8 de mai de 2013

JARDIM PARTICULAR

celebrando seus 25 anos de carreira, o cantor, violonista e compositor  
Mêrcks Paulo, lança seu terceiro disco,
com noite de autógrafos e pocket show, no Pátio Espanhol

Com entrada franca, acontece no dia 23 de maio, quinta-feira, a partir das  20h, no Pátio Espanhol (Avenida do Contorno, 4035 – São Lucas  - esquina com Av. Carandaí – BH – MG - (31) 3324-4035),  a noite de autógrafos do CD “Jardim Particular”, terceiro disco do cantor, violonista e compositor, Mêrcks Paulo.
Natural de Jacinto, Baixo Jequitinhonha/MG, e residente em Belo Horizonte, o artista está comemorando seus 25 anos de carreira fonográfica. 
“Jardim Particular” tem direção, arranjos e todos instrumentos tocados por Marcelo Jiran. O disco é pura MPB, em composições de Mêrcks Paulo e, inclui uma música composta por Paulinho Pedra Azul. A produção conta com as participações especiais dos cantores Marcelo Jiran,  Paulinho Pedra Azul e Márcia Francisco.  
A noite de lançamento do CD “Jardim Particular” contará com pocket show do artista. Mêrcks será acompanhado por Guilherme Sabino (teclados), Pablo Leite (violão e guitarra), Fred Alef (baixo) e Geovani Sassá (Percussão).

Mêrcks Paulo, violonista, cantor e compositor, é natural de Jacinto (baixo Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais). Em 2013, o artista celebra 25 anos de carreira fonográfica. Mêrcks divide o exercício de seu dom musical com outra atuação especial: é  também advogado atuante, formado pela Faculdade de Direito Milton Campos, em Belo Horizonte/MG. Na música, venceu o primeiro festival de música aos 12 anos, participou de inúmeros festivais de música por toda Minas Gerais, sendo finalista e vencedor em vários deles. Na trajetória, abriu shows do cantor e compositor Belchior em várias cidades mineiras, e realizou inúmeros shows próprios em Belo Horizonte, Jacinto, Almenara, Rubim, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Jaboticatubas, Santa Luzia, Lagoa Santa, Betim, Lavras, Contagem, entre outras. Na capital, sua arte já foi mostrada em shows no saudoso Cabaré Mineiro, Teatro da Imprensa Oficial (Clara Nunes), Teatro ICBEU, Teatro da PUC Minas, Teatro Marília, Feiras do Servas, Saraus Culturais da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), Espaço Usiminas e  AABB (Associação Atlética Banco do Brasil), entre outros espaços. Atualmente procura uma Gravadora para lançamento e distribuição do novo disco “Jardim Particular”
                                                                      
Sua discografia anterior traz: o vinil “Entre o Real e a Fantasia” (1988), e o CD “O Mapa do Tesouro” (2002).

“Após a perda de meu Pai, que morreu na primavera, e em meio a tristeza que oprimia todo o meu ser, entendi que para superar a dor e redescobrir os caminhos da vida e das canções, seria necessário abrir o coração, viver, sonhar, ir além dos campos visuais, deixar tudo fluir, como a água do rio, que brota do chão e vai de encontro ao mar, numa purificação Divinamente bela! É que às vezes, a vida nos leva por caminhos tortuosos, cheios de espinhos, mas é tão belo o encanto das flores, o olor que delas emana, que meu “Jardim Particular” desabrochou, floriu, sem vaidades, sem receios, cercado pelo carinho da família, dos velhos e novos amigos, traduzindo todo o meu âmago. E as canções soaram líricas, suaves e belas como jamais havia ouvido e cantado, dando significado a todo aquele sentimento que eu havia guardado, composto e sonhado” (Mêrcks Paulo)

JARDIM PARTICULAR
faixa a faixa, por Mêrcks Paulo:

Para Traduzir o Nosso Amor abre o disco e é como um filme que a gente insiste em ver repetidas vezes, como se de repente o belo encontrasse significado, o amor a tradução mais simples, da inspiração, a luz e a esperança.    Nesta música tive o prazer de cantar com Marcelo Jiran, que arranjou, produziu e tocou todos os instrumentos do disco e revela aqui sua faceta de grande interprete

Asas e Velas seduz, dá asas à imaginação, inspira, invade e navega em ondas, colo, ventre, vulva...
                                  
Quando você partiu traduz todo o sentimento que me arrebatou quando meu Pai se foi. A dor, a solidão, a perda irreparável e a esperança num eterno amanhã. A participação super especial de Paulinho Pedra Azul, um dos maiores artistas de Minas Gerais,, abrilhanta e eleva a beleza da canção, num presente de amor para Dona Fia, minha Mãe, que simplesmente ama a canção e o Paulinho
           
J´adore e a constatação de que somente o amor escreve em nossos corações a chama eterna da vida
                       
Carol nasceu reggae, e em homenagem a um ex-casal de amigos, mas a brisa do mar a fez samba, feito a onda que quebra suavemente na praia, numa tarde qualquer, em algum lugar do litoral fluminense, deste país ou do mundo
                       
Inferno e Paraíso é uma canção do Paulinho Pedra Azul e segundo ele, em homenagem a São Paulo. A bela valsa reforça a idéia de que ao pararmos para observar o que nos cerca, acabamos por descobrir o sentido para muitas coisas e momentos da vida. O Paulinho havia me mostrado e cedido esta canção para um show no Teatro Marília, em Belo Horizonte, no ano de 1984. Eu contei a história para o Marcelo Jiran, que me pediu para cantá-la. Ao final, encantado, ele me disse: “vamos ligar agora para o Paulinho e pedir a liberação da música, porque ela tem tudo a ver com o disco”. Aí está!    

Jardim Particular é uma declaração de amor para Rose Cléia, minha mulher, e traduz todo esse sentimento, que une o amor, a poesia, a natureza e a alegria de viver
           
Flor também foi feita para Rose Cléia e conta a história de quando nos conhecemos e nos apaixonamos. Como toda história de amor ela inspira e faz sonhar
                       
Entre a Alegria e a Dor fala da amargura, da contradição existente entre o fato de alguém, durante o carnaval, preferir o exílio, a solidão, para não ter que se lembrar do amor perdido ou conviver com alegria.  Márcia Francisco, poetisa, jornalista e cantora  trouxe seu carinho e sua luz para este belo samba                                                                                  
Por Nós é uma promessa, uma sugestão de que no amor podemos encontrar o rumo e o sentido da vida      
                                  
Você foi inspirada e conta, de forma poética, uma história vivida por meu sobrinho Raphael. O amor foi embora, mas a canção fica eternizada aqui, num belo samba/ choro e nos acordes magicamente tocados por Marcelo Jiran                          
Meu Jequi é uma homenagem declarada à memória do meu saudoso Pai, João Ferreira Silva. É também um agradecimento aos meus queridos ídolos, comnterrâneos e amigos: Paulinho Pedra Azul, Rubinho do Vale, Déa Trancoso, Lucinho Cruz, Lima Jr, Tadeu Franco, Tadeu Martins, Biló, Carlos Farias, Eustáquio Sena (in memoriam), Cacá Lucena, Wesley Pioest, Gonzaga Medeiros, Gutenberg Della Raquel, Rimarck, Pablo Leite, Parmênio Leite e Nardele Ruas, que com suas vozes, poemas e canções, traduzem o sentimento maior de amor de todos aqueles que nasceram e amam o Vale do Jequitinhonha
                                                          
Purificação encerra o disco e lava todas as mágoas, toda a dor, toda a tristeza e má querência. É uma canção de amor e esperança, que mostra a minha vontade e meu desejo de que a vida e o mundo se tornem mais simples, mais alegres, belos e mais seguros.

Quantas vezes eu andei em vão
Procurando as notas da canção
Para traduzir o nosso amor
Percorri a pé as estações
Passei pelo outono das paixões
E descobri no inverno o quanto dói (amar)...
E na primavera vi morrer
A flor do deserto, um bem querer
Mesmo assim eu quis continuar
Pois o amor é luz, é esperança
Vem feito um sorriso de criança
Para traduzir o nosso amor
Verão, verás, vilões, não mais
De amor, serás, de amor tu viverás...”
(Para traduzir o nosso amor, Mêrcks Paulo)

Nenhum comentário: