31 de jan de 2012

Beth Carvalho - "Nosso Samba tá na rua"
Show de Abertura com a Banda Samba de Empório














Depois de estrear no Rio de Janeiro e São Paulo, chegou a vez de Belo Horizonte receber a turnê de “Nosso Samba tá na rua”, com Beth Carvalho. O show acontece no dia 3 de fevereiro, sexta-feira, a partir de 22h30, na arena Chevrolet Hall, e terá no repertório músicas do álbum recém lançado pela cantora, depois de 15 anos sem lançar um disco de inéditas.
Sambista de maior prestígio e popularidade do Brasil, Beth Carvalho também é reconhecida por revelar talentos do samba, e por isso é carinhosamente chamada de “madrinha do samba”. No novo disco ela apresenta composições de autores da nova geração, inclusive da própria filha, Luana Carvalho, que compôs “Arrasta a sandália”.
Nosso samba tá na rua” traz ao todo 15 faixas, a maioria delas inéditas. Entre as regravações estão “Em cada canto uma esperança”, parceria de D. Ivone Lara (a quem ela dedica o disco) com seu fiel parceiro Délcio Carvalho, e “Minha História”, versão de Chico Buarque, música que sempre foi muito especial para Beth, e que ficou em primeiro lugar no bate-bola promovido pela cantora para definir o repertório final do disco. O disco também marca o reencontro da artista com o produtor musical Rildo Hora, que assinou a produção dos mais importantes discos da cantora na década de 70.
Beth Carvalho tem 45 anos de carreira e uma discografia de 33 discos e quatro DVDs lançados. A cantora já recebeu seis Prêmios Sharp, 17 Discos de Ouro, nove de Platina, um DVD de Platina, além de centenas de troféus e premiações.  Mais: chevrollethallbh

28 de jan de 2012

BH JAZZ FESTIVAL - NESTE DOMINGO NA PRAÇA DA LIBERDADE!






Neste Domingo, dia 29 de janeiro, das 13 às 22 horas, Belo Horizonte recebe a segunda edição do BH Jazz Festival. O evento acontece na Praça da Liberdade e terá em sua programação respeitados nomes do jazz nacional e internacional. A entrada é franca.
Na programação, dez atrações vão se revezar nos palcos, levando para a plateia o melhor dos acordes do blues, jazz e da MPB. Dos músicos internacionais, estão confirmados o americano Donny Nichilo, mestre do piano que já tocou com lendas vivas, como o guitarrista Carlos Santana e o Rolling Stone - Ron Wood; e a banda argentina Escalandrum, que tem à frente um dos nomes mais representativos do jazz argentino contemporâneo, Daniel 'Pipi' Piazzolla.
Para as atrações nacionais, foram convidados - Celso Blues Boy, virtuoso guitarrista brasileiro, Fernando Sodré, que vai mostrar porque sua viola caipira ultrapassa e abrange a sonoridade de muitos estilos, Toquinho, músico com 42 anos de carreira que sabe unir técnica e sensibilidade, popular e erudito em sua aquarela de sons e harmonia, e Túlio Mourão, que vai apresentar músicas de seu vasto repertório.
O festival conta também com Ricardo Silveira, considerado um dos mais importantes músicos brasileiros, as duplas Duofel, conhecidos por terem criado uma nova linguagem para o violão brasileiro, e Duo SoaresCastro, revelações da música instrumental mineira. Outro ponto alto da noite será a presença de Yamandu Costa, considerado uma referência mundial quando se fala em interpretação de música brasileira, explora todas as possibilidades do violão de sete cordas, renovando antigos temas e apresentando composições próprias de intenso brilho.
Programação:
13h - Duo Soares Castro (BR) no Palco 1

13h55 - Fernando Sodré (BR) no Palco 2

14h50 - Duofel e Túlio Mourão (BR) no Palco 1

15h45 - Ricardo Silveira (BR) no Palco 2

16h40 - Daniel Piazzolla & Escalandrum (ARG) no Palco 1

17h45 - Donny Nichilo (EUA) no Palco 2

18h50 - Yamandu Costa (BR) no Palco 1

19h55 - Celso Blues Boy (BR) no Palco 2

21h - Toquinho (BR) no Palco 1

17 de jan de 2012

VERÃO ARTE CONTEMPORÂNEA

13/01/2012 a 12/02/2012












Na edição de 2012, são mais de 45 atrações que se apresentam em 24 espaços públicos e culturais da cidade: cinema, gastronomia, teatro, literatura, artes, música, dança, artes visuais, moda e trabalhos de pesquisa. O objetivo do projeto é exaltar a cultura e valorizar propostas autorais, com foco na busca das raízes brasileiras e o pensamento contemporâneo.
Confira a programação:
http://www.veraoarte.com.br/

16 de jan de 2012

Morre, em Belo Horizonte, o escritor Bartolomeu Campos de Queirós



















O escritor Bartolomeu Campos de Queirós, de 66 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira (16), em Belo Horizonte. Mineiro da cidade de Papagaios, Região Central de Minas Gerais, Queirós ocupava a Cadeira 26 na Academia Mineira de Letras (AML). De acordo com nota divulgada pela AML, o escritor, que sofria de insuficiência renal e fazia hemodiálise regularmente, estava internado no Hospital Felício Rocho, na Região Centro-Sul da capital.
Bartolomeu publicou mais de 40 livros, sendo alguns deles traduzidos para o inglês, espanhol e dinamarquês. Estudioso da filosofia e da estética, utilizou a arte como parte integrante do processo educativo. Cursou o Instituto de Pedagogia em Paris e participou de importantes projetos de leitura no Brasil, como o ProLer e o Biblioteca Nacional, dando conferências e seminários para professores de leitura e literatura. Foi presidente da Fundação Clóvis Salgado e membro do Conselho Estadual de Cultura.
Um dos mais premiados escritores mineiros dos últimos tempos, Bartolomeu foi agraciado com o Prêmio Cidade de Belo Horizonte; Prêmio Jabuti; Selo de Ouro, da Fundação Nacional do Livro Infanto-Juvenil; Diploma de Honra da IBBY, de Londres; Premio Rosa Blanca (Cuba); Quatrième Octagonal (França); Prêmio Nestlé de Literatura; Prêmio Academia Brasileira de Letras, entre muitos outros.
O corpo de Queirós será velado no Auditório Vivaldi Moreira, da AML, na Rua da Bahia, 1.466, das 11h às 16h desta segunda-feira, dia 16 de outubro. O enterro será às 17h, no Cemitério Parque da Colina, no bairro Nova Cintra, na Região Oeste de BH.

12 de jan de 2012

CALENDÁRIO REFORÇA LUTA PELA CAUSA ANIMAL

Projeto será lançado no próximo dia 14, com o objetivo de arrecadar renda para entidades independentes que se dedicam a retirar animais de rua e incentivar a adoção de cães e gatos resgatados
Todos os dias, incontáveis animais por todo o Brasil são abandonados ou vítimas de maus-tratos. Infelizmente não na mesma proporção, mas, ainda bem!, num ritmo cada vez mais crescente, surgem pessoas que se mobilizam e se unem para diminuir o sofrimento de bichinhos que vivem pelas ruas em situações de risco e de desprezo absoluto. Em geral, são iniciativas independentes ou organizações civis sem qualquer respaldo governamental ou da iniciativa privada. Igualmente independente e como uma forma de colaborar para que pelo menos parte dos animais retirados das ruas de Belo Horizonte e região possa ter um pouco mais de carinho, conforto e dignidade, será lançada no próximo dia 14 de janeiro, sábado, a edição 2012/2013 do calendário Amigo não se compra. Adote e faça a diferença! O lançamento será realizado no Balaio de Gato, a partir das 17h, e tem entrada franca. Cada calendário será comercializado ao valor de R$ 15.

O projeto mira dois objetivos: arrecadar renda, revertendo-a totalmente para entidades ou protetores independentes que se dedicam à causa animal, e, ao mesmo tempo, incentivar a adoção de animais que foram resgatados das ruas. O calendário reúne em 12 meses pessoas que encontraram na adoção uma forma de ajudar e conta as histórias dessas famílias que consideram os companheiros de quatro patas essenciais em suas vidas.

Entre os fotografados estão, por exemplo, o coordenador do Núcleo Fauna de Defesa aos Animais, Franklin Oliveira, que trabalha como protetor há pelo menos 30 anos, a chef de cozinha Iaiá Milagres, que adotou um gato paraplégico, o músico César Maurício, ex-Virna Lisi, e sua esposa, Clarice Libânio, coordenadora da ONG Favela é Isso Aí!, que vivem com sete gatos, e as empresárias Luciana e Valéria Alvim, que comandam o badalado bar Balaio de Gato tendo sempre como companheira e mestre de cerimônias a cachorrinha Beré, adotada há cerca de 15 anos.

O calendário tem tiragem de mil exemplares, em formato de mesa 21x15cm, e, após o lançamento, continuará à venda no Balaio de Gato e também no São Benedito Café (Rua Cláudio Manoel, 339, Funcionários), na loja Objetos Aluízio Figueiredo (Praça Duque de Caxias,316, Santa Tereza) e pela webstore New-Pós-Neo (http://www.newposneo.com/).
Lançamento do Calendário 2012/2013 Amigo não se compra. Adote e faça a diferença!
Dia 14 de janeiro, a partir das 17h
Balaio de Gato (Rua Piauí, 1.052, Funcionários)
Entrada franca – Cada calendário será vendido a R$ 15, em dinheiro ou cheque
Informações adicionais: 31 3077-0112
atendimento@bendita.net
VAREKAI - Cirque Du Soleil em BH

 












Os artistas da maior companhia circense do mundo desembarcam no próximo dia 12, na capital mineira, para a preparação das apresentações do espetáculo Varekai. Belo Horizonte será a terceira capital a receber a trupe. O grupo estreia dia 19 de janeiro na Grande Tenda Azul e Amarela que será instalada na Av. Clóvis Salgado s/n (ao lado da antiga Toca da Raposa). Entre São paulo e Rio de Janeiro, mais de 350 pessoas já assistiram ao espetáculo de maior sucesso de bilheteria no Brasil em 2011. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria oficial do espetáculo localizada no Shopping Cidade (Piso GG, Rua Tupis, 337 – Centro – Belo Horizonte). Também é possível adquirir ingressos pela internet em http://www.ticketsforfun.com.br/

Sites oficiais: http://www.varekai.com.br/ e
www.cirquedusoleil.com/pt/home.aspx#/pt/home/americas/brazil.aspx 

Bilheteria oficial: Shopping Cidade – Piso GG, Rua Tupis, 337 – Centro – Belo Horizonte
Sessões e horários: terça a sexta-feira, às 21h; sábados, às 17h e 21h; domingos, às 16h e 20h

PREÇO DOS INGRESSOS
3ª-feira, 4ª-feira, 5ª-feira e domingo (20h) 6ª-feira, sábado (17h e 21h)
e domingo (16h)
Setor Premium (*) R$ 370 R$ 395
Setor 1 R$ 340 R$ 360
Setor 2 R$ 250 R$ 260
Setor 3 R$ 140 R$ 150

(*) Com valor adicional de R$ 190 – acesso ao Tapis Rouge, que ocorre uma hora antes do início do espetáculo e dá direito a estacionamento exclusivo, brinde, programa de luxo, bufê incluindo alimentos e bebidas, loja de merchandising com itens diferenciados e banheiros exclusivos.
Meia-entrada: obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição de beneficiário.
Duração do espetáculo: Aproximadamente 150 minutos (com intervalo de 30 minutos)
Capacidade da tenda: 2.612 lugares
Classificação etária: Livre, menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsável legal
Acesso para deficientes
Ar-condicionado
Proibida a utilização de máquinas fotográficas, assim como aparelhos celulares
James Blunt em BH














