17 de ago de 2011




FESTEJO DO TAMBOR MINEIRO 2011
Idealizado por Mauricio Tizumba, a 8ª edição do evento terá como convidado especial o músico Chico César. O Festejo será realizado dia 22 de agosto no bairro Prado
Belo Horizonte, julho de 2010 – Batuque, dança, shows e muita religiosidade. Esses são os ingredientes da contagiante mistura da manifestação popular Festejo do Tambor Mineiro. Guardas de Congado e grupos de percussão de todo o estado se reunirão no domingo, 22 de agosto, para celebrar a cultura afro-brasileira na oitava edição do evento. Realizada no bairro Prado, região Oeste de Belo Horizonte, a festa proporciona ao público vários espetáculos em dois quarteirões da tradicional rua Ituiutaba. Idealizado por Mauricio Tizumba, o Festejo terá programação diversificada, com mais de 10 atrações artísticas, a partir das 10h. Como nas demais edições, o ingresso será um quilo de alimento não perecível, que será doado para as festividades das Guardas de Congado que se apresentarão no evento.
A festa é conhecida pela diversidade artística e cultural, onde prevalece a cultura afro-brasileira, a qual tem forte presença no estado. Tanto que no encontro são reproduzidos diferentes rituais do Congado. Para o multiartista Mauricio Tizumba, o Festejo mostra as tradições de várias referências culturais. "A diversidade do Festejo, fruto da característica da cultura mineira, neste caso com ênfase no Congado, é a marca mais forte do evento. Este congraçamento é o que torna o Festejo uma festa de todos", completa.
A comemoração é promovida anualmente desde 2003 e visa a valorização e a divulgação da cultura afro-mineira e do Congado de Minas. As atrações espalham alegria pelas ruas e envolvem a platéia que, em 2009, reuniu mais de 6 mil pessoas, mesmo público esperado para este ano. “O Festejo é um evento de valorização do tambor mineiro e um momento em que se pretende quebrar preconceitos e fazer com que as pessoas aprendam a conviver com as diferenças”, afirma Tizumba.
Na edição deste ano, as atrações artísticas, que além das Guardas de Congado, encantarão os espectadores, serão compostas por artistas e grupos de diferentes vertentes. Entre eles estão Sérgio Pererê, Marina Machado, Pereira da Viola, Tom Nascimento, Bloco Tambor Mineiro, Bloco Oficina Tambolelê, Batuque Salubre, Maracatu Lua Nova, Spasso Escola de Circo e o músico senegalês Zal Idrissa Sissokho. O convidado especial será o músico paraibano Chico César, que fará um show especial de voz e violão, com direito a boas surpresas de improviso.
Entre as 15 de Guardas de Congado que estarão presentes, vindas de várias partes de Minas, destaca-se o Corte de Congo Catupé Estrela do Oriente, de Bom Despacho, que pela primeira vez participará do evento. O capitão da guarda Luis Alberto orgulha-se da participação no Festejo do Tambor Mineiro. “É uma grande satisfação participar de um evento tão grandioso e bem organizado como esse. A cada dia que passa, estou mais ansioso, para mostrar o que os nossos antepassados nos ensinaram. Quero resgatar a nossa tradição. Com a certeza de que será um sucesso, levaremos 28 componentes, com seis princesas, todos da cidade de Bom Despacho”, ressalta.
O Festejo do Tambor Mineiro é patrocinado pelo quinto ano consecutivo pelo Banco Mercantil do Brasil e pelo Instituto Unimed-BH, via Lei Rouanet. Soma-se a empresa Contax, esta via Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Essas empresas são importantes parceiras da oitava edição, sem as quais o evento não aconteceria com tanta riqueza artística.
Nesse espírito de parceria, o Instituto Unimed-BH, levará o grupo Batuque Salubre, fruto do programa de intervenção social realizado pela associação, a participar do evento pela segunda vez. A realização do evento está a cargo da Napele Produções, pilotada pelo produtor cultural Elias Gibran.
A história do Festejo do Tambor Mineiro
Em 2001, Mauricio Tizumba iniciou um curso de tambor mineiro e começou a ministrar aulas para músicos e leigos. As apresentações finais dos alunos eram feitas nas ruas, para que os alunos recebessem seus parentes e amigos. Para abrilhantar ainda mais a festa, foram convidados vários grupos de Congado e outros artistas. “Consegui formar várias turmas e o galpão do Tambor Mineiro ficou pequeno para o evento. Assim, em 2003 surgiu o primeiro Festejo do Tambor Mineiro”, completa Tizumba.
O Festejo também representa o culto religioso aos santos negros, principalmente Nossa Senhora do Rosário, Santa Efigênia e São Benedito. Segundo Pedrina Lourdes dos Santos, capitã da Guarda Nossa Senhora das Mercês de Oliveira, que já participou de várias edições do evento “a santa de devoção dos negros, Nossa Senhora do Rosário, aceitou os negros como eles são. Com muita fé, cantamos e dançamos para cultuar e reverenciar a divindade”.
São Benedito, santo cozinheiro, também é muito homenageado. Na cozinha das casas dos congadeiros é comum encontrar imagens do santo. Por isso, depois da refeição feita na residência dos festeiros por ocasião da festa, o capitão da guarda convida a todos para as orações de despedida invocando São Benedito e rogando ao santo para que ele sempre proteja aquele lar.
No Congado, manifestação cultural e religiosa presente em todas as regiões de Minas Gerais, a festa realiza a coroação do rei Congo, acompanhada de um cortejo compassado, levantamento de mastros e muita música. Os instrumentos musicais mais utilizados são as caixas de Congado, os patangomes e as gungas.
Para divulgar as raízes e cultura negras, o Festejo do Tambor Mineiro agrega valores e busca a aproximação do público por meio da celebração e da espiritualidade. Com essa mistura de culturas, que abrange negros, brancos, mulatos, ricos e pobres, a diversidade se tornou uma das marcas do evento, que já conquistou os mineiros e quem visita o estado nessa época. (FOTO LEONARDO LARA)

8° Festejo do Tambor Mineiro
Data/Horário: domingo, 22 de agosto, a partir das 10h
Local: rua Ituituba, 339 – Prado
Ingressos: 1 quilo de alimento não perecível


Nenhum comentário: