14 de dez de 2013

GASTRONOMIA NA PRAÇA



A gastronomia mineira é uma das manifestações culturais mais expressivas do estado. Por isso, o Instituto ATIVA Brasil realizará em Belo Horizonte o “Gastronomia na Praça”, evento inovador de alta gastronomia, acessível a toda a população, com atividades culturais ao ar livre, shows, oficinas, atividades educativas e sorteios que proporcionarão uma experiência única. Pela primeira vez na cidade, o evento acontecerá na Praça Marília de Dirceu, no Bairro de Lourdes, no dia 14 de dezembro, sábado, das 13h às 22h. Para participar, basta ir ao posto da Belotur localizado no Mercado Central e levar dois quilos de alimento não perecível ou um brinquedo para trocar pelo ingresso.

Durante a programação, chefs de restaurantes renomados da capital como Vecchio Sogno, Trindade, Glouton, Borracharia Gastropub, O Dádiva, Angelina Café, entre outros, levarão para o “Gastronomia na Praça” pratos preparados com sofisticação e jeitinho mineiro por um valor fixo de R$15,00. No evento, o público poderá comprar fichas do restaurante que desejar e terá a oportunidade de saborear por um valor acessível iguarias na nossa culinária. Além disso, as pessoas que curtirem a fanpage do evento concorrerão a vários brindes e vouchers dos estabelecimentos participantes.

Atrações musicais
Enquanto saboreia os pratos de grandes chefs da culinária mineira, o público poderá curtir shows de importantes nomes da música mineira e brasileira com um repertório que inclui jazz, rock, chorinho e bossa nova. O cantor e compositor carioca, Ed Motta, é um dos destaques da programação cultural do evento. O músico, conhecido pela sua paixão pela gastronomia e pelos bons vinhos, apresentará para a plateia um repertório com canções que marcaram sua trajetória na música brasileira.


6 de dez de 2013

PADRE FÁBIO DE MELO EM BH

Na última apresentação do ano de 2013, em BH,
Padre Fábio de Melo se apresenta na Galopeira:
show de lançamento do CD/DVD “Queremos Deus”


Em única apresentação, no dia 19 de dezembro, quinta-feira, 21h, na Galopeira (Av. Tereza Cristina, 175 – Prado – BH – MG), Padre Fábio de Melo realiza show de lançamento de CD e DVD “Queremos Deus”, Sony Music,  gravados na Canção Nova, em Cachoeira Paulista/SP, em 06 de abril de 2013. Trata-se do último show na capital mineira, em 2013. Um presente especial e natalino.
No repertório (sujeito a alterações): Espírito Santo Repousa; Faço Novas Todas as Coisas; Chuva de Graça; Cara de Família; Estou Aqui; Guardião; Seu Amor é Demais; Tudo é do Pai; Tudo Posso; Nas Asas; Nunca Pare de Lutar; Tom de Calma; Cante em Paz; O Senhor é Rei; Medley Antigo e A Esperança Entre Nós
Ingressos já à venda na bilheteria da Galopeira, na Central dos Eventos (Rua Fernandes Tourinho, 470/ lj 12 – Savassi), ou pelo site: www.centraldoseventos.com.br
Promoção “Casadinha”: Na compra de 01 ingresso de inteira, do 1º LOTE,  ganhe outra inteira do mesmo setor.
Informações adicionais: (31) 3209-0505

 Presença viva de Deus

“Nós padres, lidamos diretamente com a dimensão mais bela da vida das pessoas e saber que de alguma maneira, eu entrei na vida de alguém e deixei ali uma marca positiva, eu me realizo como gente. Creio também no poder da comunicação religiosa da música popular, e tento fazer com que a música seja ponte entre a palavra de Deus e o coração dos brasileiros”. (Padre Fábio de Melo)

PADRE FÁBIO DE MELO
SHOW DE LANÇAMENTO DO CD E DVD “QUEREMOS DEUS”
19 de dezembro, quinta-feira, 21h
Galopeira
Av. Tereza Cristina, 175 – Prado – BH – MG

Ingressos já à venda na bilheteria da Galopeira Espaço Multiuso, na Central dos Eventos  (Rua Fernandes Tourinho, 470/ lj 12 – Savassi),
ou pelo site: www.centraldoseventos.com.br

1º LOTE:
BALCÃO 2 – EM PÉ: 50,00 inteira – 25,00 meia
PISTA E BALCÃO 1 – EM PÉ: 70,00 inteira – 35,00 meia
2º SETOR – CADEIRA NUMERADA: 200,00 inteira – 100,00 meia
1º SETOR – CADEIRA NUMERADA: 240,00 inteira – 120,00 meia
2º LOTE:
BALCÃO 2 – EM PÉ: 70,00 inteira – 35,00 meia
PISTA E BALCÃO 1 – EM PÉ:  90,00 inteira – 45,00 meia
2º SETOR – CADEIRA NUMERADA: 240,00 inteira – 120,00 meia
1º SETOR – CADEIRA NUMERADA: 280,00 inteira – 140,00 meia

***Promoção “Casadinha”:
Na compra de 01 ingresso de inteira, do 1º LOTE,  ganhe outra inteira do mesmo setor.

Informações adicionais: (31) 3209-0505


VÍSCERAS DA MEMÓRIA

O escritor memorialista Pedro Nava é tema do minicurso de Antônio Sérgio Bueno, com participação especial de Matheus Nava, na Academia Mineira de Letras

Professor Antônio Sérgio Bueno realiza curso na AML

A convite do presidente da Academia Mineira de Letras, Olavo Romano, o professor Antônio Sérgio Bueno realiza, no dia 12 de dezembro, quinta-feira, às 19h, no Auditório Vivaldi Moreira (Rua da Bahia, 1466 – Centro - BH), o minicurso "Vísceras da Memória", uma leitura da obra do escritor Pedro Nava.
O evento contará com a presença e participação especial em breve exposição do sobrinho-neto do memorialista, Matheus Nava – arquiteto e artista plástico, guardador oficial do memorial Pedro Nava.

O minicurso “Vísceras da Memória” traduz uma visão sintética da grande obra memorialística de Pedro Nava, através de um eixo teórico que privilegia a visualidade: ESPAÇO - CORPO – FIGURAÇÂO:
 O ESPAÇO contempla os lugares nos quais o memorialista viveu: Juiz de Fora, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O CORPO é o objeto  privilegiado da observação do excelente reumatologista que foi Pedro Nava. E a FIGURAÇÃO volta-se para a linguagem plástica do autor, que foi também pintor de ótimo nível Os trechos da obra de Nava a serem comentados  foram criteriosamente escolhidos nos 6 volumes publicados em vida do autor,   sem esquecer das páginas de CERA DAS ALMAS, interrompidas pela morte   de Pedro Nava.

Antônio Sérgio Bueno é professor de Literatura brasileira da UFMG por 30 anos, mestre em Literatura Brasileira pela UFMG; Doutor em Literatura Comparada pela UFMG; autor de centenas de artigos e ensaios publicados em jornais e  revistas e autor de 3 livros publicados pela Editora da UFMG: Modernismo em Belo Horizonte, Affonso Ávila e Vísceras da Memória.

As inscrições devem ser na AML, através do telefone (31) 3222-5764. Investimento: R$50,00 (cinquenta reais).

7 de nov de 2013

UAISPEED ESTÁ ENTRE OS 25 PARAQUEDISTAS DO RECORDE MINEIRO EM FORMAÇÃO QUEDA LIVRE

Após ter conquistado  o  2º lugar no Campeonato Brasileiro 2013 de FQL-4 (Formação em Queda Livre), o Uaispeed faz história com mais um feito importante.  A equipe mineiríssima formada pelos atletas  Daniel Soares “Night”,  Fabiano Florio “Esqueleto”, Fábio Dattoli “Baiano”, Hugo Faria “Papa”  e pelo cameraman Márcio Araújo, integrou a formação que, neste domingo,  03 de novembro quebrou o o recorde mineiro de maior formação em queda livre: 25 atletas.
O evento foi promovido pela Federação Mineira de Paraquedismo - para Paramig  e aconteceu no Centro Nacional de Paraquedismo, em Boituva, São Paulo. “Infelizmente, por falta de estrutura em Minas Gerais, ficaria inviável financeiramente realizar o evento em nossa terra, mas, ainda vamos crescer nesta condição: se depender de nós, vamos mostrar que o paraquedismo mineiro merece um olhar especial”, explica Daniel Soares, o “Night”, do Uaispeed que lembra, ainda: “o paraquedismo é um esporte muito seguro, que merece ganhar mais espaço, há muitos que ainda não conhecem esta modalidade”.
O recorde anterior da formação em queda livre, em Minas Gerais, era de 16 pessoas e foi realizado em maio de 2009. A idéia, agora,  é tentar bater este recorde em julho de 2014, desta vez, com pelo menos 30 integrantes. 
O EVENTO:
Foram mais de 50 atletas mineiros inscritos. Apenas 25 foram escolhidos, de acordo com experiência e desempenho durante os saltos do primeiro dia. No sábado 02/11 foram realizados vários saltos e, no final do dia, aconteceu a primeira tentativa: “quase conseguimos, faltou apenas uma pessoa!”, diz Daniel Soares  
No domingo, também não houve sucesso nas duas primeiras tentativas,  mas, foi por muito pouco. Na terceira decolagem de domingo e na quarta tentativa: sucesso: o recorde mineiro de maior formação em queda livre (25 atletas)!
Após isto, os 25 paraquedistas fizeram mais um salto, tentando aumentar o número para 28 pessoas, mas, não alcançaram a nova meta. Daniel Soares afirma que a experiência já“deixou um ‘gostinho de quero mais’, de que é possível.”!
ENTENDA COMO FUNCIONA A PROVA DO RECORDE:

“antes do salto, é apresentada uma figura para o comitê julgador da Confederação Nacional de Paraquedismo.  É preciso que esta figura seja reproduzida no ar com todas as pessoas. Exemplo: Se a figura tem 25 pessoas, cada um tem um lugar específico e todos precisam estar na figura. O recorde anterior eram de 16 pessoas, na nossa primeira tentativa, no sábado, fechamos 24 pessoas (isto não vale nada), naquele momento, o recorde continuava a ser de 16 pessoas. Ou a figura é feita como um todo ou não vale, para bater o recorde”, explica Daniel Soares.
O UAISPEED:
UAISPEED nasceu da união de cinco amigos paraquedistas, interessados em melhorar suas habilidades e performance, visando participarem de campeonatos na modalidade FQL 4-way. No time campeão, profissionais de áreas diversas: Daniel Soares, psicólogo; Hugo Faria, médico; Fabiano Florio, advogado e professor universitário; Fábio Dattoli, empresário e, também na equipe, o  cameraman Márcio Araújo, que  não deixa por menos, paraquedista de primeira grandeza, que soma horas de vôo, para acompanhar todas as peripécias da trupe voadora.
A equipe mineira conquistou o   2º lugar no Campeonato Brasileiro 2013 de FQL-4 (Formação em Queda Livre), realizado no Aeroporto de Resende, no sul do Rio de Janeiro, entre os dia s 5 e 8 de setembro deste ano.
O treinador  do UAISPEED é o paulista Pedro Ushizima Jr (Pedrosan).
O UAISPEED está à busca patrocinadores oficiais, já que sempre atuou com recursos próprios dos atletas. Com resultados tão rápidos e eficazes, vale apostar!
PARAQUEDISMO E 4-WAY -  SAIBA MAIS:
O paraquedismo  é  um esporte que vem sendo cada vez mais difundido no Brasil, com caracteristicas singulares: Radical, seguro, desafiador e que reúne atletas de todo o país, em competições nacionais e internacionai. Esportistas que reafirmam a necessidade de valorização desta prática enquanto modalidade esportiva, estando cada vez mais presente na mídia em geral.
O 4-way é a modalidade do Paraquedismo que consiste na formação em queda livre de 4 paraquedistas, com o intuíto de formar o maior número possível de figuras em uma seqüência de saltos com duracao de 35 segundos cada, sendo a modalidade que possuiu maior quantidade de campeonatos.
maior evento nacional é o Campeonato Brasileiro de FQL (formação em queda livre), que  acontece uma vez por ano, sempre no feriado de 7 de setembro.

ROUANET em BH, no dia 13 de novembro


O autor na Academia”, projeto realizado pela Academia Mineira de Letras (Rua da Bahia, 1466 – Centro, com o apoio da FIAT, receberá no dia 13 de novembro, quarta-feira, às 19h, o  diplomata, filósofo, tradutor e ensaísta Sérgio Paulo Rouanet, da Academia Brasileira de Letras, que falará sobre "As correspondências de Machado de Assis" -  tema do projeto editorial a que se dedica atualmente.

AS CORRESPONDÊNCIAS:
Desde 1929 vêm sendo publicadas cartas  de Machado de Assis. Foram iniciativas importantes, mas que tiveram seus inconvenientes. Assim, o epistolário  da Jackson, publicado em 1937,  tem a desvantagem de ser uma simples seleção, reduzindo drasticamente o número de cartas e correspondentes. A editora Aguilar optou por publicar somente a correspondência ativa. Várias cartas com correspondentes isolados foram publicadas em revistas e jornais, desaparecendo com isso a visão de conjunto do fluxo epistolar. De algumas cartas,  transcritas em biografias, como a de Luís Viana Filho e a de R. Magalhães Jr.,  foram selecionadas apenas exemplares  e trechos considerados relevantes pelo autor. Por tudo isso, a  Academia Brasileira de Letras decidiu publicar a correspondência completa do grande escritor, segundo uma ordem cronológica que abarcasse tanto a correspondência ativa quanto a passiva, e tanto a já publicada  quanto a ainda inédita. Já foram lançados  quatro tomos, abrangendo o período 1860-1904. O quinto e último,  de 1905 a 1908, será lançado proximamente.

No evento do dia 13 de novembro, Sérgio Paulo Rouanet vai descrever as várias etapas desse trabalho, realizado essencialmente, pelas pesquisadoras Irene Moutinho e Silvia Eleuterio. Ele se desdobrou em três atividades principais: a coleta dos documentos, com base essencialmente no rico acervo da ABL,  sua transcrição e anotação.  Durante esse percurso, apareceram várias cartas inéditas, e foram corrigidos erros de transcrição  em muitas das epístolas já publicadas. 

No dia do evento, 100 (cem) exemplares do livro "Riso e Melancolia”, de Sérgio Paulo Rouanet - Ed. Cia das Letras, estarão à venda pelo preço simbólico de R$5,00 (cinco reais), cada.  Um exemplar será sorteado entre os presentes. Universitários recebem certificado de participação com discriminação de carga horária.  O escritor estará disponível para autógrafos.
O autor na Academia” tem entrada franca e visa aproximar o público leitor da realidade dos autores, por meio da  da Academia Mineira de Letras,  que abre suas portas para compartilhar cultura e arte.  Informações adicionais: 3222 5764.
SÉRGIO PAULO ROUANET

Nasceu no Rio de Janeiro, em 23 de fevereiro de 1934. Formou-se em direito pela PUC do Rio. Fez cursos de pós-graduação em economia (George Washington University) ciência política (Georgetown University) e filosofia (New School for Social Research). Doutorou-se em ciência política pela USP. Diplomata de carreira, formado pelo Instituto Rio Branco. Entre outros postos, foi  Cônsul-Geral em Zurique e em Berlim,  e Embaixador em Copenhague e Praga. Quando Secretário Nacional de Cultura, elaborou o projeto da  lei de incentivo à cultura que leva seu nome. Professor na Universidade de Brasília. Ministrou curso em 2004 na Universidade de Oxford. Autor de vários livros, entre os quais se destacam “Imaginário e dominação”;  “Édipo e o anjo - itinerários freudianos em Walter Benjamin”; “A razão cativa”; “Teoria crítica e psicanálise”; “As razões do Iluminismo”; “O espectador noturno”;  e “Mal-Estar na Modernidade”. Em 2003, lançou “Os dez amigos de Freud” (2 volumes);  “Interrogações”;  e “Idéias”. Em  2007, publicou “Riso e melancolia.” Atualmente está coordenando a publicação da correspondência completa, ativa e passiva, de Machado de Assis. Membro da Academia Brasileira de Letras, da Academia Brasileira de Filosofia,  do Instituto Histórico e Geográfico e do Pen Clube. 

NO MAIOR PIQUE: Marco Aur leva o repertório deste delicioso disco infantil em show, com entrada franca, na FNAC BH Shopping



O músico Marco Aur convida toda criançada para conhecer No maior pique. Com entrada franca, um pocket show do CD homônimo que acontece no dia 9 de novembro, sábado, às 16h, na FNAC BH Shopping. O álbum é marcado por ritmos brasileiros como o baião de Luiz Gonzaga, rockabilly sessentinha de Elvis Presley e Beatles. Canções que fazem doer o coração adulto e tocam profundo nas grandes questões infantis, com personalidade, muita alegria e alto astral. O CD traz participação especial de Chico Lobo, Luciana Pires e Renato Boechat.  No show, participação especial da cantora Laura Souza e Ester Antunes. Informações adicionais: (31) 3878 2000.
Com participações especiais do violeiro Chico Lobo e da cantora Luciana Pires, o CD Nos três dias de show de lançamento do CD,  o público teve que correr para garantir os ingressos,  pois "no maior pique" os  shows lotaram o Teatro de Bolso do Sesc Palladium,  revelando a força e qualidade do  primeiro trabalho do artista, que  sai pela gravadora Kuarup.
O DISCO:
Fruto de suas experiências como educador, suas viagens e suas inquietações pedagógicas e musicais, o projeto do cantor brinca e explora de maneira divertida, diversificada e lúdica com um universo infantil tão amplo trazendo uma mistura de gêneros musicais pouco explorados por profissionais ligados ao mercado voltado para as crianças. Longe de ser um repertório popular, o disco traz um caldeirão de ritmos combinados a experiências e histórias de aventuras vividas por alunos em sala de aula. O disco abre com Pé de Moleque, rockabilly com reminiscências vocais a Elvis Presley e bateria que lembra o ex-Beatle Ringo Star em inicio de carreira. A canção rock nos chama para as pistas de dança e anuncia o que vem por aí: música para curtir de montão, música que gruda na gente, música que transpõe a novos mundos. Em seguida aparece a canção Música na Cabeça, comentando o fenômeno da memória involuntária, muito típico das melodias populares. É um chorinho, com direito a pandeiro, clarineta e violão, apitos e até buzina de bicicleta. Tudo isso pra exorcizar o incômodo das canções que insistem em povoar nossa cabeça. Meu Dodói, terceira melodia do disco é hit. Não é possível passar ileso por este samba, sem um tropico, sem um arranhão. “Eu amo o meu dodói, ele é tudo pra mim”. Tanta importância assim tem muitos significados: como é duro machucar, como doeu, como eu preciso de carinho, mas também, que aventura eu passei, como eu sou forte e corajoso! É uma música cheia de ironia e humor. Alfafa, quarta canção do CD é um baião rasgado, reverenciando Luiz Gonzaga logo de cara. Sanfona, triângulo, violões e vozes. O som do sertão está no ar e nos convida para um rastapé. Bruna, faixa cinco do trabalho não espera. Se enfeita, se emboneca, se refestela. E vai ser de todas as bruxas, a feia mais bela. Vibrafone, bateria, concertina e risadas horripilantes, loops ácidos de Reason e cordas: um feitiço muito moderno de instrumentos e sons.  Se Você Quiser, a sexta canção entra e vai direto ao coração. Pai, mãe, menino e menina. Deveria ser, mas não é normal o pai pedir para brincar com o filho. A composição transforma sonho em atitude, muitas possibilidades, uma afeição concreta. Quem sabe é a criança que ensina e nos deixa entrar no seu mundo. Lembrando o grupo Uakti, um xilofone introduz a música, ritmando com as cordas do aço do violão e com o pandeiro. A clarineta, o baixo fretless e ao final uma irrupção de sons de djembes e guisos não assustam, a música excede. O Tubarão do Maurilo, faixa sete, é um haikai extraído do livro Rimarinhas de Maurilo Andreas. Não era para ser música porque a letra pequena desenvolve pouco, mas ela tem fôlego de bicho grande e muitos ruídos aquáticos que chamam a atenção. Clima de suspense e participação de Renato Braga narrando uma bela caçada. A seresteira Oh Mamãe é música de admiração e estima. Canção para se cantar alto com o coração pleno. A oitava canção do CD conta com a participação da cantora paulista Luciana Pires. Me Abraça, faixa nove,  não era música, era um relato de experiência em sala de aula. Foi um fato. Triste, pois a criança sofrida não era capaz de um abraço, feliz, pois as aulas de música e a presença afetuosa de adultos fazem a diferença. Virou canção, pois as palavras foram ineficientes e pediram socorro. Novamente a música diz coisas indizíveis. A viola de repente nordestino introduz Bananeira, a faixa dez do CD. Executada pelo músico violeiro Chico Lobo, ela traz um ponteado típico do sertão que climatiza a música. Escala modal, triângulo, efeitos, violão seco e agudo e ao final, pífanos para novamente voltar à viola dinâmica nordestina. Suspensão, terra, sol e a infância plena. Você Sabe Me Dizer, última canção do álbum, foi criada em momento divertido, sobre uma cama, de barriga para ar e muita vontade de brincar com os significados das palavras. A base rítmica feita com percussão corporal e beatbox foi criada naquele momento. Depois vieram o copo, os sacos, o pirex, o “lata drum” e outras pirações. O disco termina com a participação de Renato Boechat nos vocais.
Trata-se de uma produção imprescindível ao universo infantil.

CREA CULTURAL anuncia o RESULTADO DO CONCURSO FOTOGRÁFICO e convida para a exposição “Um olhar para o barroco mineiro”

O Crea Cultural em parceria com o Crea-Minas e o IEPHA-MG anunciam o  resultado do Concurso fotográfico “Um Olhar para o Barroco Mineiro - Homenagem a Aleijadinho”. Ação realizada com o intuito de valorizar a cultura barroca, bem como enaltecer o trabalho do grande mestre Francisco Antônio Lisboa, no ano do bicentenário de sua morte.
Em consenso os jurados elegeram as três fotos premiadas:
1º lugar: Profeta Joel - Welerson Geraldo Athayde Fernandes
2º lugar: Anjo - Alexandre Lúcio dos Santos
3º lugar: Reflexos do Barroco - José Francisco Gonçalves Neto

No dia 18 de novembro, às 20h, no Auditório Crea Minas (Av. Álvares Cabral, 1600 - Santo Agostinho – BH – MG), acontece a abertura da exposição  “Um olhar para o barroco mineiro” e a premiação dos vencedores do Concurso.
A noite contará com apresentação da Cameratta Florentina, com obras de A. Corelli, A.Vivaldi, Leclair, Telemann e J.S. Bach. O grupo é composto por Márcio Ceconello (violino), Rodrigo Bustamante (violino), Roberto Papi (viola) e Eduardo Swertz (violoncelo).

A exposição de todas as fotos participantes do concurso prossegue em cartaz até o dia 20 de dezembro.
Horário de funcionamento da galeria: de segunda à sexta, das 08h as 22h e sábados, das 08h às 20h.

DO CONCURSO:
Demonstrando a geração intensa da atividade fotográfica, de 17 de agosto a 17 de outubro, foram inscritas 70 fotografias de diferentes monumentos, obras, igrejas e esculturas que evidenciam o Barroco Mineiro. O Crea Cultural parabeniza todos os inscritos pela iniciativa e pelas belíssimas fotos, aproveita a oportunidade para agradecer a confiança e a participação neste importante projeto
 A banca julgadora foi composta pela fotógrafa do IEPHA-MG Maria Isabel Lima Chumbinho, pelo artista plástico Sinésio Ribeiro Bastos Filho e pelo fotógrafo do Palácio das Artes Paulo Eduardo Lacerda da Silva, e aconteceu no dia 26 de outubro de 2013, na sala do Crea Cultural, localizada na Avenida Álvares Cabral, 1600, 1º subsolo no Bairro Santo Agostinho, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.  

12 de out de 2013

O UNIVERSO SAGRADO DE CORTEO

por Márcia Francisco


Um universo mais que encantado. Um universo sagrado.  Esta é a essência de Corteo,  espetáculo do Cirque du Soleil em temporada no Brasil e em cartaz na capital mineira.
Corteo, que significa “cortejo” em italiano, é um desfile alegre e festivo imaginado por Mauro, o Palhaço Sonhador. Assim é descrita pela trupe, a trama do fascinante espetáculo, criado e dirigido por Daniele Finzi Pasca. Mas, qualquer palavra, resenha ou significação é pouca para traduzir Corteo.  Sob o meu olhar, o mais tocante de todos os incríveis espetáculos do Cirque.
O espetáculo nos permite um mergulho em um universo mágico residente entre o céu e a terra.  O fio que conduz a vida, nos transporta para o além e,  em dualidades várias remonta em pensamentos, memória s e emoções a  intensa e frágil experiência da vida. Ilusão, lirismo, o perfeito e o imperfeito,  o real e o irreal, o etéreo, o surreal, o velho e o novo, a morte e a vida, passeiam aos nossos olhos, na magia dos acrobatas. Quarenta anjos, se dividem em quatro tipos e amparam, protetores  e sempre bem-humorados, leves e sempre presentes, enredo e homens.  Uma anjinha ensina Mauro, o palhaço sonhador, a voar! Outro anjo ampara um cego que perde no ar o seu chapéu. Galinhas voadoras! Um homem assovia clássicos com inacreditável fidelidade e beleza. A banda precisa revela quatro pilares de pura harmonia. As vozes são sublimes, etéreas, impecáveis.

Inclusão não é novidade para o Cirque du Soleil que, a cada montagem nos apresenta as maravilhas da diversidade universal, vivendo em harmonia, exalando beleza e alegria. Há um palhaço, há uma palhacinha... ambos são encantadores e esbanjam talento.  Há um palhaço gigante... tão gigante que seu tamanho é pura ternura.  Há um teatro íntimo que traz os três e outros cinco, numa divertida versão de Romeu e Julieta, desfeita no tempo  perfeito das cenas do espetáculo inteiro.  Que palhacinha é essa que flutua sobre nossas cabeças e depende de nós para voar?  Sentido mais que sagrado da profana condição do diferente para sobreviver junto ao universo dos homens em seu ordinário. Mas, cortejamos juntos e sempre é possível transformar... Porque o Cirque revela a condição dos homens no universo dos anjos e do sonho realizado. Ali quimeras se desfazem em realidades possíveis. Vale lembrar o trabalho árduo de cada um daqueles mais de 1.300 artistas de mais de 50 países diferentes, que entregam sua verdade e arte maior à condição de nos proporcionar horas de puro acreditar. Cirque  du Soleil  é  sonho, suor, superação, sentido, sentimento, sabedoria de Ser.

Corteo já foi assistido por cerca de 6,8 milhões de pessoas desde a primeira estreia no Canadá em 2005. Sei que minha fala não faz menos unânime as universais críticas positivas ao espetáculo e seus artistas. Mas,  aqui deixo uma impressão que me tocou profundamente.  O mundo inteiro sabe que tudo no Cirque funciona com perfeição, o mundo inteiro também sabe que os roteiros são sempre de puro encantamento. Mas, me emocionei ao constatar que, para  transitar no universo entre o real e o imaginário, através do tênue cordão que liga a vida e a morte ou à pós vida, ou o tempo de quase morte ou, ainda, o instante do sonho, a ilusão do tempo, como queira denominar,  a criadora concebeu o espetáculo, apresentado num inusitado palco 360° - nos permitindo reconhecer expressões e até mesmo nos retratarmos na face contrária aos nossos assentos – assentando seu elenco em palco central que reproduzia  com precisão as proporções e o tamanho do secular e reconhecidamente sagrado, Labirinto da Catedral de Chartres, na França. Há alguns anos, estudo a força e os ícones contidos no referido labirinto, valores tão facilmente explicados, aliás, nos livros da pesquisadora Kathleen McGowan, entre outras tantas bibliografias afins. Em seu centro, uma rosácea de seis pétalas que, aliás, eu trago tatuada na parte frontal do meu ombro esquerdo.  “A rosa no centro do labirinto da catedral de Chartres é o coração de um inigualável templo construído para reverenciar o poder da oração. Foi fundamental aos ensinamentos da escola medieval de ritos, e para a mais poderosa sagrada tradição cristã que ficou perdida para nós, nestes tempos modernos. Tal rosa, traz sua perfeita correlação com a oração do Pai-Nosso”. A oração é  dividida em seis partes, cada uma correspondente a uma de suas pétalas.  Vale lembrar que o Pai-Nosso é a oração mais conhecida e rezada em todo o mundo, independente da fé que se proclame.  A rosa de seis pétalas, bem descrita como a fonte dos milagres, traz cada trecho da oração, respectivamente designando em pétalas: a fé, a rendição, o serviço, a abundância, o perdão e a superação dos obstáculos. Considera-se que o caminho para a real transformação da alma começa com o Pai-Nosso, neste exercício de vida e compreensão das pétalas que, após vivenciadas se fundem no centro da rosa (do labirinto, pois), alcançando a plenitude: o amor. Corteo constrói sua história  sobre este labirinto, em réplica perfeita e, sobre ele deslizam, flutuam, pousam e se elevam personagens e profissionais da arte fazendo do palco um milagre que celebra aos nossos olhos o mais sagrado dos mundos que une nossos destinos em conexões transcendentais e divinas.  Corteo é terra e céu, ligados e equalizados pelo Cirque, iluminando o tempo da delicadeza.

