10 de set de 2012

MILTON NASCIMENTO - DOUTOR HONORIS CAUSA



O Conselho Universitário da UEMG entrega, nesta segunda, dia 10, às 17h, em solenidade a ser realizada no Auditório JK, da Cidade Administrativa, o título de “Doutor Honoris Causa” ao cantor e compositor Milton Nascimento, que está completando 50 anos de carreira. A solenidade acadêmica terá a presença do governador Antônio Augusto Anastasia e será presidida pelo reitor, professor Dijon Moraes Júnior. Toda a programação está sendo coordenada por uma comissão tendo à frente a vice-reitora, professora Santuza Abras e a solenidade será aberta ao público. Milton Nascimento é reconhecido mundialmente como um dos mais influentes e talentosos cantores e compositores da MPB.
O estilo musical de Milton pode ser classificado como Música Popular Brasileira, surgido de um desdobramento do movimento da bossa nova, com fortes influências desta, do jazz, do jazz-rock e de grandes expoentes do rock, como os Beatles, Bob Dylan e com pitadas tanto da música hispano-americana de Mercedes Sosa, Violeta Parra e Victor Jara, quanto dos sons caribenhos de Pablo Milanes e Silvio Rodrigues. Ao mesmo tempo, o estilo de Milton nascimento não deixa de beber nas fontes regionais brasileiras, nos cantos folclóricos de Minas Gerais e de outros estados.
Participou de festivais em 1966 e 67, quando obteve o segundo lugar com "Travessia", sua e de Fernando Brant, e ganhou o prêmio de melhor intérprete. Gravou o primeiro disco nesse mesmo ano, viajando em seguida para os Estados Unidos, onde grava "Courage", em 1968. A partir daí gravou discos que marcarm época, como "Milton", "Minas", "Gerais" "Milagre dos Peixes" e os dois volumes de "Clube da Esquina", que acabaram intitulando toda a geração mineira emergente; Lô Borges, Beto Guedes, Toninho Horta, Wagner Tiso, Nivaldo Ornellas, Nelson Ângelo, Tavito e outros. Nos anos 70 teve algumas músicas censuradas pelo regime militar e gravou outros discos nos EUA, com a participação de Airto Moreira, Herbie Hencock, Wayne Shorter e outros. É considerado, tanto no Brasil quanto no exterior, um dos maiores cantores da música brasileira, além de ser um compositor consagrado, que influenciou toda uma geração de músicos. Em 1998 ganhou o Grammy na categoria World Music com seu disco "Nascimento". Entre seus maiores sucessos estão "Caçador de Mim" (Luís Carlos Sá/ Sérgio Magrão), "Nos Bailes da Vida", "San Vicente", "Bola de Meia Bola de Gude" (com F. Brant), "Canção da América" (com F. Brant), "Coração de Estudante" (com W. Tiso), "Fé Cega, Faca Amolada" (com Ronaldo Bastos), "Maria Maria" (com F. Brant), "Paula e Bebeto" (com Caetano Veloso), "Ponta de Areia" (com F. Brant), "Milagre dos Peixes" (com F. Brant), "Beijo Partido" (com Toninho Horta), "Tudo Que Você Podia Ser" (Lô Borges/ Márcio Borges), "Sentinela" (com F. Brant), "Um Girassol da Cor do Seu Cabelo" (L. Borges/ M. Borges), "Cais" (com R. Bastos), "Encontros e Despedidas" (com F. Brant), "O Cio da Terra" (com Chico Buarque), "Calix Bento" (Tavinho Moura), "Nada Será como Antes" (com R. Bastos), "Fazenda" (com Nelson Ângelo) e "Cravo e Canela" (com R. Bastos).

Nenhum comentário: