2 de mai de 2014

20 anos sem Sérgio Sampaio - Sérgio Moreira e Kiko Ferreira fazem a homenagem

HORA DE “BOTAR O BLOCO NA RUA":

20 ANOS SEM SÉRGIO SAMPAIO!
Cachoeiro de Itapemirim, 13 de abril de 1947 + Rio de Janeiro, 15 de maio de 1994
Na lembrança de Sérgio Moreira,
que não se furtaria a celebrar a data - em justa reverência e afinidade,
“Terças Poéticas” traz o cantor e compositor mineiro,
junto ao jornalista Kiko Ferreira em um momento inusitado de
canções, poemas e revelações inéditas do encontro com Sérgio Sampaio,
ocorrido em BH, no início da década de 80 





















Terça-feira, 6 de maio, às 19h, na Casa Una Centro de Cultura (Rua Aimorés, 1451 – Centro – BH – MG) acontece uma edição imperdível do projeto “Terças Poéticas – encontro internacional de leitura, vivência e memória da poesia”, sob a curadoria de Wilmar Silva de Andrade. No palco, o cantor e compositor Sérgio Moreira e o poeta e jornalista Kiko Ferreira lembram e nos convidam a um passeio pela vida de Sérgio Sampaio, evocando a história e os 20 anos da partida do artista para o bloco do infinito.
O evento promete ser um reencontro emocionado entre dois compositores com percursos distintos na cena musical brasileira e de um jornalista e poeta conectados por uma profunda identidade de propósito e inspiração.
“Terças poéticas” tem entrada franca, mediante distribuição de senha,  que será feita uma hora antes do evento. Informações adicionais: 31 3235-7314 ou contato@casauna.com.br
Um é o mineiro Sérgio Moreira, cantor e compositor nascido em Teófilo Otoni, vivido em Nanuque e vivente em Belo Horizonte desde 1972, participando ativamente da vida cultural da cidade até então, o segundo é Kiko Ferreira, Jornalista , poeta, promotor cultural, oriundo de Ipatinga e radicado em BH desde os anos 70 e o terceiro é o capixaba Sérgio Sampaio, nascido em Cachoeiro do Itapemirim e consumido no Rio de Janeiro, depois de despontar como um dos mais criativos compositores da safra dos anos 1970/80.
Os três se conheceram em 1981, em Belo Horizonte/MG, trocaram impressões sobre o fazer poético num momento em que a produção musical brasileira se dividia entre duas vertentes dominantes: a MPB e o Rock nacional. Não seguiram nem uma nem outra dessas trilhas. Optaram por um caminho diferente, uma derivação poético-musical marcada por certo radicalismo romântico, com tonalidades regionais e temas universais, no rastro do movimento hippie, Tropicália e da revolução dos costumes.
Sérgio Sampaio, artista de trajetória dita marginal, mas de compreensão meio que, antecipada dos tempos, ainda que com rico legado contemporâneo, acabou por ficar consagrado  em hits que tocaram em todas as rádios brasileiras e até hoje permanecem na lembrança de todos nós, como “Eu quero é botar meu bloco na rua” e “Cala a boca, Zebedeu”. Além dessas canções de grande sucesso popular, que lhe valeram grana e consideração por curto período, ele queria mostrar mais de seu tesouro poético, mas não conseguiu. Até hoje elas habitam um limbo visitado apenas por uma seleta tribo de admiradores fiéis.
Além de canções do Sampaio os convidados também apresentarão musicas e textos autorais, em noite que traz repertório de rara expressão, cantado por Sérgio Moreira e contado por Kiko Ferreira, com a devida licença de cúmplices e amigos deste poderoso compositor popular brasileiro, Sérgio Sampaio.

Biografia completa de Sérgio Sampaio, por Cravo Albin: http://www.dicionariompb.com.br/sergio-sampaio

Nenhum comentário: