a coluna do jornalista estreia no mês de outubro,  o primeiro evento relacionado a esse projeto, com uma palestra para 150 mulheres convidadas, entre empresária e atuantes em outros segmentos da  sociedade mineira. A primeira convidada para falar de suas experiências de 23 anos como funcionária do grupo Abril e que virou empreendedora, é a jornalista Cláudia Giudice (em anexo o PDF com sua apresentação). A jornalista,  hoje,   proprietária  de uma pousada e escritora do blog "A VIDA SEM CRACHÁ", chega a BH  para compartilhar as suas experiências com as mineiras.

CLÁUDIA GIUDICE
Jornalista formada pela PUC-SP, é mestre em jornalismo comparado pela Universidade São Paulo com uma tese sobre a revista CARAS, trabalhou nos principais veículos de imprensa do Brasil, como Veja,  Jornal do Brasil, CARAS, Contigo!, Bravo!, Claudia, Superinteressante e Quatro Rodas.  Foi executiva por 9 anos, respondendo por 40 diferentes marcas da  maior editora de revista do Brasil.
Desde agosto de 2014, vive sem crachá após 23 anos de trabalho nesta grande editora.  
Atualmente é sócia proprietária da Pousada A Capela na Bahia e  autora do livro A Vida Sem Crachá (editora Agir). Escreve quase diariamente para o blog e site www.vidasemcracha.com.br Um texto sobre a experiência de aprender a fazer suco depois de 30 anos de  carreira bem-sucedida no jornalismo de revista, motivou o convite para o livro que já está na segunda edição.
O projeto Vida sem crachá nasceu a partir de um insight. A autora estava pedalando na ciclovia da avenida Faria Lima, em São Paulo,  quando teve a ideia de escrever histórias sobre seu novo momento profissional. Publicou o primeiro texto no Facebook e a repercusão foi muito positiva. Passou a publicar quase que diariamente no  blog “claudiagiudiceemavidasemcrachá”.
Um texto sobre a experiência de “aprender a fazer suco de laranja”  motivou o convite para escrever a obra Vida sem crachá para a Ediouro. Em três meses, no primeiro verão sem carteira assinada, Claudia  escreveu e viveu o livro.
O convite para escrever no projeto Draft do colega Adriano Silva potencializou o projeto Vida Sem Crachá, já que a publicação teve 428 mil leituras  94 mil compartilhamentos. “Não sabia que os assuntos demissão, plano
 B e reinvenção eram tão fortes e mobilizadores”, diz Claudia . O tema vida sem crachá também foi pauta da programa Saia Justa, do GNT:  http://gnt.globo.com/programas/saia-justa/videos/4189761.htm
O sucesso do projeto levou à criação de um site, vida sem crachá, no qualClaudia publica histórias sobre empreendedorismo, plano B, modos de vida
alternativos e sustentáveis e também um pouco de ficção.
Meu escritório agora é na sala da minha casa em São Paulo ou na varanda da
minha pousada na Bahia. Me contratei para escrever pelos próximos cinco anos. Quero viajar o Brasil fazendo palestras e colecionando histórias para novos posts. Espero ajudar outras pessoas que perderam o crachá a reinventar
sua vida profissional e pessoal”, revela Cláudia Giudice.

9 de out de 2015

Coordenador do Plano Metropolitano (2009/2011) e Programa de MacroZoneamento da Região Metropolitana de BH (2013/2015), o arquiteto e urbanista Roberto Luís Monte-Mór realiza palestra interativa no IDEA Espaço Cultural


No dia 15 de outubro, quinta-feiraàs 19h, o IDEA Palestras recebe o respeitável arquiteto e urbanista Roberto Luís Monte-Mór.  Em evento inédito, o convidado realiza a palestra interativa: “Planejamento Metropolitano em Belo Horizonte: propostas por uma região mais justa!”.
As inscrições para o evento já estão abertas, na secretaria do IDEA Espaço Cultural (Rua Bernardo Guimarães, 1200 – Funcionários – BH – MG), local do evento.
Estudantes recebem certificado de participação, com discriminação de carga horária, mediante solicitação.
Informações adicionais: (31)33091518 e info@ideacultura.com.br

ROBERTO LUÍS MONTE-MÓR:
Arquiteto e Urbanista formado pela UFMG, mestre em Planejamento Urbano Local pela UFRJ, PhD.  em Planejamento Urbano pela Universidade da Califórnia, Los Angeles – UCLA. É professor do  departamento de economia da Face/UFMG, e professor dos centros de pós graduação em economia  e demografia (Cedeplar) e arquitetura e urbanismo (NPGAU), ambos da UFMG. Ensina e pesquisa  nas áreas de urbanização, planejamento, meio ambiente, cultura, principalmente em Minas Gerais e  na Amazônia. Coordenou o Plano Metropolitano de Belo Horizonte (2009-2011) e o Programa de  MacroZoneamento da RMBH (2013-2015).

O TEMA:
O Plano Metropolitano de Belo Horizonte – conhecido como PDDI-RMBH – foi elaborado pela Universidade Federal de Minas Gerais, com a participação da PucMinas e da Universidade do Estado de Minas Gerais, em uma experiência inédita no país onde universidade e governos se uniram para propor políticas e ações para uma região metropolitana. O PDDI inovou em vários aspectos, procurando um diálogo amplo com Estado e municípios, formando pessoas e organizações sociais e política, buscando uma participação da população bastante ampla (mesmo assim, ainda limitada). Procurou formas metodológicas participativas, fez propostas estruturantes de longo prazo, mas também propostas de programas e projetos de curto prazo. Um programa já desenvolvido pela mesma equipe foi o Macrozoneamento Metropolitano, concluído este ano. Diversas outras propostas vem sendo desenvolvidas pela equipe e pela Agência Metropolitana, e entre elas pode-se citar a Trama Verde e Azul e os LUMEs. A Trama propõe a reestruturação da Região Metropolitana de Belo Horizonte com base na recuperação e valorização do seu patrimônio  natural e cultural. Os LUMEs propõem a formação de uma rede de espaços de cidadania, de  formação e informação permanentes, envolvendo universidades, sociedade, municípios e o Estado.
Outros programas propostos devem ser discutidos e implementados.

CONHEÇA: www.ideacultura.com.br 

Fundação Municipal de Cultura lança edital de ocupação dos Teatros Marília e Francisco Nunes



A Fundação Municipal de Cultura abre de 23 a 27 de novembro as inscrições de espetáculos para ocupação dos Teatros Marília e Francisco Nunes. Serão selecionados espetáculos de teatro, dança ou música, mostras ou festivais, destinados ao público adulto e infantil, para uso entre os dias 10 de março e 4 de dezembro de 2016. O edital encontra-se disponível para consulta no site www.bhfazcultura.pbh.gov.br.

As inscrições devem ser feitas presencialmente, na sede da FMC, de segunda a sexta-feira, das 9h às 13h e das 14h às 17h, na Diretoria das Artes Cênicas e da Música. As instruções e a documentação exigida para a inscrição podem ser consultadas no edital.

Após as inscrições, a Comissão Organizadora fará o trabalho de habilitação das propostas, no qual é verificado se o candidato cumpre as exigências documentais previstas no edital. Na sequência, as propostas habilitadas serão avaliadas por uma Comissão de Classificação e Seleção composta por seis membros titulares e respectivos suplentes. 

6 de out de 2015

O MINAS TREND PREVIEW JÁ COMEÇOU!

O Minas Trend Preview Outono/Inverno 2016 começa com gás total, revelando, nos looks, "a força de quem faz" - da criatividade do atelier e do requinte delicado das artesãs à inovação e ao empreendedorismo que dão o diferencial à indústria da moda mineira. A noite de abertura foi um sucesso. Na passarela o branco tomou conta, revelando suas possibilidades em materiais, estilos e detalhes. Em alguns momentos o vermelho valorizou ainda mais a proposta e nas cores da bandeira de Minas, ao som de um coral fabuloso, no backstage, sob cortina branca, as modelos disseram com elegância, porque a moda deste Estado é internacional.
O Coral Cantos de Minas, regido pelo Maestro Lindomar Gomes, merece destaque especial. O Grupo executou  The things that dreams are made (Human League) Mad Worlds (Gary Jules) e The Model (Kraftwerk).  Em apresentação impecável merecia estar  à mostra, mas, sua música falou tudo. Não resisti e obtive com o maestro o áudio quepode ser conferido em: https://www.dropbox.com/s/y0i8l1c2sdebk1s/MINAS%20TREND%20BASE%20COM%20CHORAL.mp3?dl=0
O presidente da FIEMG Olavo Machado Junior, marcava o centro do line up, ladeado por  empresários e convidados vip - Manoel e Vera Bernardes, Júnia Gomes, Marta Guerra, Fernando Varella, o reitor da UEMG Dijon Moraes e sua esposa Clarice Figueiredo e, ainda,  esta editora que vos fala, entre outros nomes,  tiveram seus lugares na primeira fila seleta pela gerente de Relações Públicas da FIEMG, Marilu Sette Câmara, sempre exímia anfitriã. Coquetel capitaneado por Pichita Lanna lotou o foyer da Expominas, proporcionando confraternização do munda da moda, com ampla cobertura da mídia nacional. 
Para a 17ª edição do Minas Trend, a  lista de celebridades confirmadas tem nomes como a atriz Camila Queiroz, a Angel de “Verdades Secretas”, que desfilará para a marca Fabiana Milazzo. A lista inclui ainda outros formadores de opinião, entre modelos, atrizes e blogueiras renomadas. 
Entre as tops confirmadas para o primeiro dia de desfiles está Fernanda Lis, que subirá na passarela da Vivaz. O segundo dia do evento contará com outros nomes de destaque: as tops Daiane Conterato e Dani Witt. 
Também com presença confirmada no evento e, cadeira reservada na fila A, as atrizes Claudia Ohana, Luma Costa, Maria Joana e Anaju Dorigon irão conferir de perto o que a moda mineira preparou para o Inverno 2016. 
Personalidades da internet, entre instagrammers e blogueiras, também marcarão presença. Flávia Santos e Roberta Santos (santteestilo), Consuelo Blocker (Consuelo Blog), Nathália Lustosa (Vestidos N), Carol Gaia (Carol Gaia), Ana Gabriela (Rica de Marre), Layla Monteiro (Layla Monteiro), Letícia Turano (Le Turano), Pamella Ferrari (Mamella Ferraric), Bia Perotti (Os Achados por Bia Perotti), Fran Sartor (Capitao Zeferino) são alguns dos nomes que garantiram lugar no evento.
Hoje, às 11h, Vivaz abre a passarela, para os dois dias de desfile. Até sexta, o Salão de Negócios abre as oportunidades para veteranos e estreantes. 250 marcas de todo o Brasil. Boa sorte e sucesso a todos os envolvidos! (Márcia Francisco)

Confira alguns cliques by Márcia Francisco:







"A força de quem faz" sob o  ‪#‎meuolhar‬









com o reitor Dijon Moraes e Clarice Figueiredo

com esse amor, Cloé Disse - de Alexander Dario




5 de out de 2015

PADRE FÁBIO DE MELO chega a Belo Horizonte para única apresentação de show inédito: VOZ E PIANO

Já estão à venda e quase esgotados, os ingressos para a única apresentação do novo show do Padre Fábio de Melo, que acontecerá no dia 6 de novembro, sexta-feira, às 21h, no  Cine Theatro Brasil Vallourec (Praça 7 - Rua dos Carijós, 258 – Centro – BH).
Trata-se de um formato inédito apresentado pelo artista, que sempre se apresentou acompanhado de banda. Numa performance acústica, Padre Fábio de Melo reúne no show “Voz e Piano”, grandes clássicos da música Popular Brasileira e também composições próprias que se tornaram sucessos em sua carreira.
As canções que deixaram marcas na alma deste poeta religioso, costuram  todo o conceito intimista do show “Voz e Piano” com histórias de sua própria vida e de outros. O resultado final desta colcha de retalhos são mensagens de esperança, de amor e fé.

PADRE FÁBIO DE MELO
 De origem humilde, Fábio de Melo nasceu em Formiga, Minas Gerais em 1971. Desde criança sua vocação para a arte foi percebida e incentivada pelo pai violeiro. Aos 16 anos, já no seminário, colocou esse dom a serviço da fé, sendo ordenado sacerdote em 2001.
Padre Fábio de Melo é sacerdote, professor universitário graduado em Filosofia e Teologia, pós-graduado em Educação e em Teologia Sistemática, escritor, cantor e compositor.
Com temáticas que valorizam a religiosidade e a cultura mineira, inseridas em um contexto musical contemporâneo, se desdobra como cantor, compositor, apresentador e palestrante.
Com 19 discos gravados e repertórios que valorizam a religiosidade e cultura, suas composições são poesias, com uma roupagem e ritmos modernos. É autor de obras-primas de nossa literatura como: “Quem me roubou de mim”, “Tempo: Saudades e Esquecimentos”, “Quando o sofrimento bater à sua porta”,  “Amigo: somos muitos, mesmo sendo dois”, “Orfandades” e “Tempos de Espera”,sempre entre os mais vendidos no Brasil.

PADRE FÁBIO DE MELO - VOZ E PIANO

6 de novembro, às 21h, no
Cine Theatro Brasil Vallourec
Praça 7 - Rua dos Carijós, 258 – Centro – BH
INGRESSOS:

à venda na bilheteria do teatro ou no site www.compreingressos.com

2º LOTE (inteira):
Plateia 1: R$280,00
Plateia 2AB: R$240,00
Plateia 2C: R$180,00 
REALIZAÇÃO: TALENTOS PRODUÇÕES



Tema da edição Outono/Inverno 2016 da Semana de Moda Mineira, uma das principais plataformas de negócios do setor no país, destaca o poder da criatividade e da força do trabalho dentro do processo produtivo. 
No período de 06 a 09 de outubro, os pro ssionais do mercado de moda do Brasil e também do exterior vão conferir, em primeira mão, as coleções de vestuário, calçados, bolsas, joias e bijuterias durante o 17º Minas Trend, evento promovido pela FIEMG – Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, em Belo Horizonte. 
“A Força de Quem Faz” é o tema da temporada outono/inverno 2016, marcando presença em toda a ambientação dos pavilhões do Expominas e servindo como o condutor das atividades paralelas ao salão de negócios - as exposições, o cinas e instalações. O objetivo é ressaltar a importância dos pro ssionais dentro da indústria da moda, destacando a criatividade, inovação e empreendedorismo como diferenciais que incorporam valor em todas as fases da produção. A temática vem rea rmar o trabalho artesanal como principal atrativo da moda mineira. Em resumo, a próxima edição do Minas Trend prestará uma grande homenagem ao o cio criativo, envolvendo desde o produtor artesanal, passando pelos pro ssionais de corte, modelagem e costura, até os responsáveis por novas tecnologias e inovações que possam contribuir para uma indústria mais moderna e competitiva.
 “Sem dúvida, o potencial humano é um dos principais pilares que mantém a nossa indústria de moda e, como representantes do setor, temos que cada vez mais valorizar e estimular a quali cação e participação desses pro ssionais no dia a dia das empresas.”, avalia Olavo Machado Junior, presidente da Fiemg. “O tema ‘A Força de Quem Faz’ re ete, sobremaneira, o per l criativo da moda mineira que carrega em seu DNA o espírito dos nossos mais genuínos artesãos”, completa o executivo. 
17º Minas Trend – Outono/Inverno 2016 06 a 09 de Outubro de 2015 
ExpoMinas – Belo horizonte – MG 
www.minastrend.com.br 
Exclusivo para lojistas e profissionais do setor