Vale lembrar que a temporada em BH prossegue até o dia 27 e os ingressos passaram a ter preço único (R$200,00 – duzentos reais) para todos os setores, em promoção final de temporada. Simplesmente, imperdível!

8 de out de 2013

Minas Gerais adere, nesta 5ª feira, ao ‘Mulher, Viver sem Violência’

Estado é a oitava unidade federativa a formalizar adesão à iniciativa do governo federal, em seguimento a Bahia, Distrito Federal, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. Programa tem investimento total de R$ 305 milhões, somados ao orçamento inicial os R$ 30 milhões para a aquisição de 54 ônibus e os R$ 10 milhões R$ 10 milhões para a manutenção dos veículos 

Mais dos 50% dos municípios mineiros buscaram a Central de Atendimento à Mulher- Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), no primeiro semestre deste ano: 481 de 853. Na quinta-feira (10/10), Minas reforçará o enfrentamento à violência de gênero com a adesão ao programa ‘Mulher, Viver sem Violência’, do governo federal.

O documento será assinado pela ministra Eleonora Menicucci, da SPM; pelo governador Antonio Anastasia (PSDB-MG); pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB-MG); pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Joaquim Herculano Rodrigues; pelo procurador-geral de Justiça, Carlos André Mariani Bittencourt; e pela defensora pública-geral da Defensoria Pública de MG, Andréa Abritta Garzon. A formalização da cooperação torna Minas a oitava unidade federativa a compor a iniciativa do governo federal, em seguimento a Bahia, Distrito Federal, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe.

Em conjunto com o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, o programa visa articular o atendimento integral das vítimas por meio de serviços públicos de segurança, justiça, saúde, assistência social, acolhimento, abrigamento e orientação para trabalho, emprego e renda na Casa da Mulher Brasileira.  O ato será prestigiado pela secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, e pela coordenadora de Políticas para as Mulheres e Gestora Estadual do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência, Eliana Piola, entre outras autoridades.

O ‘Mulher, Viver sem Violência’ é formado por seis eixos estratégicos: construção, reforma predial, equipagem e manutenção da Casa da Mulher Brasileira – uma por capital; transformação da Central de Atendimento à Mulher- Ligue 180 em disque-denúncia; organização dos serviços na saúde e na coleta de vestígios de crimes sexuais, em parceria com os ministérios da Saúde e da Justiça;  criação de seis centros de atendimento em fronteiras secas para enfrentar o tráfico de mulheres; campanhas continuadas de comunicação para prevenção da violência; e unidades móveis para o acolhimento de mulheres rurais.

Tem investimento total de R$ 305 milhões, somados ao orçamento inicial os R$ 30 milhões para a aquisição de 54 ônibus e os R$ 10 milhões referentes à manutenção dos veículos, que circularão no interior dos estados e do Distrito Federal levando serviços de segurança pública e de justiça.

Quadro da violência de gênero – Minas Gerais é o 20º estado em assassinatos de mulheres – sete municípios estão entre os 100 com maiores índices de mortes, de acordo com o Mapa da Violência 2012: Patrocínio, Coronel Fabriciano, Vespasiano, Nova Serrana, Betim, Esmeraldas e Paracatu.

Os dados do Ligue 180 sobre o primeiro semestre deste ano revelam Minas como 16ª unidade federativa em atendimentos. Dentre as capitais, Belo Horizonte ocupa a 17ª posição com 3.544 registros.

Atualmente, Minas possui 62 delegacias, 13 centros de referência, sete defensorias públicas, três casas-abrigos, três varas adaptadas de violência doméstica e familiar e uma promotoria.

FESTIVAL MOZART E SUAS INFLUÊNCIAS


Ministério da Cultura, Instituto Unimed-BH e Localiza apresentam
FESTIVAL MOZART E SUAS INFLUÊNCIAS

INSPIRAÇÃO é a essência deste evento que celebra o compositor
em programas musicais inéditos com  intérpretes ilustres e internacionais; 
revela particularidades e “segredos” musicais do mito
e traz ADÉLIA PRADO em palestra na noite inaugural

(Melani Mestre - pianista espanhol, estará presente no Festival Mozart e suas influências)

Dentro das comemorações dos 25 anos do Selo Karmim, de 21 a 24 de outubro, sempre às 20h, acontece no Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2244 – Lourdes – BH – MG), o Festival “Mozart e suas influências”. O evento apresenta ao público belo-horizontino, através de palestras, recitais de piano, duo de violoncelo e piano e apresentação de coral, um panorama inusitado que revela como a obra de Mozart, tão ricamente, influenciou compositores de todas as épocas.
Programas musicais inéditos, presença de intérpretes ilustres e internacionais, entre eles: os brasileiros Luiz Gustavo Carvalho, Eduardo Hazan, Família Barros, Arnon Oliveira e Patrícia Valadão e,  Melani Mestre Rebull (Espanha),  enriquecidos, ainda, pelos comentários do professor e músico Guilherme Nascimento, que antecedem cada programa musical e revelam peculiaridades vivenciais de Mozart.
Na edição do dia 21, a noite abertura do evento recebe Adélia Prado, em palestra especial com o tema “Inspiração”.
Idealizado por Carminha Guerra, o “Festival Mozart e suas influências” reafirma a sensibilidade da gestora que, artisticamente, une expressões culturais, épocas e estilos, construindo um universo de delicadezas e celebrações a cada ação cultural, nestes 25 anos de inesquecíveis produções.
Realizado pelos benefícios da Lei de Incentivo Federal à Cultura, com o patrocínio do Instituto Unimed BH e Localiza, o evento acontece em parceria com a Fundação de Educação Artística (50 anos), Procurar-se (25 anos). O evento tem promoção do Jornal Estado de Minas (85 anos) e da Rádio Guarani.
Os ingressos para o evento estarão à venda, a partir do dia 20 de setembro, na bilheteria do Teatro, de segunda a sábado, das 12h às 20h/ domingos, de 12h às 19h  Informações adicionais: (31) 3516-1360 e www.karmim.com

EVANILDO BECHARA NA AML


“O autor na Academia”, projeto realizado pela nossa Academia Mineira de Letras com o apoio da FIAT, receberá no dia 9 de outubro, quarta-feira, às 19h, o professor Evanildo Bechara, da Academia Brasileira de Letras, que falará sobre o tema "A Língua Portuguesa do Brasil no atual panorama da Lusofonia internacional" - um passeio pela história da língua portuguesa, pelas suas riquezas e pelo compromisso de seus donos para garantir a ela papel decisivo no próximo sistema mundial. Evanildo Bechara é o representante da Academia Brasileira de Letras para a adoção do novo Acordo Ortográfico.
“O autor na Academia” tem entrada franca e visa aproximar o público leitor da realidade dos autores, através da Academia Mineira de Letras que abre suas portas para compartilhar cultura e arte. Vale registrar que estudantes universitários recebem certificado de participação com inclusão de carga horária.
  
No dia do evento, 100 (cem) exemplares do livro “Gramática Escolar da Língua Portuguesa”, de Evanildo Bechara, Editora Nova Fronteira - edição 2010: ampliada e atualizada pelo novo acordo ortográfico -   estarão à venda pelo preço simbólico de R$5,00 (cinco reais), cada.  Um exemplar será sorteado entre os presentes. O escritor estará disponível para autógrafos.   

TINO GOMES: 40 anos de carreira e 60 anos de vida!


Será no dia 13 de outubro, domingo, a partir das 18h, no Alfândega (Rua Viçosa, 250 – São Pedro – BH – MG), a celebração dos 40 anos de carreira e 60 anos de vida de Tino Gomes. Multiartista de atividades ininterruptas no setor cultural, o montesclarense Tino Gomes, é pedra preciosa mineira, lapidada no exercício da arte, cujo brilho é seu talento nato.
Na noite da festa, acontece o lançamento do seu CD “Coletânea 40 anos”, com show de Tino Gomes. Em seguida, palco aberto para seus amigos de caminhada: Paulinho Pedra Azul, Alexandre Az, Sergio Moreira, Tadeu Franco, Márcio Greick, Tizumba...  e outros queridos, cantando com Tino Gomes em uma deliciosa celebração!
A coletânea traz músicas que marcaram a trajetória do artista e a inédita “Entre Estrelas”, em parceria com Alexandre Az, com uma sonoridade anos 70 que, sutilmente, rememora a década de início da carreira de Tino Gomes.
Não haverá cobrança de couvert.  Evento com consumação mínima de R$30,00 e cartela individual, para consumos adicionais. Informações adicionais: (31) 32231987.
***Incansável, Tino Gomes também se apresentará no Teatro da Cidade (Rua da Bahia 1341 – Centro – BH – MG), com o espetáculo "Cantoria e uns cauzin de Safadeza", nos  dias 18, 19 e 20 e,  25, 26 e 27 de outubro – sexta e sábado às 20h30, domingo às 19h. Ingressos à venda no local R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia-entrada).
“Sou mineiro e falo um tal de minerês”
(Tino Gomes)
TINO GOMES:
Na verdade, Tino Gomes é um mineiro universal, multiartista a transitar lúcido e intenso nos caminhos valiosos das muitas expressões culturais que, consistentes, possam revelar sua essência. Falar de Tino Gomes é falar de um universo infindável de talento e criatividade. Na prática, tudo sempre aconteceu simultaneamente na carreira deste mineiro que adotou, como lema, a emblemática frase: “Sou do mundo, sou Minas Gerais”:
TRAJETÓRIA:
Música x Teatro
Desde criança, Tino já tocava violão. Dos 10 aos 16 anos, quando foi seminarista, cantava no coro e, no teatro no seminário, atuava em dramas e comédias. Nessa época, viajava de trem com a Companhia apresentando as peças, nos cinemas das cidades do sertão do Norte de Minas.
Após 6 anos, desistiu da carreira de seminarista e, em Montes Claros, sua terra natal, ainda adolescente, montou sua primeira banda de rock, “The Wilds”, onde se apresentava em bailes da cidade.
Sua história musical profissional deu seus primeiros passos em 1972, a partir dos palcos da peça "Morte e Vida Severina", em São Paulo, quando, então, junto com mais três atores (Charles Boavista, Angela Linhares e Eliane Steves) fundou o “Grupo Raízes, cuja proposta era fortalecer a música regional do Brasil. O primeiro disco do grupo tinha como carro chefe a música "Desentoado" ("...eu sou fruta do norte, no curral sou boi de corte; sou água de enxurrada, pau preto no pé da serra...") de autoria de Tino Gomes e Charles Boavista, sendo tocada em todo o território nacional. Essa era a época efervescente da música regional brasileira, quando então surgiram vários grupos conhecidos, tais como Quinteto Vilolado, Banda de Pau e Corda, Quinteto Harmorial, Novos Baianos e outros.
Em 1975, de volta a Montes Claros, Tino Gomes retornou ao Grupo Folclórico Banzé. Atuando como músico e dançarino, participou de vários festivais, nacionais e internacionais, representando a cultura e a tradição do norte de Minas. Em 1978, formou o grupo “Terno de São Benedito e gravou seu primeiro disco solo "Saudação", que teve como produtor e diretor musical o cantor e compositor Ivan Lins.
A partir daí, foram quinze discos gravados e mais de quinhentos jingles e trilhas para comerciais. Em discos e dividindo palcos, Tino Gomes já teve, como parceiros, Ivan Lins, Flávio Venturini, Nivaldo Ornelas, Elza Soares, Gorete Milagres, Beto Guedes, Milton Nascimento, Marcus Viana, Jackson Antunes e outros.
Durante todos esses anos, a carreira de ator não ficou para trás. No cinema, trabalhou em vários filmes, entre eles o premiado filme de Carlos Alberto Prates “Minas Texas”, ao lado de Andréa Beltrão, José Dumont e Tony Ramos e o recém lançado “Meu Pé de Laranja Lima”, do diretor Marcus Bernstein. Também contracenou com o ator João Miguel no filme “Matraga - A hora e vezde Augusto Matraga”, do diretor Vinícius Coimbra, ainda inédito no circuito comercial.
Na televisão, foi apresentador de dois programas em BH: o irreverente “Brechó do Troca-Troca” e o “Programa Clandestino”Também participou das novelas globais “Caminho das Índias” e “Malhação” e da minissérie “A Cura”. Em 2009 esteve em cartaz no Teatro Clara Nunes/RJ, com o musical “Um lugar chamado recanto”, de Fred Mayrink. Atuando ao lado de Nivea Stelmann, Cláudio Galvan e Ronnie Marruda, Tino foi, também, o responsável pela preparação musical de percussão dos atores.
Atualmente, Tino Gomes viaja com o seu espetáculo de humor “Cantoria e uns Cauzim de Safadeza”, que é sucesso de público e crítica onde se apresenta. Na peça, uma mistura inteligente de ‘causos’ populares e músicas engraçadas, Tino Gomes interpreta vários personagens caricatos. É um espetáculo que explora todo o seu potencial artístico e que proporciona um passeio irreverente pelo lado divertido da cultura mineira.
Público Infantil
Seu primeiro contato com as crianças foi ainda em São Paulo, em 1972, quando trabalhou como ator em peças infantis, como “O Palhaço Imaginador” de Ronaldo Ciambroni, no teatro Treze de Maio.
De volta a Montes Claros, Tino Gomes lecionou no Conservatório Lorenzo Fernandes, ministrando aulas de violão, musicalização e prática de conjunto para crianças.
Já morando em Belo Horizonte, a convite da Editora Lê, Tino escreveu “Festança”, seu primeiro livro infantil, ilustrado por Denise Rochael.“Festança” é uma colcha de retalhos de estórias infantis vividas no Norte de Minas. Para divulgação do livro, musicou algumas estórias e, juntamente com a equipe da Editôra Lê, se apresentou em escolas da capital e do interior de Minas, contando e cantando essas estórias para as crianças.
Com o sucesso do livro, Tino escreveu “A Magia do Signo, também com desenhos de Denise Rochael. Um livro cheio de humor, onde brinca com as datas e os signos do zodíaco.
Dois anos mais tarde viria o livro, “O Menino e o Tempo”, desta vez, para a Editora do Brasil, com ilustrações de Marilda Castanho. O livro conta a história de um menino que passa a vida procurando saber o que há atrás de uma montanha onde nasce o sol. De tão preocupado com este fato, não percebe que sua vida passou rápido e já está velho.
Tino Gomes, então, escreveu Camundongo’s Rap”, com ilustrações de Denise Rochael. Livro alegre, conta a estória de um ratinho cantador de hip hop que, junto com sua turma de amigos, vive provocando um gato. Este livro teve várias edições e, em 2011, o texto foi adotado pela FTD, integrando seus livros didáticos.
“O universo lúdico da criança me fascina. Sempre tive muita facilidade em lidar com crianças e, escrever para elas, é um presente para mim. Uma verdadeira válvula de escape no meio da seriedade do dia-a-dia”, diz Tino. “O meu próximo trabalho, que já está em andamento, será o DVD de desenho animado “Turma do Toy”, com 10 músicas infantis inéditas. Está sendo um trabalho muito gostoso de fazer. Ver a música tomar vida através dos personagens e dos desenhos é uma experiência nova para mim”.
E, para comemorar seus 40 anos de carreira, além do DVD infantil, seu projeto atual é a gravação de um DVD Documentário, registrando toda sua trajetória artística pelas estradas de Minas e do Brasil. Um talento que despontou ainda criança e que continua a se recriar constantemente, a buscar novos caminhos e, principalmente, a aprender com os jovens. “Essa moçada está por aí fazendo coisas bacanas e eu tenho muito a ensinar e a aprender com eles.”

A COLETÂNEA 40 ANOS
por Tino Gomes
Foi, realmente, uma tarefa muito difícil escolher as músicas, pois são 40 anos compondo e tendo canções cantadas, gravadas, outras não cantadas e até não gravadas. Pensei, então, escolher as músicas que marcaram mais essa minha estrada.
DESENTOADO: Tino Gomes e Charles Boavista, composta em São Paulo nos anos 70, num bar da Av. Nove de Julho , escrita em um papel de pão. Ali estava escrito: “Sou fruta do norte, no curral sou boi de corte, sou água de enxurrada, pau preto no pé da serra”. Foi a primeira música que compus.
Depois coloquei MONTESCLAREOU, uma homenagem que fiz em parceria com Georgino Júnior a minha Terra Montes Claros. “Montes Claros Montesclareou meus olhos cegos de poeira e dor”.
SIDERAL, também feita em parceria com Georgino Júnior, embalou  algumas histórias de amor nos anos 80. “Tenho medo de nós dois / e por isso sou assim, viajante sideral em mim/ Só Deus sabe por onde andei/ nos teus braços me embriaguei, tantas luas tantas estrelas eu sei.”
Também coloquei músicas que fizeram parte de minha história e que me acompanham até hoje como, a VALSA DO DESENCANTO de Paulinho Pedra Azul. Brinco com Paulinho que essa música já é de” usocapião”, pelo tempo que canto esta linda canção dele.
Todas as músicas são gravações originais, exceto  Desentoado e Montesclareou, que foram regravações.
Nesta coletânea consegui, ainda, reunir muitos amigos, músicos, arranjadores, produtores, parceiros, estúdios e amigos que caminharam comigo nesses 40 anos de estrada. 
Tenho medo de citar nomes e de me esquecer de alguém, pois todos tiveram participação fundamental no meu trabalho.
Resolvi também gravar uma música inédita que fiz com meu parceiro Alexandre AZ, “ENTRE ESTRELAS”. Nesta gravação, quis trazer a sonoridade dos anos 70. Para isso, Luiz Gustavo fez o arranjo de bateria e cordas, Hairlan tocou o baixo, eu toquei os violões e Célio Balona fez o Rodies e o Moog.
TINO GOMES – COLETÂNEA 40 ANOS teve montagem e masterização no Studio HP, por Luiz Gustavo. Projeto gráfico: Ludmila Araújo da Blue Cultura.