28 de mai de 2013

SARAU DE POESIA NO BELARMINA!


(O chef Ramon Fiuza - foto de arquivo)

O empreendedor cultural e Chef Ramon Fiúza, leia-se Cabaré Mineiro, Máscaras e Cozinha de Minas, esta de volta à cena, administrando o seu, há dois anos bem sucedido,  Belarmina Bistrô, nas cercanias do Retiro do Chalé, há 40 minutos de BH. O Belarmina, de Ramon é uma bistronomia cultural: bistrô mais simples, com toque refinado de gastronomia e comidinhas autorais.

O local, situado em estrada asfaltada do Retiro, sentido Arraial de Suzana (Brumadinho/MG) realiza na quarta-feira, 29 de maio, véspera do feriado, à partir das 20h, seu VI Sarau de Poesia. Evento que une  poesia sob a lua cheia e fogueira à voz e o violão de  Vitória Fernandes, DJ Cheyne com o melhor dos anos 80, e gastronomia especial com o rodízio de caldos: feijão, mandioca, moranga com baroa, alho poró e de aspargos frescos à luz de velas. A casa terá carta promocional de vinhos para o Sarau.    Para os caldos, o próprio Chef Ramon Fiúza assume a cozinha.

No Sarau de Poesia, as pessoas chegam com livros, ou netbooks e declamam os textos, autorais ou não, informalmente. Alguns participantes também trazem instrumentos e cantam poemas.


SIGA O BELARMINA BISTRÔ NO FACEBOOK!

SARAU DE POESIAS NO BELARMINA
29 de maio, quarta-feira, a partir das 20h
 Brumadinho - MG
Como chegar:
BH, BR 040, sentido RJ;  virar no Topo do Mundo; sentido Retiro Chalé: descer a estrada, passar em frente a portaria 1 do Retiro do Chalé; seguir até o Condomínio Águas Claras; entrar à esquerda, no sentido Arraial de Suzana; ir sempre no sentido contrário à Brumadinho/ Inhotim; o Belarmina fica à direita da estrada; a fachada é uma cerca enorme de bambu.
ENTRADA FRANCA
consumo à parte
Informações adicionais e reservas: (31) 9778 2777/ 9665 5335

21 de mai de 2013

IRONMAN: Olavo Laucas, garra, superação e bem-estar através do esporte





Amar o que faz, fazer o que gosta, ser feliz. São qualidades que todo ser humano deseja unir.
Há sete anos, o bem-sucedido empresário mineiro Olavo Laucas, leia-se Cultura Inglesa, encontrou tempo para se dedicar a mais uma de suas grandes paixões: o triathlon. E não parou mais.  Atleta amador dedicado, o jovem empresário, casado e pai de dois filhos, Maria Clara (8) e Eduardo (6), nos dá a dimensão da felicidade possível: construída sobre a tríade trabalho, amor à família e seu hobby, que parece ser fonte de energia inesgotável para o atleta. Olavo já participou de provas importantes como a Volta Internacional da Pampulha, a Maratona do Rio de Janeiro, a São Silvestre, além do outras provas de atletismo, travessias aquáticas,  O Abu-Dhabi International Triathlon e   provas do Ironman (já fez o Penha/SC e Miami/EUA). Ele coleciona prêmios, entre eles: o vice-campeonato nacional de Triathlon em 2012 (com etapas em Santos e São Paulo) e o 1º lugar da categoria, no último campeonato internacional de Triathlon, realizado no início de 2013, em Santos/SP.

No dia 26 de maio, domingo Olavo Laucas enfrenta mais um grande desafio, o Ironman Brasil.   A prova que acontece em Florianópolis/SC, inclui 3,8km de natação no mar + 180km de bike +42km de corrida. Uma verdadeira maratona que terá início as 6h30 da manhã.
Simples? Desta vez, além do empenho habitual necessário, Olavo teve um imprevisto que o fez se desdobrar na determinação, o que parece seu valor maior. Há um mês da  prova, ele  postou em sua rede social: “um tombo, seis fraturas na mão e nenhuma dúvida de que estarei 100% recuperado para o Ironman Brasil 2013!!! Manteve os treinos, incansável, com fisioterapia diária e garra. Para a natação, o médico só liberou treino para às vésperas do evento. Resultado: malas prontas, coragem, empenho e super exemplo de garra, rumo à Floripa.

“É nestas horas que concordo ainda mais com a frase 5% genética e 95% disposição e vontade de atingir os objetivos. O meu objetivo é (APENAS) me divertir, me superar, viajar e envolver a família nesse esporte que é duro, não posso negar.  Já chorei muito nos treinos; várias vezes, na piscina; na bike... Na corrida, a perna, muitas vezes, nem respondia de tanto esforço, dor, cansaço... muitas vezes, você não está bem mas tem que se superar. E eu fico feliz assim, sou um atleta amador e quero continuar!  Minha meta é fazer um Ironman em cada continente. Viajar com a minha família e ser um exemplo de superação para os meus filhos. Adoro isso e meus filhos curtem muito. Principalmente, o Eduardo que quer ser nadador. Ele nada desde os 6 meses. Hoje tem 6 anos.”  (Olavo Laucas)
("Arsenal": Olavo Laucas já está preparado para o Ironman Brasil) 

trilhas de Olavo:
Do interesse pelo esporte, em sua história de vida, Olavo lembra que, aos 14 anos, partindo da capital mineira foi (e voltou) de bicicleta para  várias cidades mineiras, com companheiros de trilha, em trajetos cuja distância médias, praticamente, corresponderiam  mais tarde, ao percurso de bike do Ironman. Mas, mesmo gostando e sentindo o bem-estar dos “passeios”, não tinha tempo de sobra para dedicar-se ao esporte.
Desde cedo, Olavo se envolveu profissionalmente com a empresa familiar, em outros trabalhos e em muitos, muitos estudos. Fez duas faculdades, graduando-se em Economia e em Direito, pela PUC; fez três pós-graduações, na Fundação Getúlio Vargas e na UFMG e teve adolescência mergulhada em estudos e trabalho, adiando o “fazer o que gosta” para bem mais tarde. A rotina de trabalho é intensa até hoje. Mas, habilidades administrativas notáveis e empenho, o auxiliam a conciliar trabalho e prazer. 
(Márcia Francisco)

9 de mai de 2013

Uma travessia com Milton Nascimento



Bituca convida Lô Borges e Wagner Tiso para subir ao palco do Palácio das Artes nos dias 25 e 26 de maio (sábado e domingo). O espetáculo faz parte da nova turnê Milton Nascimento – Uma Travessia


Belo Horizonte, maio de 2013 – Em comemoração aos 50 anos de carreira de um dos maiores artistas brasileiros da atualidade, a Nó de Rosa Produções proporcionará um encontro emocionante aos mineiros. Nos dias 25 e 26 de maio, Milton Nascimento relembrará grandes sucessos de sua carreira ao lado de dois companheiros do Clube da Esquina: Lô Borges e Wagner Tiso. Maria Minha Fé, Travessia e Morro Velho são algumas das músicas que o público poderá apreciar nesse espetáculo. Os ingressos para o show poderão ser adquiridos a partir de 4 de abril, na bilheteria do Palácio das Artes.

Além da capital mineira e de outras cidades brasileiras, a turnê Milton Nascimento – Uma Travessia deverá passar pela América do Sul, Europa e Estados Unidos. “Tenho certeza de que vai ser uma das melhores turnês da minha vida”, comenta Bituca. Milton Nascimento é daqueles artistas que nunca se preocuparam com a distância. Assim, como nunca se cansa de repetir: "Vou aonde me chamam".

De Minas para o mundo

Desde o Festival Internacional da Canção de 1967 que Milton Nascimento desponta no cenário mundial como um dos mais importantes músicos brasileiros de todos os tempos. O ponto inicial de sua carreira aconteceu mesmo em 1962, quando ele se juntou ao amigo Wagner Tiso para fundar o conjunto de baile W’s Boys em Alfenas (MG). Ainda em 1962, Milton participou de outros grupos, principalmente após sua mudança para Belo Horizonte, onde permaneceu até 1966. Em 1967, se mudou definitivamente para o Rio de Janeiro após a consagração da música Travessia, no Festival Internacional. Outra data importante na carreira de Milton é o lançamento do disco Clube da Esquina, um dos maiores sucessos de 1972.

Em 2010, com o lançamento do álbum E a gente sonhando, Milton Nascimento completou 38 discos gravados. Isso sem contar as centenas de participações em projetos de amigos, parceiros, músicos e cantores do mundo inteiro que diariamente procuram Milton para um trabalho em estúdio. A lista de pessoas com quem já gravou (e por quem foi gravado) não tem limites: Wayne Shorter, Mercedes Sosa, Sarah Vaughan, Peter Gabriel, James Taylor, Joe Anderson, Paul Simon, Duran Duran, Pat Metheny, Björk, Esperanza Spalding, Jason Mraz e outros.

A lista de admiradores de Milton Nascimento é grande. Tom Jobim já declarou que gostaria de ver todas as músicas de sua autoria gravadas por Milton. "Nunca vi ninguém que tivesse por ele um sentimento amargo. Discreto, Milton foi se fazendo famoso sem nunca colocar a carapuça de rei", disse Dorival Caymmi num depoimento. Na opinião de Paul Simon, “suas melodias são extraordinárias, únicas. Milton Nascimento é provavelmente o maior compositor brasileiro pós-Jobim/Gilberto". O parceiro Chico Buarque costuma sintetizar a relação entre eles numa frase curta e direta: "Bituca manda em mim". Sobre Milton, Herbie Hancock diz que “ele é um compositor brilhante, com uma das vozes mais incríveis que eu já ouvi. Suas melodias têm uma simplicidade que vai direto ao centro de seu coração”. Caetano Veloso escreveu que "a palavra inventivo não o define tão bem como a palavra original, e ele é, sozinho, um movimento". Elis Regina costumava dizer que "se Deus cantasse, seria com a voz de Milton".

Até o ator Antônio Banderas já pediu para conhecer Milton Nascimento. O encontro aconteceu em maio de 2011, durante um almoço em Copacabana, na última passagem do astro pelo Brasil. O cantor britânico Joe Cocker, que esteve no Rio de Janeiro para um show no dia 1 de abril de 2012, também pediu um encontro com Milton.

E na contramão do sucesso que obteve internacionalmente como instrumentista, compositor e cantor, Milton também tem uma presença marcante em outras áreas, seja na militância social, no cinema ou no teatro.



Serviço:
Milton Nascimento – Uma Travessia
Data e horário: 25 e 26 de maio (sábado, às 21h; domingo, às 19h)
Local: Palácio das Artes - Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro / BH
Ingressos:
Plateia I – R$200 (inteira) / R$100 (meia)
Plateia II – R$180 (inteira) / R$90 (meia)
Plateia Superior – R$160 (inteira) / R$80 (meia)
Vendas de ingressos: bilheteria do Palácio das Artes
Informações: (31) 3236-7400

ESCRITOR OLAVO ROMANO ASSUME PRESIDÊNCIA DA ACADEMIA MINEIRA DE LETRAS


Candidato único à presidência da Academia Mineira de Letras, o escritor Olavo Romano será eleito, no próximo dia 13 de maio, segunda feira.  

Olavo Romano nasceu em Morro do Ferro, então remoto distrito de Oliveira/MG. Saiu cedo de casa, levando a memória das paisagens, costumes, falas e jeitos do interior, de que faria amoroso registro. Formado em Direito, com mestrado em Administração, proficiência em Inglês, foi professor, fez carreira no serviço público, aposentando-se como Procurador do Estado. Consagrado contador de causos mineiros, Romano construiu obra diversificada, que o levou aos meios de comunicação e à Academia Mineira de Letras

A primeira participação pública do novo presidente será nas homenagens ao Prof. Edgar de Godoy da Mata Machado, às 19 horas do dia 14, na Academia.

Romano figurava como candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Angelo Oswaldo de Araújo Santos, que, por ter sido nomeado para a presidência do Instituto Brasileiro de Museus (Brasília) não pôde manter seu nome à frente da chapa. 

Olavo deu respeitável continuidade ao trabalho iniciado por Angelo Oswaldo, consolidando os apoios suficientes para eleger-se. Encabeçando a chapa convergência, acabou chegando a amplo consenso no seleto colégio eleitoral, graças aos entendimentos de que participaram  vários acadêmicos, com destaque para o presidente Orlando Vaz, Francelino Pereira e Aloísio Garcia.

Os demais integrantes da diretoria a ser eleita dia 13 são: Amilcar Martins, 1° Vice-Presidente; Yeda Prates Bernis, 2ª Vice-Presidente; Carmen Schneider Guimarães, Secretária-Geral; Elizabeth Rennó, Primeira Secretária; Patrus Ananias, Segundo Secretário; Márcio Garcia Vilela, Tesoureiro; Manoel Hygino dos Santos, 1° Tesoureiro; Angelo Machado, 2° Tesoureiro.

8 de mai de 2013

JARDIM PARTICULAR

celebrando seus 25 anos de carreira, o cantor, violonista e compositor  
Mêrcks Paulo, lança seu terceiro disco,
com noite de autógrafos e pocket show, no Pátio Espanhol

Com entrada franca, acontece no dia 23 de maio, quinta-feira, a partir das  20h, no Pátio Espanhol (Avenida do Contorno, 4035 – São Lucas  - esquina com Av. Carandaí – BH – MG - (31) 3324-4035),  a noite de autógrafos do CD “Jardim Particular”, terceiro disco do cantor, violonista e compositor, Mêrcks Paulo.
Natural de Jacinto, Baixo Jequitinhonha/MG, e residente em Belo Horizonte, o artista está comemorando seus 25 anos de carreira fonográfica. 
“Jardim Particular” tem direção, arranjos e todos instrumentos tocados por Marcelo Jiran. O disco é pura MPB, em composições de Mêrcks Paulo e, inclui uma música composta por Paulinho Pedra Azul. A produção conta com as participações especiais dos cantores Marcelo Jiran,  Paulinho Pedra Azul e Márcia Francisco.  
A noite de lançamento do CD “Jardim Particular” contará com pocket show do artista. Mêrcks será acompanhado por Guilherme Sabino (teclados), Pablo Leite (violão e guitarra), Fred Alef (baixo) e Geovani Sassá (Percussão).

Mêrcks Paulo, violonista, cantor e compositor, é natural de Jacinto (baixo Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais). Em 2013, o artista celebra 25 anos de carreira fonográfica. Mêrcks divide o exercício de seu dom musical com outra atuação especial: é  também advogado atuante, formado pela Faculdade de Direito Milton Campos, em Belo Horizonte/MG. Na música, venceu o primeiro festival de música aos 12 anos, participou de inúmeros festivais de música por toda Minas Gerais, sendo finalista e vencedor em vários deles. Na trajetória, abriu shows do cantor e compositor Belchior em várias cidades mineiras, e realizou inúmeros shows próprios em Belo Horizonte, Jacinto, Almenara, Rubim, Governador Valadares, Teófilo Otoni, Jaboticatubas, Santa Luzia, Lagoa Santa, Betim, Lavras, Contagem, entre outras. Na capital, sua arte já foi mostrada em shows no saudoso Cabaré Mineiro, Teatro da Imprensa Oficial (Clara Nunes), Teatro ICBEU, Teatro da PUC Minas, Teatro Marília, Feiras do Servas, Saraus Culturais da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), Espaço Usiminas e  AABB (Associação Atlética Banco do Brasil), entre outros espaços. Atualmente procura uma Gravadora para lançamento e distribuição do novo disco “Jardim Particular”
                                                                      
Sua discografia anterior traz: o vinil “Entre o Real e a Fantasia” (1988), e o CD “O Mapa do Tesouro” (2002).

“Após a perda de meu Pai, que morreu na primavera, e em meio a tristeza que oprimia todo o meu ser, entendi que para superar a dor e redescobrir os caminhos da vida e das canções, seria necessário abrir o coração, viver, sonhar, ir além dos campos visuais, deixar tudo fluir, como a água do rio, que brota do chão e vai de encontro ao mar, numa purificação Divinamente bela! É que às vezes, a vida nos leva por caminhos tortuosos, cheios de espinhos, mas é tão belo o encanto das flores, o olor que delas emana, que meu “Jardim Particular” desabrochou, floriu, sem vaidades, sem receios, cercado pelo carinho da família, dos velhos e novos amigos, traduzindo todo o meu âmago. E as canções soaram líricas, suaves e belas como jamais havia ouvido e cantado, dando significado a todo aquele sentimento que eu havia guardado, composto e sonhado” (Mêrcks Paulo)

JARDIM PARTICULAR
faixa a faixa, por Mêrcks Paulo:

Para Traduzir o Nosso Amor abre o disco e é como um filme que a gente insiste em ver repetidas vezes, como se de repente o belo encontrasse significado, o amor a tradução mais simples, da inspiração, a luz e a esperança.    Nesta música tive o prazer de cantar com Marcelo Jiran, que arranjou, produziu e tocou todos os instrumentos do disco e revela aqui sua faceta de grande interprete

Asas e Velas seduz, dá asas à imaginação, inspira, invade e navega em ondas, colo, ventre, vulva...
                                  
Quando você partiu traduz todo o sentimento que me arrebatou quando meu Pai se foi. A dor, a solidão, a perda irreparável e a esperança num eterno amanhã. A participação super especial de Paulinho Pedra Azul, um dos maiores artistas de Minas Gerais,, abrilhanta e eleva a beleza da canção, num presente de amor para Dona Fia, minha Mãe, que simplesmente ama a canção e o Paulinho
           
J´adore e a constatação de que somente o amor escreve em nossos corações a chama eterna da vida
                       
Carol nasceu reggae, e em homenagem a um ex-casal de amigos, mas a brisa do mar a fez samba, feito a onda que quebra suavemente na praia, numa tarde qualquer, em algum lugar do litoral fluminense, deste país ou do mundo
                       
Inferno e Paraíso é uma canção do Paulinho Pedra Azul e segundo ele, em homenagem a São Paulo. A bela valsa reforça a idéia de que ao pararmos para observar o que nos cerca, acabamos por descobrir o sentido para muitas coisas e momentos da vida. O Paulinho havia me mostrado e cedido esta canção para um show no Teatro Marília, em Belo Horizonte, no ano de 1984. Eu contei a história para o Marcelo Jiran, que me pediu para cantá-la. Ao final, encantado, ele me disse: “vamos ligar agora para o Paulinho e pedir a liberação da música, porque ela tem tudo a ver com o disco”. Aí está!    

Jardim Particular é uma declaração de amor para Rose Cléia, minha mulher, e traduz todo esse sentimento, que une o amor, a poesia, a natureza e a alegria de viver
           
Flor também foi feita para Rose Cléia e conta a história de quando nos conhecemos e nos apaixonamos. Como toda história de amor ela inspira e faz sonhar
                       
Entre a Alegria e a Dor fala da amargura, da contradição existente entre o fato de alguém, durante o carnaval, preferir o exílio, a solidão, para não ter que se lembrar do amor perdido ou conviver com alegria.  Márcia Francisco, poetisa, jornalista e cantora  trouxe seu carinho e sua luz para este belo samba                                                                                  
Por Nós é uma promessa, uma sugestão de que no amor podemos encontrar o rumo e o sentido da vida      
                                  
Você foi inspirada e conta, de forma poética, uma história vivida por meu sobrinho Raphael. O amor foi embora, mas a canção fica eternizada aqui, num belo samba/ choro e nos acordes magicamente tocados por Marcelo Jiran                          
Meu Jequi é uma homenagem declarada à memória do meu saudoso Pai, João Ferreira Silva. É também um agradecimento aos meus queridos ídolos, comnterrâneos e amigos: Paulinho Pedra Azul, Rubinho do Vale, Déa Trancoso, Lucinho Cruz, Lima Jr, Tadeu Franco, Tadeu Martins, Biló, Carlos Farias, Eustáquio Sena (in memoriam), Cacá Lucena, Wesley Pioest, Gonzaga Medeiros, Gutenberg Della Raquel, Rimarck, Pablo Leite, Parmênio Leite e Nardele Ruas, que com suas vozes, poemas e canções, traduzem o sentimento maior de amor de todos aqueles que nasceram e amam o Vale do Jequitinhonha
                                                          
Purificação encerra o disco e lava todas as mágoas, toda a dor, toda a tristeza e má querência. É uma canção de amor e esperança, que mostra a minha vontade e meu desejo de que a vida e o mundo se tornem mais simples, mais alegres, belos e mais seguros.

Quantas vezes eu andei em vão
Procurando as notas da canção
Para traduzir o nosso amor
Percorri a pé as estações
Passei pelo outono das paixões
E descobri no inverno o quanto dói (amar)...
E na primavera vi morrer
A flor do deserto, um bem querer
Mesmo assim eu quis continuar
Pois o amor é luz, é esperança
Vem feito um sorriso de criança
Para traduzir o nosso amor
Verão, verás, vilões, não mais
De amor, serás, de amor tu viverás...”
(Para traduzir o nosso amor, Mêrcks Paulo)

BRIGADEIROMANIA LANÇA DOÇURAS DO BRASIL - A REVOLUÇÃO DA BRIGADERIA GOURMET


BRIGADEIROMANIA - DOÇURAS DO BRASIL É
VALOR 100% NACIONAL
o novo conceito também apresenta a parceria
da Brigadeiromania com a Harald



Por ocasião da entrega do XXIII Prêmio MG Turismo e XVII Troféu Mulher Influente, evento que será realizado no dia 13 de maio, segunda-feira, a partir das 19h30, no Ouro Minas Palace Hotel, a Brigadeiromania Brigaderia Gourmet by Danniella Farias, fará o lançamento de seu novo conceito empresarial: Trata-se da Brigadeiromania – Doçuras do Brasil, que inova e renova a brigaderia gourmet no cenário brasileiro. A novidade também lança a parceria da Brigadeiromania com a Harald, pioneira na fabricação de chocolates no Brasil.

Desde que foi fundada em 2010, a Brigadeiromania – primeiro atelier mineiro especializado em brigadeiros gourmet, têm literalmente feito a festa de pessoas apaixonadas pelo famoso docinho. Com extensa carta de sabores e um setor de pesquisa em constante atividade, a Chef Danniella Farias constatou que sua marca pode e vai, agora, agregar a delícia deste que é um doce brasileiro a valores 100% nacionais.

O brigadeiro, carro-chefe da empresa agora revoluciona o mercado deste segmento apresentando ao público nacional e internacional os valores da gastronomia brasileira, as delícias naturais de cada região do país. Um passeio saboroso pela história e resgate valioso das riquezas culturais de norte a sul/leste a oeste deste vasto continente, com seus encantos e mistérios, muitos deles guardados em segredo ou perdidos nos cadernos de receita das avós.

Durante o evento do dia 13, será apresentado o conceito Doçuras do Brasil através  de uma mesa de doces, servida ao público e preparada pela Brigadeiromania em parceria com a Harald, pioneira na fabricação de chocolates no Brasil. Tais delícias serão criadas com chocolates da Linha Harald Melken Unique que reúne a mais sofisticada e completa coleção de chocolates de origem produzidos no país. A Harald é a única marca nacional a utilizar o cacau fino originário dessas regiões com chancela de procedência declarada, o que garante a origem de um chocolate superior, levando em conta sua localização geográfica, qualidade do solo, as fontes de água, forma de cultivo e o processamento dos grãos de cacau.

Com produção totalmente artesanal e utilizando o mais puro chocolate brasileiro, a Brigadeiromania – Doçuras do Brasil é empresa que valoriza a indústria nacional e a partir de agora, só utiliza matéria prima nobre 100% brasileira em sua produção.  O chocolate, por exemplo, é todo produzido pela Harald.

Na contramão de outras empresas do ramo brigadeiro gourmet,  fiantes em uma parceria especial:
gentes e de m. e unir diretamente que priorizam  a utilização de ingredientes importados como a manteiga francesa e o chocolate belga, a Brigadeiromania conhece, atesta e publica o valor dos ingredientes fabricados no Brasil, que, nada deixam a desejar aos importados.

Só assim é possível conhecer o verdadeiro sabor da terra”, acredita a Chef Danniella Farias.

A qualidade dos produtos brasileiros é valorizada nas criações da Brigadeiromania - Doçuras do Brasil, que resgata e apresenta sabores gastronômicos especiais: desde o brigadeiro, único doce com identidade 100% nacional até cardápio com maravilhas regionais. Seu novo cardápio de brigadeiros,  inclui sabores como café com rapadura, doce de leite com coco queimado, banana com castanha-do-pará, açaí com castanha de caju, pequi com castanha de baru, caipirinha e mantém alguns sabores como cachaça artesanal, quentão, milho, amendoim, paçoca, Romeu e Julieta, pimenta com caramelo e erva-doce. Além do tradicional feito com chocolates com variação da porcentagem de cacau, do branco ao 100% cacau.


A noite de apresentação da “Doçuras do Brasil” traz o tema “Riquezas de Minas”


Unir gastronomia às riquezas naturais, minerais e culturais mineiras é a proposta da Brigadeiromania para apresentar “Doçuras do Brasil”, feita com chocolates da Linha Harald Melken Unique que reúne a mais sofisticada e completa coleção de chocolates de origem produzidos no país, com cacau fino de procedência garantida.
Da escravidão e quilombolas, ao ouro, pedras preciosas, minério, águas, grutas e montanhas de Minas, ganharão vida nas criações dos novos brigadeiros.
Riquezas gastronômicas da terra, tais como: o milho, a erva-doce, a rapadura, o café, o queijo, a goiabada, a cachaça, o baru, o pequi e o doce-de-leite são alguns dos sabores que, sob as criações de Danniella Farias pretendem evocar riquezas culturais como as tradições das festas religiosas, do folclore, da música, da literatura e dos costumes típicos mineiros.
Nesta proposta, Danniella lança mão do conceito da “comfort food”: Todos nós temos na memória o “sabor” daquela comida preparada com o carinho especial da vovó.  Com o propósito  de despertar a memória gustativa ligada à infância,  a especialização nesta nova tendência gastronômica: a comfort food, nascida nos Estados Unidos, se contrapõe ao já conhecido fast food.  Os aromas e os sabores podem nos fazer viajar no tempo, numa proposta de resgate afetivo das lembranças através da comida, para que alimento e bem-estar andem juntos.

Os novos brigadeiros chegam com texturas, coberturas e outras características, sem perder a originalidade do doce ou, artificializar sua origem, sustentando o novo conceito. É de dar água na boca, brilhar os olhos e inundar o coração! Quem é de Minas vai saber, quem é visita, vai comprovar!


Os brigadeiros servidos no evento serão: Brigadeiro Branco, Brigadeiro Tradicional ao Leite, Brigadeiro M. Libânio, Brigadeiro João Tavares, Brigadeiro de Pequi com Castanha de Baru, Brigadeiro de Café com Rapadura, Brigadeiro de Doce de Leite com Coco Queimado, Brigadeiro de Cachaça, Brigadeiro Romeu e Julieta, Brigadeiro de Milho Verde com Erva-doce e Brigadeiro Amazônia.

As novidades não param por aí. No evento do dia 13, a decoração  traz elementos  criados pelo  estilista mineiro Ricardo Melo,  convidado especialmente para somar sua arte, reconhecida há quase 30 anos,  à apresentação especial da empresa.  Os displays de mesa, na mesma coerência com a temática, trazem textos da escritora e poeta Márcia Francisco. A Abre Aspas Comunicação é a responsável pela identidade visual impressa e a Vila Maris Flores e Adornos, traz elementos significativos para a decoração.

A empresa atende em sua loja física - o primeiro espaço dedicado exclusivamente ao brigadeiro - em uma rua tranquila do bairro Caiçara, onde Danniella recebe, pessoalmente os fãs do doce. A Brigadeiromania traz sabores que vão do tradicional ao exótico.  Criação própria exclusiva é  o brigadeiro em barrinha (brigadeiro branco com frutas, brigadeiro ao leite com castanha de caju, brigadeiro amargo com castanha-do-pará).

NOTA: Também na noite de 13 de maio, a Chef Danniella Farias, Bacharel em Biologia. Tecnóloga em Gastronomia (certificação em supervisão e gestão de restaurantes), especialista em Estratégia Empresarial, Organização e Gerência da Informação, será agraciada o Troféu Mulher Influente, no quesito “Líder em Inovação”.


Danniella Farias
A Chef Danniella Farias: é Bacharel em Biologia. Tecnóloga em Gastronomia (certificação em supervisão e gestão de restaurantes). Especialista em Estratégia Empresarial, Organização e Gerência da Informação. No Buffet Rullus em Belo Horizonte, atuou como assistente comercial sendo responsável pela captação de clientes, atendimento, elaboração de cardápios personalizados e orçamentos; responsável ainda pelas pesquisas sobre gastronomia internacional e temática, criando cardápios personalizados baseados nas pesquisas e fazendo o acompanhamento dos testes dos pratos pesquisados. Em eventos do Buffet, trabalhava como chef de cozinha. No Laboratório de Gastronomia da Faculdade Estácio de Sá de Belo Horizonte, foi monitora exercendo a função de apoio às aulas práticas da disciplina de Conhecimento Básico e Preparo de Alimentos e à atividades administrativas, sendo também membro da equipe de elaboração do Manual de Boas Práticas de Fabricação da cozinha didática. Foi coordenadora da área de segurança alimentar da Versátile Assessoria e Treinamento prestando consultoria e ministrando palestras e cursos de qualificação em Higiene na Manipulação de Alimentos. Na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo – Coordenação de Saúde do Interior – Direção Regional de Saúde de Taubaté – Instituto Adolfo Lutz – Setor de Microbiologia Alimentar do Laboratório 1 – foi Bióloga estagiária, realizando análises microbiológicas de água e alimentos, e fazendo monitoramento de visitas técnicas; proferiu palestras educativas sobre higiene na produção de alimentos para empresas do ramo da alimentação e sobre saúde pública e epidemiologia para escolas primárias e de ensino médio.
PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS, CONGRESSOS, CURSOS E PALESTRAS: Febrachoco (Feira Brasileira do Chocolate) e Chocolatino (Congresso Latino Americano do Chocolate) 2012 em Gramado/RS; Rodada de Negócios SEBRAE/MG; Febrachoco (Feira Brasileira do Chocolate) e Chocolatino (Congresso Latino Americano do Chocolate) 2011 em Gramado/RS; Brigadeiros e Ovos de Páscoa Gourmet com a Chef Solange Piaggi, embaixadora da Barry Callebaut no Brasil; Brigadeiros Gourmet Callebaut com Patrick Ravenet Chef Chocolatier da Barry Callebaut no Brasil; Brigadeiros Gourmet com Ana Costa (Maria Chocolate/BH); Brigadeiros (Ana Sílvia culinarista Kerry) Maria Chocolate/BH; A arte e os princípios do design de pratos (Chef Juliana Bonomo); D’ici & D’ailleurs (Chef Christian Julliard – Alain Ducasse Formation); Cooperar Reciclando Reciclar Cooperando (Programa Bioconsciência da Fund. Banco do Brasil); Elaboração de Projetos Sociais; Programa de Atendimento ao Cliente; Higiene Para Manipuladores de Alimentos; Orientação Para Crédito – Programa Brasil Empreendedor; Controle de Qualidade – Inspeção de Materiais; Métodos Rápidos e Automação em Microbiologia de Alimentos; Informática Aplicada às Ciências Biológicas; Turismo Rural. Megatraining com o Leader Coach, escritor e especialista em atitude e comportamento organizacional Rodrigo Cardoso; Salão do Espumante; Palestra com o enólogo Philipe Mevel – Chandon.

O Brigadeiro – história e curiosidades
Um doce, uma tradição...novas histórias, sabores e renovação
Compulsão, gula, paixão, mania. Todas essas palavras podem explicar o sucesso de um doce com gosto de festa, feito a partir de uma receita que tem como base o chocolate e o leite condensado. Sim, este é o brigadeiro, presença garantida (e disputada!) em festas de aniversários e comemorações. O docinho que faz a alegria de crianças e adultos também remete a doces lembranças de infância: brigadeiro!
Item indispensável nas festas infantis, nos encontros de jovens amigos, ou até mesmo nas panelas das mulheres durante a TPM, o Brigadeiro, doce genuinamente brasileiro, ficou conhecido em 1945 durante as eleições para a Presidência da República. A bolinha doce de chocolate, até então anônima, eram preparadas pelas eleitoras do Brigadeiro Eduardo Gomes e servidas durante as festas de campanha, dizendo ser “o doce preferido do brigadeiro”.  Desde então, o docinho de chocolate adotou este nome e ganhou ainda mais fãs pelo Brasil.


CDL/BH prepara empresários para Copa das Confederações


Fórum é gratuito e pretende reverter quadro apontado por pesquisa onde 64% dos comerciantes da capital não vêm se capacitando para o evento


A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) realiza no dia 15 de maio, quarta-feira, de 8 às 12 horas, na sua sede (Avenida João Pinheiro, 495, bairro Funcionários) o “II Fórum de Oportunidades para o Comércio” com objetivo de preparar os empresários mineiros para a Copa das Confederações.

Os participantes receberão informações sobre as tendências mundiais, o perfil dos turistas, como o comércio pode atuar com criatividade e como o atendimento pode fazer a diferença. A CDL/BH espera reverter o quadro de recente pesquisa divulgada pela Entidade revelando que 64% dos empresários do setor de comércio e serviços da capital mineira não vêm se preparando para receber a Copa das Confederações, cuja abertura está marcada para junho deste ano. Os motivos mais citados por eles são a falta de retorno para o negócio, a falta de mão de obra qualificada, a ausência de capital para investimento e a carência de apoio governamental.

Embora a pesquisa mostre que 78% de todos os empresários entrevistados acreditam que a Copa das Confederações trará novas oportunidades de desenvolvimento para os negócios, a maioria (81%) nunca participou de palestras ou treinamentos de capacitação no atendimento ao turista.


Programação:

Palestra – Preparação do Comércio para Mega Eventos
Stella de Moura kleinrath – Diretora de Promoção Turística da Belotur

Palestra – Copa das Confederações 2013 e Grandes Eventos: como se preparar e vender mais
Jussara Rocha – Consultora nas áreas de Turismo, Cultura, Planejamento e Desenvolvimento Local


Data: 15 de maio de 2013
Horário: de 8 horas às 12 horas
Local: Sede da CDL/BH (Avenida João Pinheiro, 496, bairro Funcionários)


Informações e inscrições: 3249-1854

2 de mai de 2013

FLAUTISTA DO REI - ANIBAL TEIXEIRA LANÇA AUTOBIOGRAFIA


O ex-Ministro do Planejamento Aníbal Teixeira realiza, no dia 23 de maio, quinta-feira, às 20h, na Academia Mineira de Letras (Rua da Bahia, 1466 - Centro - Belo Horizonte/ MG), a noite de autógrafos de sua autobiografia “Flautista do Rei – uma história de vida”.
Aos 80 anos, Aníbal Teixeira escreve e documenta sua trajetória no melhor estilo “lavando a alma”. Compartilha conosco sua história pessoal e documenta sua história profissional, da formação às lideranças várias, as ações políticas - em governos emblemáticos como os de JK; sua amizade e parcerias com Tancredo Neves; o Ministério, no Governo Sarney, em que alcançou a casa de 45 mil projetos executados – a trajetória empresarial e a vida de lutas, acima de calúnias, culminando em vitórias que comprovaram inocência por unanimidade no Supremo Tribunal Federal, na Comissão de Justiça da Câmara e no Plenário, com 92% dos votos.

São quase 500 páginas de história, da qual participou diretamente, ocupando 16 cargos e 4 mandatos de Deputado. A edição é amplamente ilustrada, traz imagens inéditas e documentais, além de gráficos e outros elementos que passam a limpo histórias polêmicas. No título "Flautista do Rei", o bom humor do autor retoma uma figura anedótica que, em hora e lugares errados, paga por pecados e falhas dos outros.
Atualmente, na presidência do Instituto JK, Aníbal desenvolve programas Sociais e Culturais diversos, tais como: "Bibliotecas Móveis" e "Difusão da Mamografia", em parceria com o Hospital Mário Pena e os Seminários de Transporte e Logística, e, atualmente o de Energia, para o Congresso Nacional. O profissional permanece em plena atividade, revelando-se enciclopédia viva e testemunhal de importantes momentos da história brasileira.

FLAUTISTA DO REI

Vizinho de Tancredo por 12 anos, com ele, articulou a redemocratização. Anibal conta sua vida - da presidência de cinco entidades estudantis, inclusive a Ubes, ao Ministério do Planejamento.

Cassado, perseguido e espionado pelos militares por decênios, Anibal mostra os bastidores de 30 anos de vida brasileira. Com documentos e dados do SNI, KGB e CIA, revela o outro lado de 1964.

No roteiro, as lutas, cassação e exílio. A vida empresarial, elaborando 290 projetos industriais e plantando 42 milhões de árvores, o equivalente a 30 mil campos de futebol.
No ministério, em 15 meses, outra revolução. O Programa do Leite para 8 milhões de crianças. Merenda escolar para 32 milhões. Vale-transporte e refeição, seguro desemprego e 314 mil casas populares por 60% do preço do BNH. Os depoimentos de Juscelino, Tancredo e Sarney sobre Anibal estão no livro.

Sua vitória sobre as calúnias. Inocência por unanimidade no Supremo Tribunal Federal, na comissão de justiça da câmara e no plenário, com 92% dos votos.

Contas sem nenhum reparo ou necessidade de esclarecimento em 25 anos de vida pública, conforme o Tribunal de Contas da União.

Como Deputado e Ministro, teve redução de 480 mil dólares no patrimônio.

Os bastidores de 64, da redemocratização e retomada democrática. Minas, em duas conspirações, aceita a luta no terreno inimigo: o Colégio Eleitoral. Anibal conta a química da vitória e as resistências da esquerda e direita.

O SNI e órgãos de repressão juntaram 10 caixas especiais de documentos sobre o Ministro – 330 relatórios, escutas telefônicas e 11.600 cheques e documentos. De tudo, o relatório final a justificar a cassação de seu mandato:

"Contrarrevolucionário exaltado, juscelinista fanático, reacionário, fez severas críticas aos oficiais do exército encarregado do IPM. Atacou, por várias vezes, o Presidente da República, acusando-o de transformar o país numa ditadura. Defendeu os Bispos do Nordeste, participou de comissão que iria visitar JSQ em Corumbá. Constam dados de qualificação".

Temos, na autobiografia, a história contada por quem coordenou Informação e Contrainformação nos dois movimentos mineiros, em 64 e na redemocratização.

Alguns olhares de Aníbal Teixeira, em “Flautista do Rei”:

“CRIANÇAS DE MUITOS PAIS”
Para Anibal, os chamados programas sociais de massa têm muitos “pais”, mas foram fruto de iniciativas diversas. No governo anterior a JK, as frentes de trabalhos nordestinas e obras contra a seca. Com JK, as sugestões dos Bispos do Nordeste, executadas por Anibal no antigo Inic. Foram quase 1,5 milhão de nordestinos atendidos – com médicos e dentistas, 511 mil; hospedagem, 224 mil; emprego, 240 mil; transporte e atendimento social a 530 mil. Após o governo militar, que não queria dividir o bolo, também ação social de massa com Sarney e Anibal. Programa do Leite diário, para 8.400.000 (oito milhões e quatrocentos mil) crianças, com redução, em 3 anos, de 32% na mortalidade infantil. Casas, construídas em mutirão para 1.500.000 (um milhão e quinhentas mil) pessoas, somando 314 mil residências, por 60% do preço do BNH. Mais 45 mil projetos comunitários, cesta básica, vale-transporte e refeição, além do seguro desemprego. "A vitória tem muitos 'pais' e a derrota é órfã", dizia Napoleão. "Vale comemorar hoje", diz Anibal, "o Bolsa Família, que redime os pobres e dá força ao mercado interno". Quanto à paternidade dos programas, o assunto é outro, mais vale comemorar sem buscar paternidades discutíveis.

SÃO PAULO E GOLPE DE 64
O movimento de 1964, feito por Minas, quase desmoronou em razão da posição de São Paulo. O Ex-Ministro Anibal Teixeira revela, em sua autobiografia editada agora, quando completa 80 anos, fatos curiosos. A posição do Governador Ademar de Barros foi inflexível. Minas deixou São Paulo só na revolução constitucionalista de 32 e Ademar só apoiaria Minas depois da ação militar iniciada. Kruell, no entender de Ademar, estava fechado e fiel a Jango e, ainda, iria falar ao Presidente para contornar o problema em Minas. Por outro lado, Ademar recomendou, aos emissários de Magalhães Pinto e General Guedes, não informar nada aos Americanos, pois eles haviam comunicado ao Governo Jango que São Paulo estava comprando, no mercado negro, armas médias e até pesadas para a polícia paulista.

RAZÕES DO SNI
Durante dezenas de anos, o SNI espionou e acompanhou Aníbal Teixeira.
Anibal recebe, então, os relatórios desse órgão a seu respeito. Eram 10 caixas: 330 relatórios e 11 mil documentos. As razões de cassação são sintéticas, resumidas pela SNI conforme o texto seguinte:
"Contrarrevolucionário exaltado, juscelinista fanático, reacionário, fez severas críticas aos oficiais do exército, encarregado do IPM. Atacou, por várias vezes, o Presidente da República, acusando-o de transformar o país numa ditadura. Defendeu os Bispos do Nordeste, participou de comissão que iria visitar JSQ em Corumbá. Constam dados de qualificação."
No informe do SNI, Anibal é apontado como reacionário, pois reagiu aos militares e à ditadura.

MÃO DE OBRA ESTRANGEIRA
Em sua autobiografia, o Ex-Ministro Anibal Teixeira lembra o desafio de mão de obra qualificada no Governo JK. Como Diretor do Instituto de Imigração, responsável por Emprego e Imigração, Anibal procurou suprir a indústria automobilística, ferroviária e naval, de mão de obra qualificada. Com o Senai e Senac, dos quais foi diretor, intensificou a formação profissional. Com as comissões de seleção no exterior - para as quais designou um Diplomata competente, o Antônio da Silveira, depois Ministro do Exterior - só em 1957, providenciou 103 mil profissionais. O desafio volta à tona com demandas de pessoal para o petróleo, construção naval e química. Entre os formados para atender à indústria automotiva, vindo como migrante do Nordeste, estava o Presidente Lula, que lembra, com orgulho, do diretor Anibal.

REFORMA AGRÁRIA PIONEIRA COM JK
Por recomendação dos Bispos do Nordeste, relata Anibal, "fizemos, no Governo JK, a experiência-piloto da Reforma Agrária. Ela foi muito mais executiva e proveitosa para os sem-terra e migrantes que para os atuais assentamentos". A reforma agrária foi aplicada em dois milhões de hectares. Foram 32 polos em 16 Estados. Os sem-terra atendidos, 262 mil, no ano de 1958, produziram um milhão e oitocentos mil toneladas de alimentos. Os exemplos estão aí: Jaíba, Petrolina, UNA e mais 3 dezenas. Só de exportação, temos 800 milhões de dólares. “É pena que o exemplo não prosperou e o assunto virou tema ideológico e político”, comenta Anibal Teixeira.

“MINISTÉRIO SOBRANDO”
Aníbal Teixeira fala de sua atuação na gestão com JK, nos grupos executivos, e com Sarney, na Secretaria de Ação Comunitária. Sem Ministério, no governo JK, foi implantada a indústria automobilística, naval e química. Anibal participou dos grupos executivos. Com JK, também participou de um início de reforma agrária, com terra para 260 mil e assentamentos, em Jaíba e Petrolina, que exportam, hoje, 300 milhões de dólares de frutas, além de vinho. Convidado para criar e assumir o Ministério da Ação Social, Anibal, então Deputado, sugeriu evitar o Ministério e foi feita a Secretaria de Ação Comunitária. Resultados revolucionários: em 15 meses, leite para 8 milhões de crianças e 314 mil casas, além de vale-transporte e refeição. Criar mais Ministérios é burocracia improdutiva, que, no dizer de Balzac,“é a cortina entre o bem por fazer e quem o pode ordenar”. O empresário Gerdau alertou o Governo sobre o assunto. Napoleão dizia que um estadista pode comandar diretamente apenas 7 pessoas. A administração moderna eleva o mínimo para 12, com a informática e logística. Ter 40 Ministros é desprezar as normas gerenciais. Tanto assim que os Ministros atuais ficam um ano sem falar com o Presidente.

JURAMENTO DE ANIBAL
Em sua autobiografia, o Ministro Anibal Teixeira relata um juramento que fez e registrou em livro, em 1950, quando tinha 18 anos, inspirado no juramento do guerreiro Cartaginês de ódio a Roma. O Anibal mineiro, vendo fotos de crianças nordestinas, subnutridas, promete acabar com aquela situação. Deus ajudou e, no Instituto de Migração, no Governo de JK, no planejamento com Sarney, distribuiu leite para 8 milhões de crianças, além de 32 milhões de merendas escolares. Valeu o juramento! Na obra, elogia, com carinho, o Bolsa-Família e sua função social nesta atual "seca do Nordeste".