O cantor britânico James Blunt, famoso pelas premiadas músicas You’re Beautiful e Same Mistake, trará seus grandes sucessos no dia 22 de janeiro, às 19h, no palco do Chevrolet Hall, em Belo Horizonte. O público da capital mineira se encantará com as canções melódicas do artista. A turnê Some Kind of Trouble inclui performaces de seus singles de sucesso internacional, Stay The Night e I’ll Be Your Man, e tem se mostrado uma verdadeira sensação mundial.
Stay the Night, escrita por Blunt com Ryan Tedder (OneRepublic) e com o premiado compositor e produtor Steve Robson (Carrie Underwood, Rascal Flatts, Take That), foi o segundo single mais tocado de Blunt nas rádios ao redor do mundo, atrás apenas de You’re Beautiful, e top 10 em vários países, incluindo Áustria, Bélgica, Alemanha, Itália, Suíça, Holanda e Austrália, onde também recebeu disco de platina.
Um artista talentoso em apresentações ao vivo, Blunt, juntamente com sua banda, está terminando uma turnê europeia, na qual tocaram na França, Rússia, Estónia, Letónia, Lituânia, Dinamarca, Alemanha, Suíça e Portugal. Ainda este mês, passarão pelo Canadá e Estados Unidos. No Brasil, os shows acontecerão a partir de janeiro em quatro capitais: Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.
Some Kind of Trouble revela Blunt em uma moldura otimista de espírito, captando novos sentidos de espontaneidade e emoção. Produzido por Robson (em co-produção com Greg Kurstin), o álbum - que segue o aclamado All the Lost Souls, de 2007 – marca um dos mais importantes trabalho de Blunt até hoje, com músicas ao vivo, e energia contagiante.
Com 19 milhões de cópias vendidas, James Blunt é sem dúvida um dos cantores e compositores mais talentosos e bem-sucedidos de sua geração. Ele atraiu a atenção do mundo em 2005 com seu primeiro álbum, duas vezes premiado com o disco de platina, Back to Bedlam, que continha o hit nº 1 You’re beautiful. All the Lost Souls, lançado dois anos depois, estreou no topo das paradas em 10 países e ganhou elogios da crítica por sucessos como 1973 e Same Mistake. Ingressos à venda na bilheteria do Chevrollet Hall e Tickets for Fun.

10 de jan de 2012

UM FELIZ ANIVERSÁRIO E UMA SUPER DJ
(na foto a DJ Sandra Nascimento e Jader Rezende)

Noite deliciosa de aniversário do colega Jader Rezende, no Bar da Taninha (BH/MG). Em plena segunda, dia 09 de janeiro, reuniu muitos amigos queridos deles e comuns em uma super festa! Dublê de jornalista e super DJ, Sandra Nascimento fez o melhor som, digno e honesto! Brava, Sandrinha! Pessoal, falou em DJ, pense SAndra, que com seu marido FAusto, criou a dupla Safa! Juntos, arrasam com os toca-discos únicos e disquinhos coloridos da melhor qualidade! Ontem foi assim, madrugada afora! Parabéns, Jader! E atenção cadernos de decoração e jornalistas de plantão: de casa nova... Jader está finalizando o único banheiro Mondrian do mundooooooooo! Conferi um vídeo no melhor estilo making off, by Carvalho’s Cam! Show!

4 de jan de 2012

CELEBRANDO 15 ANOS, MOSTRA TIRADENTES COLOCA O PAPEL DO ATOR NO CENTRO DA DISCUSSÃO E HOMENAGEIA SELTON MELLO















Evento também anuncia sua programação de curtas-metragens, com mais de 80 filmes selecionados, incluindo obras premiadas em festivais nacionais e internacionais
A Mostra de Cinema de Tiradentes chega a sua 15ª edição, de 20 a 28 de janeiro de 2012 - um percurso que testemunhou o surgimento de uma nova geração e a trajetória do cinema brasileiro pós-retomada, de Central do Brasil a Tropa de Elite 2. Nesse período, foram inauguradas mais de mil salas no circuito exibidor, o público de cinema dobrou no país e a participação da produção brasileira nesse total multiplicou-se por quatro. Foi um período de renascimento e consolidação do cinema brasileiro, e a Mostra Tiradentes acompanhou de perto todo esse processo.
“A cada ano, a Mostra Tiradentes tem demonstrado capacidade de renovar-se e estabelecer diálogo entre as diversas esferas da sociedade e as forças constituintes de uma cinematografia. Em 15 anos de Mostra Tiradentes, podemos afirmar que o evento cresceu, a estrutura foi ampliada e o que começou como uma Mostra regionalizada tornou-se um enriquecedor espaço de exibição e discussão do cinema brasileiro contemporâneo – um exemplo que já impulsionou novas iniciativas no Estado e no Brasil”, afirma Raquel Hallak – coordenadora do evento.
Celebrando seus 15 anos, a Mostra Tiradentes coloca em evidência um dos principais responsáveis por essa reaproximação entre o cinema brasileiro e seu público: o ator. Propõe como temática “O Ator em Expansão”, visando refletir o papel e valorização do ator no processo de criação do filme: o ator como ideia, como pensamento, como forma e não apenas como corpo a cumprir um objetivo em cena.
“Um ator expandido não significa necessariamente um diretor recolhido. A autoria não precisa ser questão de um único indivíduo, mas sim de um tecido de confecção colaborativa. Um ator-autor, ou uma política do ator, não significa uma substituição do diretor pelo ator, ou sequer um deslocamento do lugar da autoria, mas trata-se sim de uma expansão do lugar do ator no cinema. E qual é o lugar desse novo ator? Certamente não é apenas na tela, nem somente diante da câmera”, explica Cléber Eduardo, curador da Mostra de Tiradentes.
E nesse contexto, em que os atores estarão no centro das atenções não apenas nas telas, mas também nas mesas de debate, a 15ª Mostra de Cinema de Tiradentes presta homenagem a um dos nomes em maior evidência nas telas do cinema brasileiro desses últimos 15 anos: Selton Mello, que comemora em 2012, 30 anos de carreira.
Nascido em Passos, Minas Gerais, em 30 de dezembro de 1972, Selton Mello mudou-se para São Paulo ainda criança com a família. Seu primeiro trabalho foi em uma novela da Rede Globo, com apenas oito anos. De lá para cá, foram 28 filmes como ator (que, juntos, já somaram mais de 15 milhões de espectadores), dois longas como diretor e mais de 30 participações em minisséries e novelas na TV. Uma carreira premiada em festivais como Toronto, Havana, Guadalajara, Brasília, Paulínia, Recife e Rio.
“Selton Mello é uma espécie de emblema do cinema brasileiro da última década, tanto no segmento popular, com filmes como O Auto da Compadecida e A Mulher Invisível, quanto no mais artístico, caso de Lavoura Arcaica, além de sua atuação como diretor em Feliz Natal e O Palhaço. Sua homenagem vem não apenas pelo percurso legitimado ao longo dos últimos anos, mas por representar atores não apenas de sua geração, mas também das anteriores e posteriores”, afirma Cléber Eduardo.
Como parte das homenagens a Selton Mello, a Mostra Tiradentes apresentará uma retrospectiva da obra desse grande ator, com os filmes O Palhaço, direção Selton Mello, Lavoura Arcaica, direção de Luiz Fernando Carvalho, A Erva do Rato, direção de Júlio Bressane, O Cheiro do Ralo, direção de Heitor Dhalia, além de contar com uma produção inédita, realizada por ele exclusivamente para a abertura da 15a Mostra de Cinema de Tiradentes.

MOSTRA TIRADENTES ANUNCIA SELEÇÃO DE CURTAS-METRAGENS
Nesses últimos 15 anos, a Mostra de Tiradentes firmou-se também como uma das principais janelas de exibição e lançamento da produção curta-metragista no Brasil. Muitos cineastas que estrearam seus curtas na Mostra já estão hoje com uma carreira estabelecida em longa-metragem, com muitos de seus filmes estreando ou sendo exibidos em Tiradentes.
“A seleção priorizou, novamente, a diversidade e a inquietação formal sem menosprezar o apelo das narrativas tradicionais. De um conjunto de 597 inscritos, extraímos os que dialogam com matrizes estética do presente sem precisar mimetizar os clichês da contemporaneidade. Neles, há estímulo suficiente para pensar a tecnologia e a barbárie civilizada, para indagar as subjetividades em combate ou em afago e para promover vínculos com a experiência. Neles, o cinema de jovens já veteranos encontra aquele produzido por novatos. Reuni-los significa permitir que eles sejam vistos, ouvidos e falados”, afirma Cássio Starling Carlos.
Este ano serão nada menos que 84 curtas, representando 12 estados brasileiros. São filmes selecionados para importantes festivais internacionais (como o mineiro Dona Sônia Pediu Uma Arma Para Seu Vizinho Alcides, de Gabriel Martins, recém-anunciado em Clermont-Ferrand, o mais importante festival de curtas-metragens do mundo), multi-premiados em festivais nacionais (L, de Thais Fujinaga; Uma Primavera, de Gabriela Amaral Almeida; Incêndio, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes; Oma, de Michael Wahrmann; Ovos de Dinossauro na Sala de Estar, de Rafael Urban), além de muitos inéditos, que estreiam sua carreira de festivais em Tiradentes.
A Mostra Foco, com 10 curtas, é o grande destaque da programação, abrigando muitas dessas estreias. Os filmes desse segmento serão avaliados pelo Júri da Crítica, que escolherá o melhor curta desta 15a edição. A programação de curtas conta ainda com as mostras Panorama, Curta na Praça, Mineira, Jovem e Mostrinha.
Abaixo, a lista completa dos curtas selecionados para a 15a Mostra de Cinema de Tiradentes:

MOSTRA FOCO – competitiva
A MULHER NO ALTO DO MORRO, de Cássio Pereira dos Santos (MG/DF)
ENCONTRO COM SÃO JOÃO DA CRUZ, de Daniel Ribeiro Duarte (MG)
ENTRE NÓS, dinheiro, de Renan Rovida (SP)
JIBÓIA, de Rafael Lessa (SP)
MAIS DENSO QUE SANGUE, de Ian Abe (PB)
MÁSCARA NEGRA, de Rene Brasil (SP)
MEMÓRIAS EXTERNAS DE UMA MULHER SERRILHADA, de Eduardo Kishimoto (SP)
NA SUA COMPANHIA, de Marcelo Caetano (SP)
QUANDO MORREMOS A NOITE, de Eduardo Morotó (RJ)
QUERENÇA, de Iziane Filgueiras Mascarenhas (CE)

MOSTRA CURTA NA PRAÇA
49 DIAS, de Tati Fujimori (SP)
DEUS, de André Miranda (DF)
DUAS VIDAS PARA ANTONIO ESPINOSA, de Caio D’ Andresa e Rodrigo Fonseca (SP)
JULIE, AGOSTO, SETEMBRO, de Jarleo Barbosa (GO)
L, de Thais Fujinaga (SP)
O VELHO E O NOVO, de Daniel Caetano (RJ)
QUEM É ROGERIO CARLOS?, de Pedro Bughay (RS)
SAMBATOWN, de Cadu Macedo (SP)
SILÊNCIO 63, de Fábio Nascimento (SP)
TRÊS VEZES POR SEMANA, de Cris Reque (RS)
TROCAM-SE BOLINHOS POR HISTÓRIAS DE VIDA, de Denise Marchi (RS)
UM OLHAR PASSAGEIRO, de Pedro Carvalho (MG)
ZENAIDE, de Mariana Porto (PE)

MOSTRA PANORAMA
A NONA VÍTIMA, de Diego Zon (ES)
ADORMECIDOS, de Clarissa Campolina (MG)
AS HERANÇAS, de Giovani Barros (RJ)
AS ÚLTIMAS PUTAS DE PARIS, de Ana Paula Nogueira (RJ)
ASSUNTO DE FAMÍLIA, de Caru Alves de Souza (SP)
CAIXA DE PANDORA, de Lucas Sander e Paula Santos (MG)
CASA, de João Krefer (PR)
CASA AFOGADA, de Gilson Vargas (RS)
CÉSAR!, de Gustavo Suzuki (SP)
CRISTINA, de Melissa Gava (SP)
DA ORIGEM, de Fábio Baldo (SP)
DIZEM QUE OS CÃES VÊEM COISAS, de Guto Parente (CE)
DOIS, de Thiago Ricarte (SP)
DONA SÔNIA PEDIU UMA ARMA PARA SEU VIZINHO ALCIDES, de Gabriel Martins (MG)
ESSAS SENHORAS, de Gláucio Souza (PR)
FUGAZ, de Joacélio Batista (MG)
GERTRUDES E SEU HOMEM, de Adriana Rodrigues (GO)
INCÊNDIO, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes (RJ)
LERON MEDE OS ESPAÇOS, de Daniel Ifanger (SP)
MARCHA DA LIBERDADE, de Fábio Burnier (SP)
MEIO-DIA ISABELA, de Evandro Scorsin (PR)
NEM A MIM, NEM A TI, de Tomás von der Osten (PR)
O CADEADO, de Leon Sampaio (BA)
O SAMURAI DE CURITIBA, de Rober Machado e Jose Padilha (PR)
OMA, de Michael Wahrmann (SP)
OS MORTOS VIVOS, de Anita Rocha da Silveira (RJ)
OVOS DE DINOSSAUROS NA SALA DE ESTAR, de Rafael Urban (PR)
PODE PIORAR, de João Tenório (SP)
PREGADORES, de Cavi Borges e Leonardo Kopke (RJ)
PRESERVATIVO, de Filipe Matzembacher, Márcio Reolon e Samuel Telles (RS)
RETRATO FALHADO, de Andre Warwar (SP)
SE VOCÊ DEIXAR O CORAÇÃO BATER SEM MEDO, de Tamíris Spinelli (PR)
SÉCULO, de Marcos Pimentel (MG)
UMA NOITE, de Daniela Santos (RJ)
UMA PRIMAVERA, de Gabriela Amaral Almeida (SP)
WILMA, de Eva Jofilsan (PE)

MOSTRA MINEIRA
ARREBENTAÇÃO, de Gabriel Sanna e Raquel Versieux (MG)
FICA, de João Toledo (MG)
LUNARIUM - RETRATOS EM AZUL, de Elza Cataldo (MG)
TURISMO DE GUERRA, de Felipe Ivanicska (MG)
UMA BREVE HISTÓRIA DE VIAGEM OU IMPERATIVO NEGATIVO, de Chico Pelúcio (MG)
SPACE DUST, de Sávio Leite (MG)

MOSTRA JOVEM
A ARTE DE ANDAR PELAS RUAS DE BRASÍLIA, de Rafaela Camelo (DF)
ACONTECEU NO BIXIGA, de Marcela Chamilian (SP)
MAÇÃ, de Pedro Paulo de Andrade (SP)
MÁQUINA DE SORVETES, de Christopher Faust (PR)
O ÚLTIMO JOKENPO, de Chris Tex (SP)

MOSTRA MOSTRINHA
A GRANDE VIAGEM, de Caroline Fieratti (SP)
A MAGIA DO NATAL, de Bruno Bask (SP)
BOBOLETA, de Karla Oliveira (MG)
CACHOEIRA, de Rodrigo Eba (SP)
MEMÓRIAS DO MEU TIO, de Alexandre Rafael Garcia e Álvaro Zeini Cruz (PR)
NEGÓCIO DE MENINO COM MENINA, de Marcus Vilar (PA)
O MACACO E O RABO, dos alunos da disciplina Animação digital UFPE-CAA (PE)
O MUNDO DE ULIM E OILUT, de Caru Alves de Souza (SP)
OS SONÂMBULOS, de Igor Amim (MG)
OBSOLETO, de Heitor Mendonça, Leandro Henriques e Victor Mendonça (RJ)
REMOTO CONTROLE REMOTO, de Bruno Bask (SP)
SONHANDO PASSARINHOS, de Bruna Carolli (DF)
TEMBIARA, de Jackson Abacatu (MG)
TENTÁCULOS, de Thiago de Magalhães Quadros, Beth Soarez, Álvaro Victorio, Beto Paiva, Vinícius Lewer, Rafael Carvalho e Leandro Batista (RJ)






















SAIBA TUDO:
SITE OFICIAL: 38ª CAMPANHA DE POPULARIZAÇÃO DO TEATRO E DA DANÇA