27 de fev de 2009

Caminhos para 2012
Márcia Francisco

Seguem as especulações para 2012. Profecias astecas, maias, incas, prognósticos de ufólogos, astrólogos, religiões e crenças, canalizações de esotéricos e espiritualistas. Na ciência, as alterações climáticas e geológicas; o homem e o desflorestamento planetário. Desequilíbrios se unem às profecias da extinção da raça humana. Numa visão não somente otimista, mas, de observação, escolho pensar no final de um ciclo. Transformações vêm de processos e, não só de catástrofes imediatas. O mundo vai encontrando nova equalização. A responsabilidade total do indivíduo determina seu futuro e do coletivo na reorganização do presente. Somos alunos e mestres de nós próprios e de outros, em alternância diária. Apesar das fronteiras territoriais, não há longe. Simples considerações tecnológicas afirmam a união de terras, pessoas e a unicidade natural entre as esferas do universo. Portanto, mais que urge o tempo da gentileza. Não há dignidade isolada, se na esquina ou na África, outro ser transita no fio da navalha da fome ou da violência. Solidariedade é atitude. Na TV, a apresentadora americana Oprah Winfrey mostrou um projeto em respeito à crianças aidéticas e também órfãs, devido à doença. O custo para medicamentos e cuidado para uma criança africana seria de U$1/ dia. Isso, e uma vida salva. Acredito nesses vagalumes de atos ou fatos que indicam que a transformação pode ser para paz e o bem. Ainda que hajam buracos negros, há pessoas separando lixo em costas distantes, simplesmente, para fazer a sua parte. Esperançosa, vejo a posse do primeiro homem negro a dar seqüência a lista de mais de 40 presidentes dos Estados Unidos. Cor e raça não definem caráter nem competência, mas, a nova escolha dita a igualdade necessária e possível. Na cerimônia de entrega do Oscar, o longa indiano “Quem quer ser um milionário?” tomou a Academia e levou a estatueta na categoria de melhor filme e em outras sete. Uma história de vida e verdade transpôs fronteiras, alinhando países e povos. O competente Sean Penn, arrematou o Oscar de melhor ator, por sua (realmente) digna e brilhante atuação em Milk. Harvey Milk foi dos primeiros políticos a assumir a homossexualidade nos EUA e, apesar da curta trajetória que culminou em seu assassinato em 77, influenciou o país, como ativista pioneiro na causa da igualdade e direitos gays. Penn agradeceu o prêmio e falou ao governo da atenção necessária à igualdade. Agora, o Instituto Nobel de Oslo, por seu diretor Geir Lundestad, informou que o presidente dos EUA, Barack Obama e da França, Nicolas Sarkozy, estão na lista de candidatos ao Prêmio Nobel da Paz. São apontamentos de novas perspectivas. Olhos de peixe para abrir coração e mente às ações que já transformam as próximas décadas. Repito, tudo depende 100% de cada um. Se me permitem, escolho darmo-nos as mãos. Estendendo-as, com inclusão justa e digna, para quem as tem... ou não.

16 de fev de 2009

VIOLAR:
Teodomiro Goulart, criador do mais original e inovador método de violão contemporâneo ministra o curso na Escola de Música da UFMG



Depois do grande sucesso alcançado na Argentina com o lançamento do livro Violar, onde foi lançado nas cidades de Rosário, Santa Fé, Pergamino, Tucumã, Buenos Aires e Mendoza, o professor Teodomiro Goulart está de volta na Escola de Música da UFMG com o Violar: aulas de violão em grupo.
O professor Teodomiro é reconhecido internacionalmente por violonistas do porte de Ivan Rijos, David Tanembaum, Fabio Zanon entre outros, como o autor mais inovador e criativo da história recente do violão.
Seu método para violão, o "Violar: Aprendizagem e Ensino do Violão sob a dependência sensível das condições iniciais", já é adotado por renomados violonistas em países como: Suíça, Estados Unidos, Bélgica, Porto Rico, Espanha, França, Alemanha, Inglaterra e Argentina. Sendo neste último, adotado oficialmente pela Universidade Nacional de Rosário. É adotado também em várias escolas brasileiras e em Belo Horizonte, pela Fundação Artística, UEMG, Allegretto, CMI e vários professores particulares além de adotado pela Escola Municipal Geraldo Teixeira da Costa.
É sem dúvida o método de aprendizado de violão mais original já escrito, desde os métodos das consagradas escolas de Tarrega, Carlevaro entre outras semelhantes.
Distingue-se principalmente por seus princípios estruturadores adaptáveis às variadas situações musicais e técnicas dos estudantes. É uma metodologia que se adapta ao aluno, ao contrário dos métodos tradicionais onde os alunos se adaptam ao método, além de poderosa ferramenta para aulas em grupo com enfoque individual. Plasticamente é sem dúvida uns dos materiais didáticos mais belos já produzidos para o ensino de um instrumento.Desperta grande interesse pelo seu caráter interativo e lúdico, com seus cartões coloridos, distribuídos em tabuleiros que simulam um violão.
As inscrições para o curso – que atenderá interessados de faixa etária: a partir de 14 anos - poderão ser feitas até o dia 27 de fevereiro, na FUNDEP (Av. Antônio Carlos,6627 – Campus Pampulha – BH – MG - 31 3409-4220) ou no Conservatório UFMG (Av. Afonso Pena, 1534 – Centro – BH – MG – 31 3409-4220). As entrevistas e seleção das turmas acontecerão no dia 02 de março, com entrevistas no Centro de Musicalização Infantil – anexo da Escola de música da UFMG, na Sala 8 - campus Pampulha, das 9h às 13h. Os resultados serão divulgados no dia 03, no site da Fundep. As matrículas serão feitas de 02 a 06 de março (dia 02 para os alunos do Violar/2008), na FUNDEP. O curso terá início na segunda semana de março e vai durar dois semestres. Investimento: R$90,00 (noventa reais), mensais.
Informações adicionais sobre o curso: www.fundep.ufmg.br e
www.musica.ufmg.br/cursos.html
Informações adicionais sobre o professor Teodomiro Goulart e o método Violar:
www.cordassoltas.com.br

(FOTOS: esq/dir - o renomado compositor argentino Dante Grela e Teodomiro Goulart,
por ocasião do lançamento do livro na Universidade Nacional do Rosário- foto Antero Goulart/ foto inicial: estrutura para 12 alunos - Violar - foto Eduardo Rocha)