8 de out de 2013

Um olhar para o Barroco Mineiro e Convite ao Pensar

Dentro das comemorações de seus cinco anos de existência e atuação ininterrupta, o CREA Cultural realiza o ciclo de conferência “Convite ao Pensar”, oferecendo oportunidade para a reflexão e debate sobre temas filosóficos presentes em nosso cotidiano.  Com entrada franca, as conferências são ministradas pelos professores da PUC Minas, no Auditório do Crea Minas (Avenida Álvares Cabral, 1600 –  Santo Agostinho – BH – MG), sempre na segunda quarta-feira do mês, às 20h. Contemplando o tema O que será que será que dá dentro da gente?”, o ciclo terá sua próxima edição no dia 09 de outubro, quando o tema Angústia”, será  abordado por Cristiano Garotti da Silva.
Já em parceria do Crea Minas com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA, realiza-se  um concurso fotográfico em homenagem ao bicentenário da morte de Aleijadinho. O concurso Um olhar para o Barroco Mineiro” que tem como objetivo a valorização do barroco mineiro, vai gerar uma exposição fotográfica e premiação, em dinheiro para os três primeiros lugares. Inscrições abertas!
Informações adicionais sobre os dois eventos podem ser obtidas pelo telefone (31) 3275 4084 ou pelo site: www.creacultural.com.br
Saiba mais:
CICLO DE CONFERÊNCIAS “CONVITE AO PENSAR”

Nesta feliz parceria do Crea Cultural com o departamento de Filosofia da PUC Minas, temáticas filosóficas são focalizadas em conferências, com o intuito promover diálogos e reflexões. A conferência inaugural trouxe a professora Renata Dumont Flecha, em uma conversa sobre “Melancolia”. Com realização sempre, às 20h, no Auditório do Crea Minas, as próximas edições apresentarão:

09/10 – Angústia: Cristiano Garotti da Silva
Cristiano Garotti da Silva possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Atualmente é assistente IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e doutorando em Filosofia pela PUC/SP, orientado pela Professora Salma Tannus Muchail. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Filosofia, Ética, Filosofia Política e Teoria do Direito.

13/11 – Paixões: Valéria de Marco Fonseca
Valéria de Marco Fonseca possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais e especialização em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.Atualmente é assistente III da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia da Educação.
  
04/12 – Temor e Piedade: Andrelino Ferreira dos Santos Filho
Andrelino Ferreira dos Santos Filho possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais doutorado em Estudos Literários pela Universidade Federal de Minas Gerais e é doutorando em Filosofia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG. Atualmente é professor de Filosofia na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e professor de Filosofia na Fundação Helena Antipoff. Tem experiência na área de Filosofia Antiga e Filosofia Moderna, atuando principalmente nos seguintes temas: Antiguidade Clássica e Tragédia Grega, Filosofia Moderna e Estudos Espinosanos. 

CONCURSO FOTOGRÁFICO “UM OLHAR PARA O BARROCO MINEIRO”

Com inscrições abertas, até o dia 17 de outubro, presenciais e/ou via correio, de acordo com o regulamento, o concurso fotográfico homenageia o bicentenário de Aleijadinho. As fotos farão parte da exposição em homenagem ao Barroco Mineiro no Hall do Crea Cultural, serão selecionadas para compor o catálogo que será elaborado em homenagem ao projeto. E por fim, haverá a premiação em dinheiro para os três primeiros lugares.
O BARROCO:
 Termo de origem espanhola “Barrueco”, aplicado para designar pérolas de forma irregular. O barroco foi uma tendência artística que se desenvolveu primeiramente nas artes plásticas e depois se manifestou na literatura, no teatro e na música, seu berço foi a Itália do século XVII, e posteriormente se espalhou pelos outros países europeus.
Surgiu através do movimento da Igreja Católica em tornar as igrejas mais atraente para seus fieís. A arte barroca nasceu a partir das construções e decoração das igrejas. Arquitetos, escultores e pintores foram convocados para transformar igrejas em verdadeiras exibições artísticas, cujo esplendor tinha o propósito de converter as pessoas ao catolicismo.
 Características: emocional sobre o racional. Busca de efeitos decorativos e visuais, através de curvas; colunas retorcidas, entrelaçamento entre a arquitetura e escultura; pintura com efeitos ilusionistas, dando-nos ás vezes a impressão de ver o céu. Tal a aparência de profundidade conseguida.
 A arte Barroca retratava temas religiosos, mitológicos e do cotidiano com a predominância da emoção e não da razão. Através de um colorido intenso e de um contraste de claro-escuro, a arte barroca consegue expressar de forma peculiar os sentimentos humanos. O Barroco brasileiro foi diretamente influenciado pelo barroco português, porém com o tempo foi assumindo características próprias. A grande produção artística barroca no Brasil ocorreu nas cidade auríferas de Minas Gerais, no chamado século do ouro (século XVIII).
ALEIJADINHO foi o principal representante do Barroco Mineiro. As obras do escultor e arquiteto Antônio Francisco de Lisboa (o Aleijadinho), de forte caráter religioso eram feitas em madeira e pedra-sabão e ainda podem ser vistas nas históricas cidades mineiras.
O CREA CULTURAL:

“O acesso de seus cidadãos à cultura é sinal de progresso de um país”

Valorizando o acesso à cultura e se estabelecendo como instrumento a serviço da eficácia desta premissa, a Associação Cultural dos Profissionais do CREA-MG, também designada CREA Cultural, nasceu em 16 de setembro de 2008. É pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, com sede no município de Belo Horizonte que tem por finalidade promover de modo próprio ou em parcerias com organizações da sociedade civil, eventos e projetos para a promoção da cultura, do conhecimento científico, da defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico no Estado de Minas Gerais para usufruto não apenas de seus associados, mas de toda a sociedade em seu entorno. Não obstante se constituir numa entidade independente, com seu próprio Estatuto, o CREA Cultural remete sua criação ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais - CREA-MG que, ao considerar em sua Missão Institucional a Valorização Profissional do Engenheiro e a Defesa dos Interesses Sociais e Humanos como seus principais campos de atuação, houve por bem apoiar a criação e a estruturação do CREA Cultural como um dos instrumentos para a consecução de sua missão.
Vários projetos têm sido realizados pelo CREA Cultural, entre eles, sessões de cinema e mostras musicais semanais - happy hour pós-expediente.  Um valioso projeto é o Xadrez Solidário. Trata-se de uma parceria com a Federação Mineira de Xadrez que aplica a introdução do ensino de Xadrez em comunidades de crianças, adolescentes carentes, com realização de campeonatos e competições. O projeto visa também atender pessoas adultas que desejam aprender e se tornar professores de Xadrez para ser agentes multiplicadores, fazendo dessa forma que o Xadrez se propague.
Nas perspectivas de ação futuras, a consolidação do Projeto “Interiorização do Crea Cultural”, que  objetiva realizar eventos de cunho cultural para a população de todo o Estado de Minas Gerais e  conta com o apoio das inspetorias do Crea-Minas e está aberto à parcerias úteis para sua continuidade. No primeiro semestre de 2013, a ação levou arte musical  e contação de histórias a oito cidades mineiras.

CONHEÇA O CREA CULTURAL:

Nenhum comentário: