20 de set de 2013

UMA HOMENAGEM A BAX





















a Academia Mineira de Letras – AML, através de sua Universidade Livre, realiza sessão especial em homenagem ao mestre reconhecido como um dos principais nomes das artes plásticas de Minas

Será no dia 26 de setembro, quinta-feira, às 17h, a sessão solene especial da Universidade Livre da Academia Mineira de Letras – AML, em homenagem a Bax, grande mestre das artes plásticas de Minas Gerais. Com entrada franca, a celebração acontecerá no Auditório Vivaldi Moreira, da Academia Mineira de Letras (Rua da Bahia, 1466 – Lourdes -  BH – MG).  

Na programação, às 17h, abertura do evento pelo Presidente da AML, Olavo Romano, que passará a condução dos trabalhos à Acadêmica Elizabeth Rennó; seguida de palestra do Prof. Roque Camêllo; às 17h30, declamação de poemas de Bax pela Academia Infanto Juvenil de Letras de Mariana/MG, um Departamento da Casa de Cultura - Academia Marianense de Letras; às 17h50, exibição de um documentário sobre Bax, em vídeo dirigido pela Prof. Jornalista Diulara Ribeiro e produzido pelas alunas do Curso de Comunicação Social - Jornalismo / UNI-BH, Merania Oliveira e Isabella Almeida  e exibição do DVD “No jardim de Bax”, dirigido por Ana Pimentel Romano.
  
Tela de Bax, que registra São Francisco de Assis, terá lugar à entrada do Auditório, durante a solenidade. A escolha da filha, Simone Bax, diz respeito à data de nascimento do Santo: 26 de setembro, mesmo dia da homenagem. Como bem diria Bax, “nada acontece por acaso, tudo tem uma razão especial.

BAX
Artista Plástico nascido em Carmópolis de Minas/MG, em 1927. Entre 1946 e 1951 estudou desenho e pintura com Guignard e em 1949 foi eleito Presidente do Diretório Acadêmico da Escola Guignard em Belo Horizonte/MG. Obteve o  prêmio em escultura e o . em pintura no X Salão Municipal de Belas Artes de Belo Horizonte realizado em 1955. Membro fundador da Academia de Letras de Divinópolis/MG, é autor de 5 livros: Espelho de Alexandra, Som de um Caramujo, Espelho das Águas, Barco-Sonho do Pintor e Das Águas ao Espírito . Está presente no Dicionário das Artes Plásticas no Brasil, 1969, de Roberto Pontual, na Enciclopédia Delta Larrouse, 1972, da Editora Delta, no Dicionário Brasileiro de Artistas Plásticos do MEC, 1973, Ministério da Educação e Cultura, no Suplemento Literário do "Minas Gerais", Edição Especial de 1987, da Imprensa Oficial de MG, em Artes Plásticas Brasil, 1989, de Júlio Louzada, no Dicionário de Pintores Brasileiros, 1997, de Walmir Ayala, no CD-Rom com base de dados referencial do Suplemento Literário do "Minas Gerais", da UFMG/Faculdade de Letras, 2000, e no Blog de Ana Pimentel Romano, poesiadcadadia/"No Jardim de Bax", extraído do vídeo produzido em 2006 (realização da Prefeitura de BH/MG, Fundação Municipal de Cultura e Secretaria Municipal de Educação) e postado virtualmente em julho de 2013.  Bax faleceu em novembro de 2009, aos 82 anos de idade.

A UNIVERSIDADE LIVRE DA ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS

A Universidade Livre da Academia Mineira de Letras foi idealizada pelo Presidente Perpétuo Vivaldi Moreira, que ministrou a sua primeira aula no dia 4 de março de 1993, no salão da sede antiga. É constituída de série de palestras, consideradas aulas, abrangendo diversas áreas do conhecimento: Literatura, Ciência, Economia. Escritores e poetas, diplomatas, cientistas ali proferiram palestras. Números musicais apresentam-se ocasionalmente. Vivaldi tinha grande apreço por este projeto e procurava palestrantes para ministrarem suas aulas. Quando isso não ocorria, ele mesmo proferia a palestra ou organizava mesas-redondas ou leituras de trechos de autores famosos, com a participação de alguns presentes. A Universidade Livre funciona, ininterruptamente, desde sua criação, obedecendo seu cronograma: de março a junho e de agosto a novembro. A partir de 2011, passaram as sessões a serem realizadas quinzenalmente  e não semanalmente, como a princípio. No final do ano letivo são conferidos diplomas de presença a seus ouvintes dentro de uma porcentagem de frequência.  Foram seus coordenadores ou reitores: o Presidente Vivaldi Moreira, os Acadêmicos Dario Faria Tavares, Márcio Garcia Vilela, José Crux Vieira, José Afrânio Moreira Duarte e, atualmente, desde 2000, Elizabeth Rennó.


ACADEMIA INFANTOJUVENIL DE LETRAS

Idealizada pela professora Hebe Rôla, a Academia Infantojuvenil de Letras foi fundada em 14 de agosto de 2004 como um departamento da Casa de Cultura-Academia Marianense de Letras. Seu público alvo é formado por crianças, adolescentes e jovens de 9 a 21 anos.  Desde o início, tem o apoio e incentivo do presidente da Academia Marianense prof. Roque Camêllo.  Semanalmente, esses jovens se encontram com membros da Academia para estudoe análise de obras, leitura, produção de textos e iniciação ao teatro. Participam de lançamentos de livros e de posses de Acadêmicos como do escritor Fernando Morais, dos jornalistas J D Vital, Ângelo Oswaldo Araújo, Gustavo Nolasco, dos escritores Luiz Tyller, Maria Beatriz de Araujo, Maria Cândida Trindade Seabra, Regina Almeida, José Anchieta da Silva,  dos poetas Anício Chaves,  Geraldo Reis, Gabriel Bicalho, S. Ferreira e outros.  A Academia Infantojuvenil mantém parceria com diversas instituições. Com a Secretaria de Extensão da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), desenvolve o Projeto Contadores de Causos e Histórias, atividades que acontecem sempre na sede da Casa de Cultura-Academia Marianense de Letras. Com as Escolas Municipais, Estaduais e Particulares objetiva motivar seus  alunos a participarem das atividades literárias. Com o Museu Casa Alphonsus de Guimarães realiza o projeto “Cantando Alphonsus”, um sarau lítero-musical  em homenagem ao poeta simbolista que é patrono da Academia Mineira de Letras e da  cinquentenária Academia Marianense,  fundada em 1962,  pelo poeta Alphonsus Filho, pelos professores Pedro Aleixo e Wilson Chaves, pelos historiadores Waldemar Santos e Salomão de Vasconcelos e Dom Oscar de Oliveira.  Segundo Roque Camêllo, “Mariana sempre teve grande importância na História, na Literatura, nas Artes e na Economia para o Brasil. São numerosos seus filhos intelectuais do passado e do presente. Seguindo esta vocação, a Academia Infantojuvenil de Letras, nascida da inspiração da professora Hebe Rôla é um forte instrumento para preparar nossos jovens na busca de um futuro promissor”.


Nenhum comentário: