16 de jan de 2012

Morre, em Belo Horizonte, o escritor Bartolomeu Campos de Queirós



















O escritor Bartolomeu Campos de Queirós, de 66 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (16), em Belo Horizonte. Mineiro da cidade de Papagaios, Região Central de Minas Gerais, Queirós ocupava a Cadeira 26 na Academia Mineira de Letras (AML). De acordo com nota divulgada pela AML, o escritor, que sofria de insuficiência renal e fazia hemodiálise regularmente, estava internado no Hospital Felício Rocho, na Região Centro-Sul da capital.
Bartolomeu publicou mais de 40 livros, sendo alguns deles traduzidos para o inglês, espanhol e dinamarquês. Estudioso da filosofia e da estética, utilizou a arte como parte integrante do processo educativo. Cursou o Instituto de Pedagogia em Paris e participou de importantes projetos de leitura no Brasil, como o ProLer e o Biblioteca Nacional, dando conferências e seminários para professores de leitura e literatura. Foi presidente da Fundação Clóvis Salgado e membro do Conselho Estadual de Cultura.
Um dos mais premiados escritores mineiros dos últimos tempos, Bartolomeu foi agraciado com o Prêmio Cidade de Belo Horizonte; Prêmio Jabuti; Selo de Ouro, da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil; Diploma de Honra da IBBY, de Londres; Premio Rosa Blanca (Cuba); Quatrième Octagonal (França); Prêmio Nestlé de Literatura; Prêmio Academia Brasileira de Letras, entre muitos outros.
O corpo de Queirós será velado no Auditório Vivaldi Moreira, da AML, na Rua da Bahia, 1.466, das 11h às 16h desta segunda-feira, dia 16 de outubro. O enterro será às 17h, no Cemitério Parque da Colina, no bairro Nova Cintra, na Região Oeste de BH.

Nenhum comentário: