20 de jun de 2011



















VICTINHO MAGNÓLIA lança seu primeiro CD:
“AVENTUREIRO”



















Será no dia 28 de junho, terça-feira, às 21h, na Casa Pueblo (Rua Acácias, 549 – Vale do Sereno – Nova Lima – MG) o lançamento do CD “Aventureiro”, do violonista, cantor e compositor Victinho Magnólia. Primeiro disco do artista, produzido por Marcelinho Guerra, “Aventureiro” traz 10 faixas de autoria de Victinho Magnólia, apresentando reggae, pop e samba-rock, e conta com a participação especial de Alexandre Maia (Porquinho) Manitu, Mc Papo, Dusares, Cubanito (Black Sonora) e Leandro Ferrari (Gaita). Os ingressos já estão à venda na Loja ReggeaNation: (Rua Fernandes Tourinho 19/109 - Funcionários) e na Lanchonete Brazas Spetin Rua Oliveira, 479 – Cruzeiro/ao lado da FUMEC). Informações adicionais: (31) 87419661.

VICTINHO MAGNÓLIA
Natural de Belo Horizonte-MG, 1988, o violonista cantor e compositor Victinho Magnólia, guarda uma história de berço musical. Suas raízes vêm da família materna, onde tios e tias nunca passaram um encontro familiar sem uma boa música, violão e cantorias. Todos sempre cantaram juntos e mostraram ter nascido com o dom da música. Mas ao longo dos anos se dedicaram a musica, profissionalmente. Juntas, as tias Lu e Celinha se destacaram na interpretação do MPB e Regional. Celinha Braga hoje é proprietária e coordenadora da Celinha Braga Oficina de Música, responsável pela formação musical de muitos músicos da nova geração mineira. Dos “sobrinhos” Victinho e a prima Ana Luiza dedicaram a musica. Hoje, entre outros trabalhos Ana Lu é a percussionista Banda Zé da Guiomar. Com pouco mais de 7 anos de idade, Victinho decidiu ser saxofonista e matriculou-se na Escola de Música da UEMG: “O curso tinha um pré-requisito de 3 anos de coral, musicalização infantil, flauta e piano. Impaciente após um ano de curso, abandonei, pois, queria o sax e não todas essas coisas...” (VM)
Aos 11 anos, Victinho acompanhou o irmão mais velho em aulas de violão com a mãe, Regina Braga. Mas viu o mesmo irmão abandonar as aulas com pouco tempo deixando violão de lado... Aos 13 anos “roubou” o violão que era de aprendizado do irmão e começou a experimentar o instrumento. Então, aprendeu com a mãe, os primeiros acordes. “Desde que peguei aquele violão abandonado pelo meu irmão, não me lembro mais de nem um momento na minha vida sem um violão por perto.” (VM)
Veio o primeiro professor particular, por dois anos. Aos 13 anos iniciou os estudos de canto com a na Celinha Braga Oficina de Musica e não parou mais. Na mesma escola estudou violão com Sérgio Dua, durante quatro anos. Por volta dos 14, 15 anos eram freqüentes as viagens com os pais para a fazenda familiar em Pedra do Indaiá/MG . Lá, com amigos, formou sua primeira banda, a Tomarock. A banda fez sucesso e, na história, abriu o show do sertanejo Eduardo Costa.
Aos 16, 17 anos já era requisitado em todas as rodinhas de violão da escola, e já havia feito participações em alguns shows com amigos mais velhos que já tinham bandas.
Aos 18 anos, Victinho viajou em intercambio para os EUA onde residiu por um ano. Também estudou musica na escola americana, na casa de família onde morou, um jovem da sua idade tocava saxofone. Então, com mais alguns amigos americanos montaram a Banda Brazilian Mom onde tocavam samba nos cafés da cidade. Foi aí que ganhou seu primeiro dinheirinho: com a música!
De volta ao Brasil, montou sua primeira banda em BH. A Magnólia Roots, formada por Elmo, Estrela, Alexandre e Victinho. A Banda tocava em bares belo-horizontinos, principalmente na região da Savassi. E se destacaram com um repertorio cover de bandas de Reggae nacional e internacional. O bar onde mais tocavam foi o Quintal Bar Cultural no Sion. Magnólia Roots era sinônimo de casa cheia. A banda cresceu, e incorporou o percussionista Cacau e a backing vocal Rafaela.
Com essa formação a Magnólia Roots abriu o show de uma das maiores bandas de reggae nacional. A banda Chimarruts, no Music Hall, em BH.
Victinho começou cursar publicidade na UNI-BH, depois transferiu para FUMEC.
Após mais de 3 anos de banda a Magnólia Roots, Victinho realmente definiu que a musica seria seu principal objetivo.
Em 2010, junto a Marcelinho Guerra, guitarrista, começaram a produção de um disco com 10 faixas autorais. Victinho, já com o Magnólia em sua essência e em suas composições continuou se destacando fazendo voz e violão em vários bares e cidades mineiras, até a chegada do disco. Agora, “Aventureiro” chega ao mercado apresentando a arte genuína de Victinho Magnólia. Para ouvir, cantar, dançar e se divertir. Com vocês, o responsável “Aventureiro” Victinho Magnólia!
CONHEÇA:
http://victinhomagnolia.conexaovivo.com.br/profiles
http://www.youtube.com/user/victinhomagnolia

AVENTUREIRO
Com produção de Marcelinho Guerra (guitarrista de nomes como. Terral, Kiko Klaus, Pedro Moraes, Renegado, Lu Alone, Felipe Sabbae, entre outros), o CD “Aventureiro”, de Victinho Magnólia, foi gravado no Estúdio Elétrico. Com 10 faixas autorais: Dih amante Brasileiro, Aventureiro, AM420NIA, Luau em Alto mar, Papepiando, Chá, Meu melhor Lugar é você, Dias de Frio, Click of Love e Nosso Som Vai nos Unir, o disco traz a participação especial de Alexandre Maia (Porquinho) Manitu, Mc Papo, Dusares, Cubanito (Black Sonora) e Leandro Ferrari (Gaita).
Na ficha técnica: Ana Lu (percussão), Cacau (conga), André Lima e PedroRios (teclados), Manu Santos, Mari, Cacau Lopes e Ju (backing vocals), Fabão (contrabaixo), Felipe Fantoni (contra-baixo), Frederico Heliodoro (contra-baixo), Guto Ferreira, Igor Cueco e Raul Costa (bateria), Zé Mauro (violão) e Marcelinho Guerra (violão e guitarras/contrabaixo/sintetizadores).  (FOTO RODRIGO BETHONICO)


HONRA AO MÉRITO:A Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) recebe na próxima quarta-feira, dia 22, o diploma de honra ao mérito da Câmara Municipal de Belo Horizonte, por ocasião das comemorações dos seus 50 anos. A indicação foi do vereador João Bosco Rodrigues, “João Locadora”.

Nenhum comentário: