25 de fev de 2014

“Bacharéis no Congado fazem o Carnaval do Reinado”

Foliões do  bairro São Pedro, Morro do Papagaio, Vila Estrela e Vila Santa Rita
dão o ritmo da justa inclusão social ao
Grêmio Recreativo Bloco Caricato Bacharéis do Samba



Na noite da segunda-feira,  03 de março, mais precisamente às 22h40, os Bacharéis do Samba desfilam na Avenida Afonso Pena. Eles fazem homenagem ao Congado contando a história do Chico Rei, levando alegria e arte à capital mineira 

O Grêmio Recreativo Bachareis do Samba, bloco caricato, várias vezes campeão no Carnaval de BH é formado por moradores do bairro São Pedro e adjacências e tem como principal objetivo, a inclusão através de trabalho social com os mais necessitados do Morro do Papagaio, Vila Estrela e Vila Santa Rita, dando-lhes mais oportunidades de lazer e cultura.

Grêmio Recreativo Bloco Caricato Bacharéis do Samba
 Foi fundado em 01 de dezembro de 1965. Além de participar em desfiles de carnaval, promove atividades extras (Oficinas de arte – Encontros – Apresentações). Composto por moradores do bairro São Pedro e adjacências, tem como principal objetivo, ajudar os mais necessitados do morro do Papagaio, Vila Estrela e Vila Santa Rita, dando-lhes oportunidades de lazer e cultura.  O Grêmio possui 250 pessoas inscritas, sendo 80%  jovens de 12 a 25 anos). Participou dos carnavais oficiais de Belo Horizonte nos anos de 1966 até 1987 (Ano de paralisação do carnaval de Belo Horizonte).  Com a retomada do carnaval em 2001, o atual presidente, o carnavalesco  Fernando Junqueira Ribeiro, também presidente da Associação dos Moradores e Amigos do Bairro São Pedro  reativou o bloco, que vem se apresentando de 2002 até os dias de hoje.  De 2002 até 2013 sempre conquistaram troféus  de 1º, 2º ou 3º lugar e foram campeões em 2007 e 2008.

Fernando Junqueira Ribeiro (Carnavalesco)
É o Presidente e Diretor tesoureiro do Grêmio Recreativo Bachareis do Samba. Entrou para os Bacharéis em 1982, como ritmista. Em 1983, foi  convidado a  ser o Diretor Artístico do Grupo, onde atuou até 1987. Fim da participação dos Bacharéis nos desfiles. 

ENREDO 2014
No samba cantado, homenageiam o  Congado de Chico Rei.

Este ano de 2014 será especial devido o retorno do Carnaval para Avenida Afonso Pena que foi Palco dos Carnavais de ouro da década de 80. Nesta época, não existia carnaval em São Paulo e nem na Bahia. Era o Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Assim sendo é um motivo maior de mostrar na avenida, um desfile digno de uma terceira capital para que nossos dirigentes apoiem ainda mais esta manifestação cultural.”
(Fernando Junqueira Ribeiro)

Num tema de muito respeito, os Bacharéis vão exaltar o Congado que é uma manifestação cultural e religiosa de influência Africana celebrada em várias regiões de Minas Gerais, porem pouco divulgada pela nossa sociedade. Contarão a lenda do escravo Chico Rei que veio para Minas Gerais, onde, trabalhando nas minas de Ouro comprou sua liberdade. Mais tarde, comemorando a sua liberdade  e a do seus súditos, dançavam nas Igrejas cantando belas ladainhas, utilizando instrumentos musicais como; Caixa batuqueira, pandeiro, patangome, gunga, etc. Com o crescimento desta organização foram criadas irmandades e Chico Rei construiu a Igreja de Santa Efigênia do Alto de Santa Cruz em Ouro Preto.

O samba enredo:   “Bacharéis no Congado fazem o carnaval do Reinado”.
Autores: Mario da Viola, Marcelo Boy, Oscar Souza, Jorginho do Cavaco.
I
ntérpretes: Ivo do Pandeiro, Geraldo Magnata  

Letra:
Amando a natureza contemplando o céu e o mar
Assim viviam negros africanos, em uma aldeia distante
cheios de mistérios e riquezas. Mas com a invasão portuguesa
a paz naquele reino se acabou. Foi tamanha a crueldade
que sucumbiu a liberdade e um lamento triste ecoou

O nego penou, chorou o tempo inteiro
desde sua terra natal até o cativeiro (BIS)

O soberano Chico Rei, escravizado juntamente com seu povo,
jurou a liberdade outra vez e prometeu reconstruir um mundo
novo. Garimpando em Vila Rica, escondendo o pó de ouro em
seus cabelos, foi que o valoroso Rei abriu as portas para
um reino tão sonhado. Comprou terras e alforrias com sua fé
e seu espírito de luz, onde era feita a lavagem dos cabelos.
Uma igreja ele fez, com o nome de Santa Efigênia do alto da Cruz.

Chico Rei... foi coroado... quando nas Gerais
reconquistou o seu reinado. (BIS)

Ôiê ingoma ôiêô... Ôiê ingoma ôiêa...
Ôiê ingoma ôiêô... Ôiê ingoma ôiêa...

Salve Nossa Senhora, salve Santo Rosário.
Salve Nossa Senhora, que intercedeu pelo escravo. Ôiê ingoma
Viva Cosme e Damião. Trouxe a cura e o perdão.
Viva Cosme e Damião. Viva os santos irmãos. Ôiê ingoma
Bendito Santo Preto. Benedito Franciscano.
Benedito que enche a mesa e ampara quem lhe ama. Ôiê ingoma


Desfile:  140 integrantes (Passistas, Ritmistas, Abre Alas, Velha Guarda e crianças).
O Grupo, que será o  7º Bloco a desfilar  - (entrada prevista:22h40), contam com a subvenção da Prefeitura e doações espontâneas.

Os Bacharéis do Samba contam com o apoio operacional e institucional de Noemi Gelape –  García Lorca Produções, que  também participará da Ala "Cosme e Damião", junto com os Congadeiros. 

19 de fev de 2014

ATRÁS DO JACARÉ

no pré-Carnaval 2014, Juscelino, Sarah e Márcia Kubitschek
convidam Carmem Miranda, capivaras e garças junto à  
alegria do público em matinê do bloco inclusivo
que desfila na orla da Pampulha

Em seu terceiro ano de vida, o bloco carnavalesco belo-horizontino “Atrás do Jacaré” conquistou o carisma público pelo diferencial de seus desfiles. Marchinhas tradicionais executadas por foliões que durante a semana prévia participam de oficinas de ritmo e voz, através da Celinha Braga Oficina de Música, ganham a orla do cartão postal mais bonito da cidade - a lagoa da Pampulha.  O  pré-Carnaval  reúne pessoas de todas as idades, incluindo portadoras de deficiência, visita à  um centro de terceira idade, famílias e amigos fantasiados ou não em festa de pura alegria.

“Atrás do Jacaré vai até quem já morreu”, diz a marchinha.

E é assim mesmo... anfitrionados por Juscelino Kubitschek (Walber Braga Jr), sua esposa Sarah Kubitschek (Márcia Francisco) e a filha Márcia Kubitschek (Gabriela Francisco Rajão), o bloco rememora e homenageia com delicadeza a ilustre família apaixonada pela Pampulha, através dos personagend que  seguem pela orla em interação simpática com o público.

As idealizadoras do bloco -  a cantora e professora de canto, Celinha Braga  e  a percussionista Analu Braga -  não deixam por menos: puxando o bloco,  Analu é o Jacaré (em alusão ao famoso réptil da Lagoa da Pampulha) e Celinha Braga, este ano, virá de Carmen Miranda, convidada especial de Juscelino e Sarah, trazendo consigo as cantoras do rádio.

No desfile 2014 do Bloco Atrás do Jacaré, que acontecerá na manhã de sábado dia 22 de fevereiro, os anfitriões Juscelino, Sarah e Marcinha Kubitschek sairão em um carro da década de 50, como nos bons tempos. O automóvel foi gentilmente cedido pelo Museu de Carros Antigos, que tem a curadoria de Jeferson Rios Domingues. * As Kubitschek usam chapéu (Sarah) e luvas by Ricardo Melo.

PROGRAMAÇÃO 2014:

SAÍDA DO BLOCO: 22 de fevereiro, sábado, na praça da  Igreja de São Francisco de Assis (Igrejinha da Pampulha)
CONCENTRAÇÃO: 9h
DESFILE : 10h, rumo à CBOM, localizada à Av Alfredo Camarate
*A  dispersão do desfile acontecerá na CBOM, onde a festa continua no quarteirão fechado!  
Lembre-se:
as fantasias terão a cara da Pampulha!
Estarão presentes, personalidade do mundo musical atual, capivaras, garças, pássaros e aguapés, Juscelino Kubitschek, sua esposa Sarah Kubtischek  e a filha Márcia Kubitschek,  Niemeyer, São Francisco de Assis, Niemeyer, Iemanjá e muito mais.
Carmen Miranda, convidada de honra, vai puxar a ala das cantoras do rádio, com marchinhas deliciosas.
O Bloco convida: fantasia, garrafa d’agua e muita alegria “Atrás do Jacaré”!!!
Acesso livre.

E, no dia 20 de fevereiro, às 19h30, também na CBOM: 
TEM ESQUENTA DE CARNAVAL!!! 
NÃO PERCAM!

CBOM -  Celinha Braga Oficina de Música:
 Av Alfredo Caramate, 279 - Pampulha
Informações adicionais e inscrições para as oficinas 31 34413464
  
Parceiros: LSM – Corretora de Seguros, Crossfit Pampulha, Libreto, Só para homens - aluguel de roupas Ltda e Ricardo Melo.
Realização Celinha Braga Oficina de Música – CBOM

HISTÓRICO:
Idealizado em 2012, e  pela cantora e professora de canto, Celinha Braga  e pela percussionista Analu Braga - dentro das comemorações de  15 anos da Celinha Braga Oficina de Música - CBOM -  localizada na Pampulha,  o Bloco “Atrás do Jacaré”nasceu  para resgatar os tradicionais blocos de carnaval e suas marchinhas, valorizando ainda mais a região da Pampulha, em proposta de bom humor. O nome escolhido faz alusão ao famoso jacaré existente na Lagoa da Pampulha. O primeiro desfile foi  marcado por pura alegria e sucesso e agora, “Atrás do Jacaré” já é parte do calendário oficial do Carnaval em BH. Na versão 2012, anfitrionados por Juscelino Kubitscheck (Walber Braga Jr) e sua esposa Sarah Kubitschek - que usou chapéu by Lenice/ Berta Bismarcker (Márcia Francisco), o bloco contou com a participação das Formosas: Babaya, Lu e Celinha, puxando as marchas, nos vocais,  a presença de Dona Jandira entre várias vozes igualmente especiais e, de  Marcos Flávio, Alaécio Martins e Juventino Dias, nos sopros.  Puxando a bateria, composta por oficineiros e músicos convidados, a percussionista Analu Braga. Surpresas divertidas fazem parte das caracterizações dos foliões, incluindo o Jacaré, na pele de Analu Braga e muitos animais da Lagoa, encarnados pela bateria. Em 2013, o Bloco saiu da CBOM seguiu pela Alfredo Camarate até a orla da Lagoa, rumo à Praça São Francisco de Assis, ao lado da Igrejinha, como no primeiro ano. Puxando a bateria, na percussão, junto com a regente Analu: Fábio Feriado e Marcos Nascimento. Os personagens Familia Kubitschek ganharam o gosto do público e em 2013, apresentaram o programa Noite de Museus - Uma noite no Cassino, no Museu de Arte da Pampulha.

A Marchinha Atrás do Jacaré composta por Claudia Passos, já é o hit decorado pelo bloco:

ATRÁS DO JACARÉ
Cláudia Passos
Pampulha não é só mais um cartão postal
A Pampulha agora também tem seu carnaval
E se a lagoa anda cheia de aguapé
Não me importa, assim mesmo eu saio “atrás do jacaré”!
Pampulha do JK
Do Niemeyer, do Mineirão
Da Igrejinha, do Parque Guanabara
Pampulha é arte, ousadia e diversão
Tem lugar prá quem gosta de correr
E também prá quem só caminha
E quem traz a música no coração

Vem correndo pro cordão da Oficina da Celinha.